Projeto de subestações móveis de energia da WEG utilizará caminhões Volvo

Volvo FH540




O cavalo mecânico FH 540, comercializado em Santa Catarina pelo Grupo Volvo Dicave, fará parte de um fornecimento especial da WEG, multinacional brasileira com sede em Jaraguá do Sul. A WEG desenvolveu o projeto de uma subestação móvel de energia, equipamento que pode atenuar problemas de fornecimento de energia e ter uma importante função social mantendo abastecidos bairros, hospitais, escolas e indústrias. Até agora, já foram comercializadas mais de 70 subestações para 20 clientes do Brasil, América Latina e África do Sul.

O modelo FH 540 foi escolhido pela potência oferecida, capacidade de tração, segurança, estabilidade e conforto. Também foi considerada a taxa de retorno do investimento. “Diferencia-se pela reputação e por ter um pós-venda muito bom na região da WEG em Santa Catarina e também na região para onde a subestação móvel será enviada, no Rio Grande do Sul”, salienta o Diretor de Vendas, Alessandro Augusto Hernandez. O gerente comercial da Dicave, Vili Maschio, reforça que a escolha deste modelo está relacionada ainda à sua potência e tração, desenvolvido para transportes pesados e que atenderá bem a este projeto da WEG.

Nos testes, o cavalo mecânico da Volvo demonstrou ter muita força e estabilidade, com aceleração rápida e frenagens seguras em espaço reduzido de tempo. O veículo servirá para transportar as duas novas subestações móveis da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) do Rio Grande do Sul em toda área de serviço da empresa, que engloba 72 municípios, o equivalente a 34% do mercado consumidor gaúcho.

As subestações móveis

De uma maneira simplificada, a função das subestações de energia é rebaixar a tensão (voltagem) das linhas de transmissão que chegam das usinas geradoras para poder fazer a distribuição nas cidades. “Os equipamentos que compõem uma subestação podem ser agrupados em um conjunto sobre semirreboque. Dessa forma teremos uma Subestação Móvel”, explica o Diretor.

Ele comenta que a subestação Móvel tem função técnica, econômica e social. Faz parte do plano de contingência uma concessionária de energia. Com o equipamento para rebaixar a tensão das linhas principais, pode-se manter o fornecimento quando as subestações convencionais apresentarem necessidade de manutenção ou outras ocorrências. “É possível também abastecer lugares remotos onde não existem subestações convencionais ligando a Subestação Móvel diretamente em uma linha de transmissão de alta tensão. Ou ainda ampliar o fornecimento ligando o equipamento em paralelo com os outros já em funcionamento na subestação convencional”, detalha Alexandre Hernandes.

O profissional destaca que desta forma é possível garantir o fornecimento de energia para grandes regiões, cidades, indústrias e hospitais, podendo ainda atender aumentos de consumo sazonais como em temporadas de Verão e grandes eventos.

Fonte: Dicave Volvo




Deixe sua opinião sobre o assunto!