Fora de linha no Brasil, Fiat Ducato pode vir do México




Este fim de ano também marca o fim da Fiat Ducato. Fim pelo menos como carro nacional. A Fiat encerrou sua joint venture com a Iveco, que produzia a van na fábrica de Sete Lagoas desde 2000. Com isso, 300 colaboradores foram demitidos na unidade.

A Fiat diz que isso se deu apenas por uma estratégia comercial. Há estoques da Ducato para os próximos meses e, depois disso, a van passará a ser importada, possivelmente em sua “nova” geração – que foi lançada na Europa há dez anos e reestilizada pela última vez em 2014.

A geração mais recente da Fiat Ducato chegou a ser testada no Brasil em 2010, mas os planos de produzi-la localmente nunca foram adiante. As vendas hoje não justificariam a produção local: fechará o ano com menos de 3 mil unidades vendidas, contra as 7 mil vendidas em 2015.

Além de design mais arrojado, com direito a faróis com leds próximos do para-brisas, a Ducato mais recente tem mais equipamentos de conveniência, como central multimídia e comandos no volante, além de carroceria mais rígida. Além do motor 2.3 Multijet de 127 cv dos carros vendidos no Brasil, ela ainda usa um 3.0 de 180 cv a diesel e o V6 3.6 Pentastar de 283 cv para os carros vendidos nos EUA, onde chega como RAM Promaster 1500.

Atualmente a Fiat Ducato é oferecida no Brasil nas versões Minibus Teto Alto, Multi Teto Alto, Minibus, Maxicargo 10 m³, Cargo L, Maxicargo 12 m³ e Cargo, com preços que começam em R$ 103.350.

Fonte: Quatro Rodas

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!