A EXPOSIÇÃO – FORD F8 BIG JOB 6×4

ford big job

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Era um grupo de amigos
todos eles colecionadores.
Gostavam de caminhões antigos.
Investiram grandes valores.

Na reforma e na restauração
consumiram tempo e dinheiro.
Cada qual com seu caminhão.
Ícones do transporte brasileiro.

Mercedes Benz cinquenta e nove.
Scania Vabis, Volvo N 10 e Iveco.
Ford F8 Big Job com graça se move.
Motores roncam fazendo eco.

Levariam seus possantes
para uma grande exposição.
Depois disso, nada seria como antes
graças a um heroico caminhão.

Ford F8 Big Job sem pára-lamas
deixava expostos os pneus traseiros.
Cavalo trucado justificava a fama
de ser um dos melhores estradeiros.

Canos de escapamentos verticais
colocados atrás da cabina.
O que os novos fazem, ele faz.
Duas cornetas a ar na buzina.

O dono do Ford F8 Big Job
é o empresário Rodrigo
Ele sabe do que seu bruto pode.
Com ele seu pai puxava trigo.

Quando o pai de Rodrigo faleceu.
O Ford F8 Big Job ficou abandonado.
Foi aí que o rapaz entendeu
que o bruto, de seu pai era o legado.

Para Rodrigo é mais que um hobby.
Enquanto dirige aquele bruto potente.
O cavalo mecânico Ford F8 Big Job
é um sinal de seu pai ali presente.

Restaurou aquele potente cavalo
Cabine, motor, chassi, câmbio e diferencial.
Convencido por amigos passou a levá-lo
para exposições pelo território nacional.

Ao caminhão ia dirigindo
mas não viajava sozinho.
Outros caminhões antigos seguindo.
Seus amigos iam pelo caminho.

Em cada posto de combustíveis,
não cessavam as interjeições.
“Sensacionais”! “maravilhosos”! “incríveis”!
Assim eram elogiados os caminhões.

Rodrigo segue a frente dos demais
ao volante do Ford F8 Big Job.
Mostra do que o seu bruto é capaz.
Do jeito que desce seu caminhão sobe.

Aquela exposição agropecuária
uma das mais respeitadas do País,
Via-se de tudo naquela imensa área.
Uma multidão olhava tudo feliz.

De repente uma explosão.
Foi um corre-corre desesperador.
Como uma onda, aquela multidão
fugia tomada pelo pavor.

Um pequeno tanque havia explodido
e havia outro grande ali perto.
Se explodisse tudo estaria perdido.
Muitas mortes ocorreriam era certo.

O empresário caminhoneiro Rodrigo
deu partida no seu Ford.
Enfrentando aquele imenso perigo
correndo até risco de morte.

O tanque maior já em chamas
para as pessoas era a maior ameaça.
pneus traseiros sem para-lamas
tracionavam o bruto com raça.

Naquele chão coberto de pedriscos
que voavam pela força da tração.
Rodrigo aproximou-se apesar dos riscos.
No tanque engatou seu caminhão.

Não conectou nem as mangueiras
que acionariam freios do semirreboque tanque.
Acelerou ao máximo sua máquina estradeira.
Força do motor Detroit e rápido arranque.

Naquele tanque externamente
aumentavam as labaredas.
O Ford F8 Big Job, cavalo potente
arrastava-o por aquelas veredas.

Um tanque em chamas era puxado.
Poderia explodir a qualquer instante.
Rodrigo ainda continuava preocupado
pois da multidão não estava distante.

Havia ali um grande lago
e Rodrigo pensou com rapidez.
“Já sei como este fogo eu apago”.
Posicionou o conjunto por sua vez.

Entrou no lago de marcha-a-ré.
O semirreboque sob as águas sumiu.
Tirar seu caminhão Rodrigo tinha fé.
Escorregando para o fundo, ele sentiu.

Pé direito, máxima aceleração.
Patinavam pneus dos eixos traseiros.
Não conseguia sair apesar da tração.
Chegaram ao local seus companheiros.

Naquela situação negra, um brilho.
Os quatro caminhões antigos chegaram.
Ao Ford F8 Big Job dariam auxílio.
Quatro cabos nele rapidamente amarraram.

Scania, Volvo, Mercedes e Iveco juntos
puxaram o Ford para fora do lago.
Cavalo e semirreboque, pesado conjunto.
Aquele ato heroico não tinha como ser pago.

Mil cavalos somando-se a potência
daqueles cinco caminhões antigos.
Saíram dali com competência.
Abraçaram-se aqueles amigos.

Rodrigo foi o mais celebrado.
O grande herói daquele dia.
Com o Ford F8 Big Job trucado,
salvar muitas vidas conseguia.

Quando estava em firme terreno
O tanque foi devolvido a seu lugar.
Para o Ford F8, esforço pequeno.
Dez mil litros de gasolina a puxar.

Quando o povo ficou sabendo
do ato heroico de Rodrigo.
Aproximaram-se e agradecendo.
Por todos os presentes foi aplaudido.

Rodrigo agradeceu aos amigos
que salvaram sua vida e seu caminhão.
Encararam o maior dos perigos
para dele fazerem a salvação.

ROBERTO DIAS ALVARES




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *