Trafegar com caminhão em má condição pode gerar multa grave




caminhao velho

800x150_blogodocaminhoneiro_02

A maioria dos motoristas de caminhão se preocupa em cuidar de seus veículos, afinal, além de ser o instrumento para se ganhar o pão é também dentro da cabine que passam boa parte do tempo. Porém, um grande número de motoristas ainda insiste em deixar de lado os cuidados básicos com a máquina, atitude que pode ocasionar um final infeliz nesta história.

A PRF tem como missão a segurança com cidadania. Por isso, age ostensivamente nas rodovias federais com a finalidade de assegurar a fluidez do trânsito e a fiscalização de veículos, além da documentação relativa.

Mesmo com todo o empenho na fiscalização e na prevenção aos acidentes de trânsito, esse esforço se torna em vão se o motorista não cuidar da manutenção do seu caminhão. Esse descuido pode lhe custar a própria vida, além da vida de terceiros inocentes.

A manutenção vai desde o item mais básico, como a chave, até um dos mais importantes que são os freios. A má conservação ocasiona muitos acidentes com resultados trágicos. A PRF, nesse sentido, realiza fiscalizações específicas para verificação da manutenção de veículos, para a prevenção de acidentes.

Nestas fiscalizações são verificadas as condições dos pneus, sistema de iluminação, sistema de frenagem, presença de equipamentos obrigatórios, além da documentação do motorista e do caminhão. Por fim, é verificado se o motorista ingeriu álcool e estava dirigindo.

A multa para o carreteiro que trafega com o veículo em mau estado de conservação é grave, com 5 pontos na CNH e R$ 127,69, além da retenção do caminhão para regularização. Até ser regularizado, o veículo não pode circular, podendo ser apreendido se o saneamento não for realizado. Por exemplo, se o Agente da PRF verificou que o caminhão está com pneus que não ofereçam segurança, ele vai ter que substituir o item para poder continuar a viagem.

Portanto, quando o motorista faz a manutenção preventiva, realiza a checagem periódica dos itens de segurança, além de economizar no tempo ele terá uma viagem segura, sem contratempos ou frustrações e, numa fiscalização, evita o aborrecimento de ter o veículo retido e ser multado por algo que é seu dever.

Fonte: Portal O Carreteiro




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *