Scania investe nos semipesados

Scania-P-Semipesado_cabine-estendida_2015




Com o objetivo de alcançar 6% de participação no mercado de semipesados em 2015, a Scania, que tem tradição em veículos pesados, lança os caminhões P 250 e P 310 com cabine estendida, nas versões 4×2 e 6×2, que começam a ser comercializados no país a partir de setembro. Com este veículo, a empresa amplia a oferta de produtos nesta categoria, que já conta com a versão de cabine curta ou leito.

“Em 2014 fechamos com 4% de participação no segmento de semipesados”, diz Victor Carvalho, diretor de vendas de caminhões da Scania Brasil. “Vamos trabalhar para crescer neste segmento de forma gradual para alcançar um market share de 10% nesta categoria”, afirma Carvalho.

O caminhão cabine estendida chega ao mercado com 150 quilos de peso a menos que a versão cabine leito, oferecendo ao cliente a possibilidade de carregar até 400 quilos a mais de carga útil. Isso foi possível com a redução nas medidas, o que garantiu 100 quilos a menos de peso no eixo dianteiro. E com o uso de pneus 275, que reduzem mais 50 quilos da pesagem total do caminhão.

“Estamos introduzindo a cabine estendida como a intermediária no mix de semipesados da marca. Com este modelo, o cliente vai poder transportar mais, com a mesma qualidade, acabamento, funcionalidade, ergonomia e conforto da cabine Scania, o que ainda propicia um posicionamento comercial mais competitivo”, afirma Wagner Tillmann, gerente de vendas de semipesados da Scania no Brasil. “As versões 4×2 e 6×2 de semipesados da marca já são reconhecidas no mercado pelo baixo consumo de combustível, por serem equipadas com motores de alto torque que trabalham em baixas rotações, e oferecem maior velocidade média de operação”.

A Scania começou a vender caminhões semipesados no mercado brasileiro em 2010 e emplacou somente três unidades. Mas foi em 2011 que a empresa passou a investir mais fortemente nesta categoria de veículo, com o lançamento do modelo P270 desenvolvido especialmente para aplicações em carga seca, caçamba, frigoríficos, tanque e sider/baú. Naquele ano conseguiu emplacar 323 veículos em um mercado altamente disputado, com vendas que totalizaram 58.424 unidades (16,9% a mais que em 2010).

No acumulado de janeiro a junho a Scania vendeu 498 caminhões semipesados no mercado brasileiro, volume 42,4% inferior aos 864 veículos vendidos no mesmo período de 2014. Do total de semipesados comercializados neste ano, 81% foram com clientes novos. “O que fez o cliente comprar um semipesado da marca foi o conforto, a ergonomia, o torque e o consumo de combustível muito inferior ao dos concorrentes”, justifica Carvalho. “Além de manter o foco no varejo, colocamos vendedores dedicados em todo o Brasil”.

Previsão

Depois de um período difícil, Carvalho acredita que o segundo semestre será um pouco melhor para a Scania. “A empresa sofreu muito no primeiro semestre por não ter produto para enfrentar o excesso de estoque de caminhões no mercado e por causa da contenção de compras dos frotistas que são os seus maiores clientes”, relata Carvalho. “Agora a Scania entra na disputa com igualdade de produção”.

No mercado de semipesados o grande potencial de vendas, segundo Carvalho, está nas regiões Norte e Nordeste, que chegam a emplacar o dobro dos modelos pesados, com destaque para Pernambuco. “Tem também o Ceará, aonde o índice de emplacamento de semipesados chega a 70%, bem acima do volume registrado no Centro-Sul do país”.

Em um momento de mercado retraído, a estratégia da Scania, segundo o diretor de vendas, é ter criatividade e ir ao mercado para ver o que o cliente precisa. “O nosso plano agora é regional e estamos indo no detalhe de cada região”, destaca o diretor.

Fonte: Portal Transporte Moderno Online




Deixe sua opinião sobre o assunto!