Coluna Mecânica Online – Quanto vale a tecnologia em seu automóvel?

destaque

800x150_blogodocaminhoneiro_02

O brasileiro realmente é um povo que merece sempre ser estudado. Ele é apaixonado por automóvel, mas muitas vezes investe de forma errada seu rico dinheirinho conquistado num automóvel que não reflete o valor pago. Explico. Carro nesse momento de crise está caro, então, cada elemento que valoriza seu automóvel é uma conquista, principalmente quando o assunto é segurança e tecnologia.

Vou considerar três modelos recentes: Honda Civic com valor entre R$ 88 mil e R$ 125 mil em sua décima geração, Ford Fusion 2017 com preços entre R$ 121.500 e R$ 154,500 e o novíssimo Jeep Compass revelado em Pernambuco com preços entre R$ 99.900 e R$ 149.900.

Observando o aspecto de preços, é possível que qualquer um dos três modelos consigo satisfazer o comprador, mas o que cliente realmente quer?

Se ele procura design por exemplo, o Honda Civic é disparado o mais bonito e queridinho do pedaço. O modelo não passa desapercebido na rua. Todos os olhares acompanham o modelo e não faltam motivos de elogios.

Ao desenvolver o novo Civic, os designers e engenheiros da Honda tinham como objetivo entregar um sedã mais esportivo e premium, que resgatasse as proporções mais agressivas e o porte mais atlético das gerações anteriores, com um claro avanço do design para o futuro. O novo Civic é mais baixo e largo, com um pequeno balanço frontal e um conjunto de rodas e pneus mais largos que criam uma combinação mais esportiva das rodas com a carroceria e ao mesmo tempo nos faz lembrar mais do Accord que da geração anterior.

Seus traços marcantes são complementados e acentuados por detalhes de design como os vincos elegantes que percorrem a carroceria, a dianteira angulosa e agressiva e os arcos de rodas destacados. O desenho de capô elevado define as linhas de caráter da nova dianteira que segue a identidade visual Solid Wing Face, destacando o emblema Honda no centro da moldura cromada (black piano na versão Sport) em forma de asa e margeado pelos novos faróis com iluminação totalmente em LED na versão Touring.

jeep_compass_longitude_diesel_028-4As colunas de para-brisa ultrafinas dão ao interior um ar arejado e boa visibilidade, unindo-se à linha do teto e formando um arco suave que segue pela coluna C e termina nas lanternas traseiras em formato de bumerangue, iluminadas por LED. O efeito geral é de dinamismo e sofisticação, que dá ao novo Civic uma estética inconfundível.

E a tecnologia? Sentimos falta de tecnologias que permitam uma condução mais segura e confortável. Claro que o segmento não é o mesmo, mas o Ford Fusion 2017 surge como uma alternativa interessante através de tecnologias semiautônomas e sistemas inéditos desenvolvidos para oferecer o que há de mais avançado em segurança, conveniência, conectividade e conforto.

Suas novidades incluem alerta de colisão com assistência autônoma de frenagem, sistema autônomo de detecção de pedestres e piloto automático adaptativo com “stop and go”, que contribuem para torná-lo um dos carros da categoria mais seguros do mundo.

Esses equipamentos completam a lista de itens de segurança da linha, que já conta com sistema de permanência em faixa, monitoramento de ponto cego com alerta de tráfego cruzado, sistema de detecção de cansaço, 8 airbags (dianteiros, laterais, de cortina e de joelhos para o motorista e passageiro) e cintos traseiros laterais infláveis – uma exclusividade da marca.

Chave com sensor de presença para acesso inteligente e partida sem chave, ar-condicionado automático de dupla zona com saída para os bancos traseiros, partida remota, sensor de chuva e tomada de 110 V são outros itens oferecidos pelo modelo que mostram a preocupação da Ford em oferecer o que há de mais atual em recursos de tecnologia em um veículo no Brasil.

E qual a razão do Jeep Compass aparecer por aqui? Talvez ele seja um equilíbrio interessante entre custo e itens de tecnologia oferecidos.

Antes mesmo de entrar no Jeep Compass, a chave de presença Keyless Enter ’n’ Go (de série a partir das versões Longitude) já começa a apresentar a extensa relação de equipamentos tecnológicos, feitos para facilitar e, em especial, proteger todos os ocupantes.

Com a chave no bolso, é possível entrar no veículo e dar a partida apertando o botão na coluna de direção. A chave de presença pode ainda contar com a opção da partida remota do motor, possibilitando climatizar previamente a cabine.

Bem à frente do motorista, a tela configurável de TFT (presente em todas as versões) no quadro de instrumentos apresenta quase duas dezenas de informações do computador de bordo e de outros sistemas, a exemplo de áudio, navegação GPS, telefonia e recursos de segurança.

Ela pode ser colorida e de 7 polegadas, destacando ainda mais o refinamento interno. Tudo acionado por botões no raio esquerdo do volante, que também abriga comandos do controle de velocidade de cruzeiro (incluindo ACC, quando equipado), do limitador de velocidade e de áudio. O bem-estar a bordo pode ser ampliado com bancos elétricos para motorista (8 direções) e passageiro (4).

O pacote de série de segurança inclui, entre outros itens, controle eletrônico de estabilidade (ESC), sistema anticapotamento (ERM), sistema de monitoramento de pressão de pneus (TPMS), controle de velocidade de cruzeiro, controle de partida em subida, assistente de partida em rampa (HSA), freios a disco nas quatro rodas com ABS, três pontos de fixação de cadeiras infantis Isofix, repetidores de direção nos retrovisores externos, faróis de neblina com função cornering (acende do lado que se esterça em manobras ou em baixas velocidades) e direção de torque dinâmico (DST), que induz o condutor a virar o volante corretamente em uma situação de perda de aderência.

Entre os opcionais para as versões Sport e Longitude (de série para Limited e Trailhawk) há mais dois air bags laterais, dois de cortina e um para os joelhos do motorista, totalizando sete bolsas quando somadas às duas frontais obrigatórias.

Mas o maior destaque é o conjunto de recursos que faz o Jeep Compass atingir um patamar inédito entre os veículos nacionais. Ele é formado pelo controle de adaptativo de velocidade (ACC), monitoramento de mudança de faixa (LDW), farol alto automático (AHB) e aviso e prevenção de colisão frontal (FCWP), que engloba frenagem automática. Outro item de alta tecnologia é o sistema de estacionamento automático, o Park Assist, que opera em vagas paralelas e perpendiculares.

O objetivo deste texto é unicamente alertar você a manter o foco na escolha de um automóvel. Em nosso dia-a-dia de especialista automotivo é comum a pergunta sobre “qual carro eu deveria comprar?”, e a resposta vem sempre depois de uma análise das suas necessidades e desejos. Boa sorte na hora de investir seu importante dinheiro.


Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet (www.cursosmecanicaonline.com.br), uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *