ISP aponta aumento de quase 35% no número de roubo de cargas no RJ

caminhao de gas




O número de roubos de cargas vem aumentando no estado do Rio de Janeiro. Em mais um caso, registrado nesta segunda-feira (25), os bandidos que roubavam um caminhão foram surpreendidos por traficantes do Complexo do Chapadão, em Costa Barros, Zona Norte da capital, dando início a um intenso tiroteio. Três pessoas que passavam no local foram mortas e outras quatro ficaram feridas. Quem trabalha com o transporte de cargas, convive com o medo e a insegurança.

Dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) do estado aumentam o medo de quem faz o transporte de cargas na região das favelas da Pedreira e do Chapadão. O número de roubos de cargas subiu quase 35% (34,9%) nos quatro primeiros meses deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. A Delegacia de Roubos de Carga informou que já existem sete inquéritos para identificar os autores desse tipo de crime.

“É muito terror. A gente não sabe se volta pra casa, entendeu?”, desabafou um caminhoneiro.

Na última sexta-feira, caminhoneiros fizeram manifestação em frente à Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense, pedindo mais segurança.

Terror em Costa Barros

Três mortos e quatro feridos foi o saldo de vítimas da disputa pela carga de um caminhão roubado nesta segunda-feira. Criminosos do Complexo da Pedreira roubaram um caminhão de bebidas na Avenida Brasil. Na fuga, quando passavam perto do Morro do Chapadão, o motor parou de funcionar por causa do sistema de rastreamento. Os assaltantes foram atacados por traficantes da comunidade, dando início ao confronto.

Adriano de Araújo, de 26 anos, que estava em um carro, Fabrício Almeida da Silva, de 17 anos, que estava em uma moto, e Wellington Pimentel de Azeredo, de 42 anos, que dirigia uma betoneira, foram atingidos por balas perdidas e morreram. Outras quatro pessoas foram baleadas e socorridas com vida. Todos estavam no meio do fogo cruzado.

A polícia acredita que os três mortos no ataque são inocentes. Agora, os investigadores da Divisão de Homicídios querem saber que tipo de munição atingiu as vítimas e de onde partiram os tiros. Os agentes tentam encontrar testemunhas e imagens de câmeras de segurança da região que possam auxiliar a esclarecer melhor o ocorrido.

As quatro pessoas baleadas no assalto internadas. Mateus Silva dos Santos, de 20, está no Hospital Albert Schweitzer. Segundo a polícia, ele está em liberdade condicional e responde por roubo. A mãe dele diz que o rapaz vive de vender balas. Aroldo do Nascimento, de 52 anos, está no Hospital Miguel Couto. Cristiano Figueroa está no Hospital Salgado Filho e Márcio Alex Olímpio dos Reis, de 42 anos, recebeu atendimento na UPA com fratura na perna.

A Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas informou que as quadrilhas que agem na região do Chapadão já foram identificadas e seis chefes presos. A corporação destacou ainda que as operações continuam nas áreas onde há registros de roubos de cargas.

Fonte: Portal G1




Deixe sua opinião sobre o assunto!