Queda de exportação gera demissões e preocupa caminhoneiros

transportadora




O movimento de caminhões nas rodovias da região de São Carlos e Araraquara caiu 0,5% em maio deste ano em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). O índice pode parecer pequeno, mas preocupa, já que as transportadoras começaram a demitir funcionários. De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de Araraquara e Região (Setcar), o principal motivo é a queda nas exportações.

No estado de São Paulo, as exportações de açúcar, por exemplo, caíram 14%. “Isso está refletindo nas transportadoras. As usinas não conseguem exportar e, assim, não chamam as empresas para o transporte”, explicou o presidente do Setcar, Natal Arnost Júnior.
No trecho da Rodovia Washington Luís (SP-310) entre São Carlos e Matão foram 492 caminhões a menos no mês passado, em relação a maio de 2013. Segundo o sindicato, pelo menos duas mil transportadoras enfrentam problemas com a queda de serviço.

Crise

Em uma cooperativa de São Carlos, dos 250 veículos, 90 estão parados por falta de serviço. Para o presidente, Irinaldo Barreto, essa é a pior crise dos últimos dez anos com uma queda de aproximadamente 35%. “No ano passado nós tínhamos, em média, dois dias que os cooperados ficavam aguardando para carregar. Este ano esperamos até 12 dias por uma carga”, disse.

Segundo o dono de uma transportadora de Matão, Cláudio Caridi, o volume de carga era de 25 mil toneladas em maio do ano passado e hoje é de 10 mil. Com menos serviço, ele demitiu parte dos funcionários. “Eu tinha em torno de 80 pessoas nesta época. Hoje tenho cerca de 55”, contou.

A crise também está deixando os caminhoneiros preocupados. “Isso reflete na gente também, na falta de serviço”, lamentou o motorista Douglas Veras.

Fonte: EPTV




Deixe sua opinião sobre o assunto!