60% de acidentes em rodovias envolvem motoristas profissionais, afirma auditora

acidente com caminhao

800x150_blogodocaminhoneiro_02

O Ministério do Trabalho, em parceria com a Agência Nacinal de Transportes Terrestres (ANTT), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Agência Goiana de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos (AGR), realizam ação de combate ao excesso de jornada de trabalho dos motoristas de ônibus intermunicipais e interestaduais, no Terminal Rodoviário de Goiânia, no Setor Central.

Só em 2015, foram pagos mais de 40 mil indenizações por morte de trânsito, além de mais de 15 mil por invalidez permanente. De acordo com a auditora fiscal do trabalho, Jacqueline Carrijo, cerca de 60% dos acidentes ocorridos nas estradas brasileiras envolvem motoristas profissionais, ou seja, condutores de ônibus ou caminhão.

“Apenas 4% da frota nacional é de ônibus e caminhões, e segundo nossas informações e dados, mais da metade, quase 60% desses agravos, acidentes e até indenizações, elas decorrem de acidentes que ocorreram com motoristas profissionais”, relata.

Ainda de acordo com a auditora, a fiscalização utiliza equipamentos como o tacógrafo dos veículos para verificar se os motoristas estão enfrentando jornada de trabalho excessiva.

“Nós fiscalizamos os crono-tacógrafos e os discos dos tacógrafos. A partir da informação de tempo e velocidade dos discos, nós levantamos a jornada de trabalho destes profissionais. Também colhemos depoimentos destes trabalhadores que têm obrigação de não mentir para a auditoria fiscal de trabalho durante o depoimento. No flagrante da jornada perigosa, nós fazemos a interdições dos motoristas”, explica.

Em caso de veículos sem o tacógrafo, a interdição ocorre por placar do veículo. De acordo com a auditoria, a jornada deve ter 8 horas trabalhadas e 2 horas de descanso intra-jornada e 11 horas de repouso entre uma jornada e outra.

“Nós condenamos as empresas, empregadores e gestores que colocam os motoristas para dormir dentro dos veículos. Ônibus e caminhão não é alojamento”, ressalta.

A fiscalização será realizada até a próxima sexta-feira (2). Outro alvo da operação é o transporte clandestino de passageiros.

Fonte: Portal 730 AM




13 comentários em “60% de acidentes em rodovias envolvem motoristas profissionais, afirma auditora

  • 23/10/2016 em 04:59
    Permalink

    colocam um caminhao tombado na foto e falam q a PRF foi fiscalizar empresa de onibus affff

    Resposta
  • 23/10/2016 em 04:45
    Permalink

    motoristas trabalham drogados por causo dessas porra de horario ou acham q nao queriam dormir a noite inteira como gente civilizada,de algum jeito tem q se manter acordado ou cochila e se mata ou mata uma familia e so a PRF fiscalizar tava tudo resolvido,60%das mortes sao profissionais,quem q passa a vida sentado atras do volante?a categoria B?

    Resposta
  • 01/09/2016 em 23:10
    Permalink

    E a cocaína não entra na auditoria, e os registros dos tacógrafos já montados para legalizar a jornada de trabalho, i a película de plástico nos discos de tacografos para impedir qua a caneta do registrador não ultrapasse os oitenta km, fiscaliza os veículos da Aranão in louco que terão uma surpresa, não so aranão muitas do sul, sudeste do pais, no oeste nem se fala, fiscalização já.

    Resposta
  • 01/09/2016 em 18:29
    Permalink

    Mas é óbvio… De todos os veículos na rodovia a maioria é profissional… Dado redundante e maquiado…

    Resposta
  • 01/09/2016 em 16:33
    Permalink

    Sem contar que na maioria dos acidentes são provocados por veículos menores e saem ilesos se ligam no assunto

    Resposta
    • 01/09/2016 em 23:15
      Permalink

      Para de culpar as estradas, muitos ditos profissionais, a grande maioria estão trabalhando drogados, ate mesmo sob efeito de cocaína . Assumam seus erros e parem com a matança.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *