Djalma Fogaça tem patrocínio inédito para manter equipe

djalma fogaca

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Por meio da venda de réplicas do Ford roxo que dirige na Fórmula Truck, o piloto sorocabano Djalma Fogaça, “o Monstro”, garantiu por esta temporada a paixão pela corrida. Os “truckinhos”, uma forma diferenciada de patrocínio, são produtos oficiais da Fórmula Truck e a tinta com que são pintados tem os mesmos pigmentos que dão cor ao truck original. Fornecidos a Fogaça mediante uma parceria com uma indústria de brinquedos, sua venda garantirá ao piloto a manutenção da equipe. O importante, para Fogaça, é se manter na ativa e pagar as contas.

A dificuldade para encontrar patrocinadores no primeiro semestre enterrou a possibilidade de brigar pelo campeonato da categoria. Fogaça corre há 34 anos. Levou o filho, Fábio Fogaça, também para as pistas. “Eu sou um privilegiado”, diz sobre a paixão pelas corridas, sem esquecer de citar também as dores no corpo causadas pela atividade.

Quase que o Monstro — apelido que, segundo ele, nasceu na transmissão da Fórmula Truck pela TV — não compete em 2016. Antes que a Usual Brinquedos o patrocinasse, fornecendo os minicaminhões para venda, o antigo fabricante das réplicas não havia renovado contrato. Outro patrocinador também iria retirar o apoio quando o piloto parceiro de Fogaça, Geraldo Piquet (filho do tricampeão de F1 Nelson Piquet), desistiu da temporada de 2016.

A conquista do terceiro lugar na etapa de Londrina, contudo, renovou a esperança de Fogaça. O patrocinador indeciso, a Autotrac, permaneceu. Apenas a conquista do campeonato é que ficou distante. “Fiquei fora de três etapas, que são seis corridas, então não tem expectativa de campeonato”, afirma o piloto sorocabano. Na etapa de São Paulo, por um milésimo, Fogaça não garantiu a pole. Mas isso não é problema. O Monstro subiu ao pódio oito vezes entre o ano passado e este, mesmo não estando em todas as corridas.

Cada réplica em miniatura do caminhão roxo que pilota custa R$ 50, valor inteiramente destinado ao piloto e equipe. Fogaça diz que vai vender por meio da internet. No entanto, na viagem que fez de Londrina a Sorocaba, nesta semana, já vendeu 40 unidades. “Com esse patrocínio, vamos conseguir pagar o custo”, complementa.

Profissão: piloto

Djalma Fogaça faz parte da história do automobilismo. Um verbete na Wikipedia informa seu longo e impressionante currículo: “campeão paulista de kart, campeão paulista e brasileiro de Fórmula Ford, campeão do GP de Ímola da Fórmula Opel, piloto revelação da Ômega Stock Car em 1996, iniciou na Fórmula Truck em 1997 com um caminhão Volvo”. Em julho de 2015, voltou a pilotar um monoposto pela primeira vez em 22 anos, na 4ª etapa da Copa do Brasil de Fórmula 1600, e venceu.

Com tanta atração pela velocidade, não planeja sair das pistas. A corrida é a profissão e o sustento da família. Logo adiante, porém, o Monstro revela que às vezes pensa em parar em função do filho. Ele avalia que a carreira de Fábio Fogaça precisa de um impulso. Ex-piloto da Stock Car, o jovem agora mantém uma equipe na Fórmula Truck. “Ele tem que aparecer mais”, avalia o pai.

Além da réplica do caminhão, em breve Fogaça promete colocar outro produto à venda: uma camiseta, que poderá ser comprada separadamente ou com o brinquedo. “O caminhãozinho é uma lembrança. As crianças gostam muito, os adultos também. As pessoas que curtem o trabalho da gente podem ter como enfeite, colocar sobre a mesa”, orgulha-se o corredor. As encomendas podem ser feitas diretamente com o piloto em sua página no Facebook: www.facebook.com/ djalmafogaca.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *