Dunlop faz recomendações para evitar custos extras na manutenção dos pneus

pneu




A Dunlop Pneus, empresa pioneira na tecnologia de pneus pertencente ao grupo Sumitomo Rubber Industries, tem como missão produzir constantemente pneus de alta qualidade para melhorar a performance de diversos tipos de veículos. Comprometida com a boa experiência de condução dos motoristas, a fabricante elaborou valiosas recomendações e orientações para evitar, principalmente, custos extras em momentos de economia.

No dia a dia, o motorista está sujeito a custos inesperados. Especialistas dizem que um carro 0km, mesmo parado, tem gastos de até R$ 10 mil por ano. Já circulando, a média sobe para R$ 12 mil. Em tempos de desaceleração na economia e orçamento apertado, um pneu furado, careca ou fora da validade pode virar rapidamente uma dor de cabeça.

Atenção com os pneus é essencial nesse momento, principalmente porque ele é o único ponto de contato do veículo com o solo. Portanto, é importante observar os itens a seguir:

1. Pressão – Se atente a pressão ideal do seu veículo e calibre regularmente. A recomendação é que a calibragem seja feita enquanto os pneus estão “frios”, ou seja, antes de rodar por muito tempo. Siga sempre a recomendação do manual do veículo e etiqueta de calibragem, colada normalmente na portinhola do tanque de combustível ou nas colunas das portas. Para garantir o funcionamento perfeito e a vida longa do pneumático, a calibragem deve ser feita semanalmente.

2. Checagem – Verifique os pneus constantemente para certificar-se de que não existem objetos estranhos na banda de rodagem, o que pode evitar perfurações e avarias.

3. Garagem – Se for deixar o carro parado por muitos dias seguidos, calibre os pneus e verifique se existem vazamentos nas válvulas. Também se lembre de manter seus pneus em lugares frescos e secos, protegê-los da luz do sol e afastá-los de equipamentos elétricos. Os pneus não devem entrar em contato com materiais derivados do petróleo ou outros compostos químicos, pois comprometem seu desempenho, podendo corroer e danificar os compostos de borracha.

4. Rodízio – Para o rodízio de pneus, garanta que todos eles (inclusive o estepe) tenham passado por todas as posições para evitar desgastes irregulares. Faça o procedimento entre 5 e 10 mil quilômetros para otimizar o rendimento dos pneus e assegurar um rodar confortável. Como um veículo é diferente do outro, sempre siga as orientações presentes no manual do proprietário.

5. Troca de pneus – Em toda troca de pneu, o veículo precisa receber válvulas de ar novas, passar por alinhamento para regular a direção, suspensão e balanceamento, para equilibrar o conjunto pneu mais roda. A substituição deve ser realizada a cada 10 mil quilômetros rodados para garantir o bom funcionamento do seu veículo.

Também é importante lembrar que os pneus são itens que garantem a segurança do veículo, por isso sempre observe o desgaste da banda de rodagem onde, por lei, os sulcos devem estar no mínimo com 1.6mm de profundidade. Abaixo disso, o pneu já passa a ser considerado “careca” e o condutor pode ser multado e ter o veículo apreendido.

Para conferir se o pneu está dentro da margem de segurança, é essencial verificar o indicador que fica entre os sulcos, chamado de TWI (Tread Wear Indicator). Quando os sulcos chegarem ao mesmo nível da marca, é hora de trocar.

A análise das condições gerais e manutenção dos pneus não só evita grandes problemas e gastos, como proporciona uma experiência muito mais segura para todos.

Fonte: Divulgação




Deixe sua opinião sobre o assunto!