Número de evasões de pedágio sobe 13% no Corredor Dom Pedro em 2015

furando pedagio (3)




O número de motoristas que burlam o sistema de pagamento de pedágio aumentou 13% nas rodovias do Corredor Dom Pedro, em Campinas (SP), em relação ao ano passado. Segundo dados da Rota das Bandeiras, concessionária que administra os trechos, em 2014 foram registradas 52.733 evasões entre janeiro e maio, enquanto no mesmo período deste ano já ocorreram 59.662 infrações deste tipo. (VEJA VÍDEO)

Além do aumento de evasões, os dados mostram ainda que parte dessas infrações são cometidas por um mesmo grupo de motoristas. Cerca de 7% do total de irregularidades registradas neste ano tem 181 motoristas como responsáveis – mais de dez infrações cada um. Nos cinco meses, 13 condutores cometeram mais de 50 evasões, e um único motorista realizou 141 “fugas” de pedágio neste período.

Ainda segundo os dados da concessionária, 40% das infrações são cometidas por veículos comuns, 35% por motos e 25% por caminhões. A multa por passar pelo pegádio sem pagar é de R$ 127, com cinco pontos na carteira.

Nova fiscalização

Em 2014, Conselho Nacional de Trânsito (Contran) criou uma resolução permitindo a fiscalização dos veículos com uso de câmeras de monitoramento para qualquer tipo de infrações nas rodovias.

Há duas semanas, a Rota das Bandeiras começou a testar no Corredor Dom Pedro um novo sistema para rastrear os motoristas que burlam o sistema de pedágio. Até então, o condutor só poderia ser abordado pela Polícia Rodoviária logo após ter cometido a irregularidade, o que dificilmente acontecia, já que não era possível identificar se o veículo tinha o equipamento de pedágio eletrônico (TAG “Sem Parar”).

Agora, com o sistema informatizado, todos os veículos que passam pela cancela são fotografados e é possível rastrear a placa do veículo e indentificar se ele tem o equipamento de pedágio eletrônico, para depois caracterizar a evasão. Os policiais que ficam nas centrais de monitoramento têm acesso ao sistema e podem aplicar a multa imediatamente.

Processo na justiça

Segundo o diretor administrativo da concessionária, José Roberto Amorim, o equipamento é eficaz na hora de caracterizar ou não a infração. “O simples fato de você passar por uma via automática e estar com o TAG bloqueado ou ocorrer alguma leitura, isso não caracteriza uma evasão”, diz. “Quando isso acontece, a concessionária recomenda que você pare o carro na via lateral, para que não haja o risco de acidentes, e efetue o pagamento manual. Ou, se tiver o TAG, ele cobrará normalmente”.

O diretor afirmou ainda que o motorista que não pagar o débito pode ser acionado na Justiça. “Além da multa, a concessionária também vai buscar os meios administrativos e judiciais quando aplicáveis para fazer a cobrança dessa tarifa”, afirmou.

Fonte: G1




Deixe sua opinião sobre o assunto!