Coluna Ed Trevisan – A importância de calcular o frete mesmo na crise!

business

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Sim, o país enfrenta a maior crise dos últimos 20 anos, e os transportadores estão entre os que mais sofrem com esta condição econômica.

Muito em função disso, vejo muita gente olhando apenas para o valor do frete, sem realmente entender se vale a pena ou não prestar tal serviço.

É claro que é preciso trabalhar, afinal as contas vencem todos os meses, e as vezes parece que não temos muitas escolhas.

Porém deixar de fazer o cálculo de fretes pode ser algo bem perigoso.

A composição dos custos diretos (fixos + variáveis) da frota, além dos custos indiretos (administração) precisa ser feita ao menos uma vez por mês.

Com a inflação batendo à nossa porta, todos os meses temos variações nos custos, e por isso eles precisam ser revisados constantemente.

Fazer o cálculo de fretes não é algo tão complexo assim, e por isso mesmo você não pode deixar de realizar esta rotina.

Caminhoneiros autônomos

caminhoneiroSe você é um caminhoneiro autônomo, então procure entender os seus custos por dois ângulos: tempo e distância.

Toda vez que seu custo for fixo, o cálculo precisa ser feito pensando no tempo (dias, semanas, meses, anos).

Toda vez que seu custo for variável, o cálculo precisa ser feito pensando na distância (km rodados ida e volta).

Custos fixos

Então vamos ver quais são os custos fixos que seu caminhão tem:

  • Depreciação de veículos;
  • Remuneração de Capital;
  • Licenciamento, IPVA e Seguro Obrigatório;
  • Seguro do Casco do Veículo.

Para calculá-los, eu sugiro que você pegue o valor total de um mês, e divida pelo número de dias que você normalmente trabalha (padrão são 22 dias).

O resultado será o custo fixo do seu caminhão por dia, e com essa informação você sabe quanto gasta todos os dias, rodando ou parado.

Custos Variáveis

No caso dos custos variáveis, são eles:

  • Combustível;
  • Arla 32;
  • Pneus;
  • Manutenção do veículo;
  • Lubrificantes;
  • Lavagens e graxas.

E para calculá-los por km rodado, eu sugiro que você pegue um período maior, 30 dias para diesel, arla, lubrificantes e lavagens, e 90 dias para pneus e manutenções.

Você precisará registrar quantos km rodou neste período, para que você possa fazer a conta.

Custo total direto

Sabendo quanto você tem de custo por dia (custos fixos) + o valor do seu custo por km rodado (custos variáveis), você será capaz de avaliar exatamente o seu custo toda vez que for fazer um novo frete.

Esse é o seu custo total direto (fixo + variável).

Só não esqueça que, além dos custos citados, você ainda tem alguns custos indiretos, como:

  • Contador;
  • Telefone;
  • Despesas de viagem;
  • Impostos.

Empresas

Empresa-TransportesJá para as empresas os custos são maiores, pois precisam:

  • Garantir ao embarcador a segurança da carga (GRIS, Seguro);
  • Pagar outros impostos (PIS, COFINS, CSSLL, IRPJ);
  • Arcar com a mão de obra do motorista + todos os benefícios previstos em lei;
  • Sustentar uma administração do negócio (aluguel, energia, telefone, funcionários).

E essa é só uma ideia, dependendo do tamanho da empresa de transportes os custos aumentam ou diminuem.

Por que calcular se o mercado não paga?

Na minha opinião, o cenário do nosso país não vai voltar aos tempos melhores nem em 2017.

Por isso, você tem duas escolhas:

  1. Continuar trabalhando da forma como está mesmo, apenas pagando as contas (ou talvez nem isso), deixando de calcular o frete para não sofrer ainda mais;
  2. Calcular o frete como se deve fazer, e talvez com o resultado encontrado você tire dentro de você as forças para buscar alternativas.

O mercado nunca vai ser ruim para todos, sempre existem oportunidades que ninguém te conta, mas para que elas apareçam você precisa estar no lugar certo e na hora certa.

O lugar e hora certas só aparecem para quem está preparado, e por isso te digo que, como primeiro passo, comece a se preparar calculando adequadamente os seus custos.

Se você tem dificuldades em encontrar bons fretes conte nos comentários abaixo, me diga qual tipo de carga você puxa.

Forte abraço.

Ed Trevisan




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *