Ações da PRF reduzem casos de exploração sexual




exploracao sexual rodovias

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Os trabalhos desenvolvidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes apresentam resultados e, em agosto de 2016, a sede de Ponta Grossa completa 21 meses desde o último crime do gênero flagrado nas rodovias federais da região. Para chegar a esse número, a PRF realiza uma série de trabalhos, em conjunto com órgãos governamentais e ONGs, que promovem ações de combate à exploração sexual de crianças e adolescentes.

Na região de atuação da PRF, Ponta Grossa apresenta uma redução no número de casos registrados, embora outros municípios, como Imbaú, Ortigueira e Guarapuava, ainda tenham pontos considerados críticos quanto à situação da exploração de adolescentes e crianças. “Realizamos frequentemente rondas para verificar possíveis pontos onde exploram menores de idade. Isso demanda um trabalho de inteligência, porque muitas vezes os adolescentes e crianças não ficam expostos nesses lugares”, explica o policial Havryluk.

As duas últimas prisões, em ações de combate a exploração sexual de crianças e adolescentes, aconteceram há quase dois anos. Em novembro de 2014, uma adolescente, de 17 anos, foi encontrada em situação de exploração sexual na Avenida Presidente Kennedy, trecho urbano da BR-376, e um homem que estava com ela foi preso. A outra situação, registrada em maio de 2013, encontrou uma adolescente, de 15 anos, sendo explorada sexualmente no perímetro urbano da BR-277, em Guarapuava. Um homem acompanhava a adolescente e foi detido.

O Projeto Mapear, apoiado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da Repúbilca (SDH/PR), visa o levantamento e atualização dos pontos de vulnerabilidade à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais do país. Verificou-se através do levantamento, entre outras informações importantes que, além da ligação com o consumo de drogas (lícitas e ilícitas), muitas crianças poderiam estar também enquadradas na situação de tráfico de pessoas.

Outro projeto da PRF, desenvolvido em parceria com a Childhood Brasil, é o Programa Na Mão Certa, o qual integra um esforço no sentido preventivo. Ele traz o setor privado para ação, por meio das suas operações logísticas e de transporte de carga rodoviário, com o objetivo de que também o caminhoneiro atue na proteção de crianças e adolescentes, mudando seu olhar e incentivando a denúncia de exploração sexual.

Fonte: A Rede




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *