Toyota Hilux vai mal em teste do alce na Suécia




toyota-hilux

800x150_blogodocaminhoneiro_02

Em 2007, a Toyota passou por maus bocados após a Hilux realizar um desastroso teste do alce. Agora, nove anos depois, a história se repete: a atual geração da picape também foi reprovada em uma avaliação na Suécia por quase capotar durante as manobras.

Realizado pela revista sueca Teknikens Värld, o teste reuniu as principais representantes do segmento das picapes médias no país: Isuzu D-Max (gêmea da Chevrolet S10), Ford Ranger, Nissan Frontier, Volkswagen Amarok, RAM 1500 e Mitsubishi L200 Triton, além, é claro, da Hilux. Chamada de “teste do alce” (por causa da profusão de animais nas estradas do país), a avaliação consiste na mudança brusca de trajetória em velocidades entre 64 e 68 km/h, com carga intermediária na caçamba. Veja o vídeo abaixo.

Enquanto todas as demais picapes realizaram as manobras sem sustos, deslizando a dianteira no limite, os pneus do lado direito da Hilux perderam contato com o solo e quase fizeram o utilitário capotar, resultando em reprovação. A primeira unidade, da versão topo de linha, estava equipada com rodas aro 18 calçadas por pneus 265/60. A segunda, de uma configuração mais simples, tinha rodas de 17 polegadas e pneus 265/65. Mesmo com rodas menores e diversos sistemas de assistência, a picape ficou de pernas para o ar.

Para os suecos, há três causas para o fenômeno: excesso de aderência nos pneus do lado externo das curvas, centro de gravidade elevado e ineficiência do controle de eletrônico de estabilidade – uma das novidades da geração atual da picape.

Em nota, a Toyota da Suécia se diz surpresa com o desfecho dos testes realizados pela publicação. “A Hilux foi testada repetidas vezes de acordo com os parâmetros da ISO 3888 para testes de manobras evasivas durante o desenvolvimento do modelo, e passou em todos com sucesso”, apontou a fabricante, que prometeu analisar o ocorrido.

Fonte: Quatro Rodas




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *