O ônibus como solução para a mobilidade urbana

onibus do futuro - mercedes-benz (3)

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Em todo o mundo, a população das cidades está crescendo num ritmo muito rápido e, da mesma forma, aumenta a necessidade de mobilidade. A resposta para essa demanda não pode ser o transporte individual em todos os casos, especialmente nas regiões metropolitanas. Os ônibus fazem parte da solução para os desafios do tráfego. Nesse sentido, como provedora de mobilidade, a Daimler fornece mais do que apenas veículos adequados. Uma área especial da Companhia trabalha com sucesso, ao redor do mundo, no estabelecimento de sistemas de transporte baseados em ônibus. Uma das maiores ênfases são os sistemas BRT (Bus Rapid Transit), que possibilitam a ligação com subúrbios rapidamente, de forma barata e flexível, visando consolidar os fluxos de tráfego nas cidades e manter a mobilidade nas metrópoles.

Há mais de mil cidades ao redor do mundo com populações acima de 500 mil habitantes. Entre 20 e 40 milhões de pessoas consideram como suas casas regiões metropolitanas como as de Tóquio-Yokohama, Cidade do México, Nova York, Seul, Mumbai, São Paulo e Manila. Desde 2008, mais da metade da população do mundo vive nas cidades. As Nações Unidas preveem que esta proporção chegará a cerca de 70% em 2050.

Em todas essas cidades e regiões, as pessoas anseiam por mobilidade. Elas precisam chegar aos seus trabalhos ou escolas, fazer suas compras e se movimentar em seu tempo livre. Os desafios das regiões metropolitanas não podem mais ser resolvidos pelo transporte privado. Especialistas em tráfego têm registrado dados por meio de medições concretas: na Holanda, Bélgica e Alemanha, por exemplo, cada habitante gasta, em média, cerca de 40 horas por ano em engarrafamentos. Na Alemanha, as cidades de Stuttgart e Colônia são as “capitais do congestionamento”, com mais de 70 horas gastas em engarrafamentos.

Tráfego paralisado – o ônibus como parte importante da solução

A UITP (União Internacional dos Transportes Públicos) chegou a um cálculo simples: transportar 10 mil pessoas por uma distância de um quilômetro exige 2 mil automóveis, ocupando aproximadamente 24 mil metros quadrados de espaço viário. No caso de um ônibus de 12 metros de comprimento, como o Mercedes-Benz Citaro, são precisos apenas 100 veículos, ocupando um espaço de 3,2 mil metros quadrados. Se forem usados ônibus de alta capacidade, como o Mercedes-Benz CapaCity, bastam 50 veículos, ocupando cerca de 3 mil metros quadrados de via pública.

onibus do futuro - mercedes-benz (1)Nesse contexto, o BRT é uma maneira de evitar a iminente paralisação do tráfego. Estes sistemas se caracterizam por faixas exclusivas com paradas de ônibus separadas e livres de barreiras, conjuntos de semáforos exclusivos e formas especiais de cobrança, com venda antecipada de passagens. Dependendo da demanda de passageiros projetada, os elementos individuais do BRT podem variar de tamanho. Na América do Sul, esses sistemas assumiram o papel dos metrôs subterrâneos e têm mostrado bons resultados amplamente. Já as soluções europeias têm porte mais semelhante ao modal de bondes.

Sistemas BRT – baratos, flexíveis e rápidos de implantar

Vantagens dos sistemas BRT: eles são rápidos de implantar, baratos e flexíveis. Também reduzem a densidade do tráfego, diminuem as emissões de poluentes e o ruído, aumentam as velocidades de deslocamento e, de forma geral, elevam a qualidade de vida.

onibus do futuro - mercedes-benz (2)A Daimler Buses foi uma das pioneiras nesses sistemas com a implantação de um BRT na cidade de Adelaide, na Austrália, há cerca de 30 anos. Especialistas estimam que existam hoje cerca de 180 sistemas BRT em todo o mundo, empregando em torno de 40 mil ônibus e transportando aproximadamente 30 milhões de passageiros por dia.

Linhas BRT – um sucesso em todos os continentes

Atualmente, há BRT em todos os continentes, com novas linhas sendo planejadas e implantadas constantemente. Uma importante região é a América do Sul, onde cidades com rápido crescimento são servidas por essa solução. A cidade de Curitiba, no Brasil, por exemplo, foi pioneira nesse conceito de transporte, com a introdução de um BRT em 1968. Ao longo dos últimos anos, a cidade do Rio de Janeiro, sede de mega eventos esportivos, vem desenvolvendo um sistema que consiste de três corredores BRT, com uma extensão total de 150 km. Noventa ônibus articulados Mercedes-Benz, todos com quatro eixos e 23 metros de comprimento, estão em operação na linha “TransOeste”, a primeira a ser aberta. No Brasil eles são conhecidos como “Ligeirão”, isto é, “ônibus grande e rápido”.

A linha 34 “Metrobüs”, em Istambul, é igualmente fascinante. Ela é coberta por ônibus operando numa sucessão extremamente próxima, com mão inglesa. Os números são espetaculares: 52 quilômetros de extensão, 750 mil passageiros por dia. A espinha dorsal desse sistema são 250 ônibus articulados Mercedes-Benz CapaCity e 250 articulados Mercedes-Benz Citaro e Conecto.

Na Europa Central é comum a utilização de linhas BRT em sistemas locais, como linhas de alimentação desde os subúrbios de Nantes, Nancy e Estrasburgo, na França, por exemplo, ou para desviar o tráfego do centro da cidade em Granada, na Espanha. Na Holanda, a Linha 300 liga a cidade de Haarlem (155 mil habitantes) com o vizinho aeroporto de Schiphol e a região metropolitana de Amsterdam.

Especialistas em sistemas de transporte da Daimler assessoram cidades em todo o mundo

O BRT não é um território inexplorado para a Daimler Buses. Ao contrário, uma equipe de especialistas da Empresa assessora cidades e operadores de transporte em todo o mundo durante a introdução e posterior expansão de seus sistemas. Este serviço sem similar na indústria demonstra, mais uma vez, que a Daimler Buses é muito mais do que uma fabricante de ônibus. Além disso, ela acredita numa expertise totalmente abrangente e dá apoio durante o desenvolvimento de sistemas de transporte completos. A atual equipe vem trabalhando há pouco menos de dez anos e é formada por especialistas em planejamento de tráfego e transporte urbano. Estes profissionais atuam em todo o mundo. A equipe central está localizada na Alemanha e há também grupos no Brasil, México, África do Sul, Oriente Médio e Ásia. Devido ao seu conhecimento e experiências, os especialistas locais conhecem muito bem as características regionais.

Os especialistas em BRT examinam as estruturas de planejamento urbano e o comportamento da população quanto à mobilidade, além das vias e sistemas de transporte existentes. Eles utilizam esse conhecimento para desenvolver recomendações para o estabelecimento de linhas e rotas, paradas de ônibus, sistemas de pagamento e conceitos de veículos. E vão aos mínimos detalhes, como, por exemplo, a escolha da pavimentação correta para as vias ou dos elementos mais adequados do meio fio para os pontos de parada.

Os assessores se beneficiam de sua experiência e do conhecimento de um amplo espectro de diferentes sistemas BRT. As soluções resultantes são tão únicas como as próprias cidades. Na França, por exemplo, existe o sistema BHNS (Bus à Haut Niveau de Service – ônibus com alto padrão de serviço): são ônibus urbanos com detalhes de alta qualidade usados nas linhas BRT em Nantes e Estrasburgo. Eles influenciam os motoristas de automóveis a trocá-los por ônibus. Em outras regiões do mundo, como a América do Sul, Ásia ou África, as megacidades em rápida expansão exigem uma infraestrutura de transportes fundamental.

Veículos sob medida para o BRT com a estrela da Mercedes-Benz

A Daimler Buses atua com sucesso em todos os continentes como uma das marcas líderes mundiais na fabricação de ônibus. A marca Mercedes-Benz é o elemento central no que diz respeito a ônibus urbanos para serviço regular. Há um ônibus adequado para cada mercado e cada sistema BRT. O elemento principal dessa gama de veículos é o ônibus com piso baixo Citaro, oferecido em inúmeras variantes, e o ônibus urbano de maior sucesso no mundo, com mais de 50 mil unidades vendidas até hoje. O ônibus articulado CapaCity, com quatro eixos e grande capacidade, deriva dele. E uma opção muito próxima ao Citaro no segmento econômico, o Mercedes-Benz Conecto, atende todas as exigências para um ônibus de piso baixo funcional e custos reduzidos.

Para os mercados globais de chassis, a Mercedes-Benz também dispõe de numerosos modelos com motor traseiro ou dianteiro, para ônibus convencionais e articulados. Um bom exemplo é o OC 500 LE, um chassi de entrada produzido na Espanha. Um veículo de sucesso fabricado no Brasil e adequado para sistemas BRT, o superarticulado é um chassi para ônibus articulado com quatro eixos para uma carroçaria de até 23 metros de comprimento. A Mercedes-Benz trabalha juntamente com conhecidas encarroçadoras locais e regionais para complementar os ônibus.

Um exame no mapa-múndi confirma a abrangência global – a Mercedes-Benz produz o Citaro em Mannheim e Neu-Ulm, assim como em Ligny, na França, o Conecto em Hosdere, na Turquia e chassis para ônibus no Brasil, Colômbia, México, Argentina, Espanha, África do Sul e Indonésia.

Fonte: Mercedes-Benz




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *