Caminhões bloqueiam Calais na França em protesto contra campo de refugiados




caminhoes protesto calais

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Em um grande protesto, centenas de caminhões e tratores bloquearam nesta segunda-feira uma importante estrada no Norte da França. Caminhoneiros, agricultores e comerciantes pediam o fechamento do campo de refugiados da cidade de Calais. O local é conhecido como A Selva por conta do superlotamento e das suas dramáticas condições humanitárias.

Autoridades locais pediram que os motoristas evitassem a região, na esperança de limitar os efeitos do bloqueio. O objetivo da manifestação era paralisar o trânsito na rota utilizada para acessar o Reino Unido atavés do eurotúnel e do porto local. Cerca de 2 mil policiais foram enviados para proteger os acessos.

Os caminhoneiros que trabalham na região se dizem frustrados pelas tentativas dos imigrantes de subir em seus veículos para cruzar o canal da Mancha no caminho ao Reino Unido. E as empresas locais dizem que os imigrantes se converteram em um “fardo econômico” e mancham a imagem da cidade.

— Estamos fartos da situação migratória em Calais. Eles são cada vez mais agressivos — disse o caminhoneiro francês Blaise Paccou. — Saímos pela manhã. Não sabemos como vamos voltar à noite por causa das pedras e barras de metal que lançam contra nós.

Nos últimos meses, os imigrantes começaram a recorrer a táticas perigosas para obrigar os caminhões a frear e deixá-los subir na parte traseira. Alguns lançam ramos de árvores e outros objetos. A prática representa um risco aos caminhoneiros e aos seus próprios autores. Sete imigrantes já morreram durante este ano nas estradas.

Na sexta-feira, o ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, prometeu que o governo desmantelará o campo “em uma operação controlada” o mais rápido possível. No entanto, os manifestantes pedem uma data precisa para o fechamento do local.

As tensões aumentaram em Calais enquanto o número de abrigados chegava a pelo menos 7 mil pessoas no campo de refugiados — que se tornou um símbolo dos desafios impostos pela crise migratória à Europa. A maioria dos refugiados no local tenta chegar ao Reino Unido na fuga das guerras e da pobreza no Oriente Médio e na África.

No entanto, grupos humanitários adverem que o fechamento precipitado do campo de Calais poderia dispersar os imigrantes, agravar os problemas da cidade e agravar ainda mais o drama humanitário. Embora as condições locais sejam lamentáveis, lá os refugiados têm acesso a alimentos e chuveiros.

Fonte: O Globo




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *