Esta ruim, e poderia piorar! [crise do transporte]

Porto de Itaqui




Não é mais segredo pra ninguém e esta mais do que evidente que o cenário do transporte esta piorando a cada dia, a cada semestre as metas estão sendo revistas, a cada mês as vendas caem e a cada dia o frete piora. Aquela bolha que começou a crescer em meados de 2008 começou a “vazar” depois de alguns anos de crescimento exponencial.

Eu não tenho formação em economia, administração ou algo do tipo, mas acompanho noticias e vivo 24 horas ao meio de transportadores grandes e pequenos. E esta evidente que a cada dia as reclamações tem aumentado, as expectativas de crescimento estão praticamente nulas assim como a confiança no setor e vontade de fazer investimentos a curto e longo prazo. Ou seja, a “boca esta escura”, mas na minha opinião tem que escurecer mais, ou seja, teria de piorar mais. Pode parecer uma ideia radical, mas eu só acredito que o homem só muda, ou sai de sua inercia quando se sente incomodado, no nosso caso, quando meche no seu bolso.

Ao meu ver o cenário do transporte esta em crise desde 2010, quando o pequeno transportador começou a sentir as consequências do grande numero de caminhões sendo fabricados e vendidos na sua grande maioria para grandes transportadores. Os fretes começaram a baixar devido a concorrência desleal das grandes transportadoras que trabalhavam mais barato por conseguirem ter um custo operacional menor, então o lucro para o pequeno transportador começou a diminuir a partir dai, sem levar tanto em conta os aumentos de combustível, pneu, mão de obra e afins.

Caminhão se tornou um negócio interessante para pessoas com mais condições, pois o capital era adquirido com juros baixíssimos, grande tempo de carência, retorno do investimento relativamente curto e no fim ainda sobrava o caminhão usado, isso sem ter de comprometer 1 centavo de capital. Com isso o que eu chamo de “filosofia do se pagando ta bom” começou a ser praticada cada vez mais. Ou seja, para os grandes transportadores se o caminhão pagasse seus custos de operação e sua prestação estava ótimo, afinal no fim de tudo ele lucraria o valor do caminhão usado sem ter investido nada no inicio.

O país até então estava em pleno crescimento com as obras do PAC, copa do mundo, incentivos na indústria, entre outros. Com isso não faltava serviço para os transportadores, seja para os grandes pagarem sua prestação ou os pequenos sobreviverem. Porém no começo do ano, quando o país começou a mostrar suas primeiras evidencias de crise o setor da indústria entrou na “defensiva” diminuindo os investimentos e assim o numero de produto a ser transportado. A formula é simples, pouco serviço e muito caminhão resulta em baixa no frete, baixas de quase 10% de um dia para o outro!

O lado bom de toda essa historia é que agora os grandes transportadores, que representam a grande maioria da frota nacional, começaram a sentir no bolso a crise no transporte, não esta dando para pagar mais as prestações e os caminhões adquiridos anos atrás estão começando a dar manutenção. Podendo assim cruzar os braços e fazer uma greve de verdade,  diferente daquela de poucos anos atrás que não teve resultado algum pois não teve o apoio de toda a classe, grande e pequena.

Mesmo assim eu não acredito que o setor ira se recuperar tão cedo, ainda existem muitos caminhões no mercado e mesmo que haja melhora esta será muito pequena, para favorecer primeiro os grandes e depois os pequenos, se favorecer. O pequeno transportador esta condenado a mudar de ramo ou agregar em uma grande transportadora, perdendo sua autonomia.

Mas gostaria muito que as coisas piorassem ainda mais, que o frete baixasse mais ainda e que o diesel subisse de preço para o grande transportador sentir no bolso e cruzar os braços para mostrar para os governantes que a classe transportadora tem sua representatividade.

Hélio David

Inscreva-se




2 comentários em “Esta ruim, e poderia piorar! [crise do transporte]

  • 11/10/2014 em 12:53
    Permalink

    Penso que não ficamos apenas a mercê de crises internacionais que refletem aqui sem termos o que fazer, na verdade a política brasileira simplesmente virou as costas para o setor, não se vê comprometimento do governo sendo solidário com a classe, isso com uma crise que ao meu ver o governo tem uma parcela grande de culpa, teria várias formas do governo interagir e ajudar a classe neste momento negro, porem infelizmente só vemos o contrário disso, taxas, impostos, pedágios, burocracias, proibições, etc……

    Resposta
  • 17/09/2014 em 23:05
    Permalink

    Caro Hélio,

    Concordo com suas palavras porém gostaria de colocar alguns ade nos, vivo no Mato Grosso acompanho bastante o setor de transportes e agricultura, os mesmos trabalham juntos. No meu ponto de vista vários fatores estão levando a crise no frete entre eles o aumento do numero de caminhões sim porém esse não é fator principal. A agricultura não vem bem das pernas assim refletindo diretamente no preço dos fretes a produção no Estado do Mato Grosso teve diminuição significativa de quase 40% na produção de milho além de não atingir um preço razoável para produto, levando assim o mesmo a armazenar sua produção. A pouco começou os leilões do governo, com isso deve ter um leve aumento no frete, esse ano vai ser difícil para o pequeno e grande transportador as perspectivas não são boas há previsões a curto prazo para o aumento do diesel e o preço das commodities não está muito bom no mercado futuro acho que vamos retornar ao ano de 2003/2004 onde o setor sofreu com fretes.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!