Coluna Mecânica Online – Scania comemora 60 anos nas estradas brasileiras




Desde que nascemos estamos em constante evolução, buscando compreender o mundo e estarmos preparados para os desafios que surgem a cada novo dia. Este mesmo conceito é aplicável quando consideramos o nascimento de uma empresa: inovação, pioneirismo e evolução.

Essa é a história da Scania, fabricante sueca que chegou pelo Brasil em 1957, inicialmente chamada Scania-Vabis do Brasil S/A – Motores Diesel, no dia 02 de julho, com escritório na Líbero Badaró, depois seguiu para São Bernardo do Campo e escreve até hoje sua trajetória através de uma engenharia de ponta, qualidade dos produtos, força da rede de concessionárias e foco na necessidade do cliente.

Duas palavras traduzem bem a linha do tempo da Scania em seus 60 anos de Brasil: inovação e pioneirismo.

A revolução do L 75, em 1958, mudou o conceito do que era oferecido de caminhão no país; a introdução da direção hidráulica, em 1963, no ônibus B76; suspensão pneumática no eixo traseiro dos ônibus, em 1968; a nova revolução com a chegada dos “Jacarés”; o primeiro ônibus com motor traseiro (BR115) no ano de 1972; em 1974 com a inauguração da cabina “cara-chata” com o LK 140; primeiro articulado do país (B111 RS), em 1977; lançamento do intercooler, em 1983; a transformação do que era um caminhão com a chegada da Série 3, em 1991, até hoje uma das mais lembradas.

O ano de 1995 marca a apresentação do chassi 8×2; Em 1998 temos outras duas novidades no mercado: o freio auxiliar Retarder e a injeção de combustível totalmente eletrônica; L94 UB: primeiro ônibus urbano de piso baixo (1999); em 2001 dois pioneirismos: a caixa automatizada Opticruise e o ônibus de 15 metros; no mesmo período, um novo jeito de pensar e fazer Serviços é implantado, sem precedentes na indústria; a nova elevação do patamar de um caminhão, em 2007, com a chegada da família P, G e R, e de ônibus com a Série K, no ano seguinte; apresentação do Driver Support em 2010.

Em 2011, importantes contribuições ao meio ambiente: pioneira marca a comercializar os motores Euro 5, e venda dos primeiros ônibus e lançamento do caminhão, ambos a etanol e inaugurais na América Latina; ainda em 2011, elevação ao patamar premium nos semipesados com o P 310 euro 5, inovador ao trazer tração 8×2, caixa automatizada Opticruise opcional, cabine leito e suspensão pneumática; em 2013, chega ao mercado o Streamline, que oferece um caminhão 4% mais econômico que o Euro 5 tradicional.

Vamos para janeiro de 2014, quando foi a vez de inovar e tornar o câmbio Opticruise de série nos semipesados; em 2015 lançamentos do caminhão rodoviário 8×2 com quarto eixo original e do biarticulado, o primeiro com motor dianteiro; o ano de 2016 marcou a chegada do primeiro ônibus nacional movido a GNV/biometano.

No início de 2017 tivemos a apresentação dos Serviços Conectados Scania. Em março foi a vez do lançamento da Edição Especial comemorativa de 60 anos, que homenageia o lendário T113 com os modelos R 440 e R 480.

“Nossa história é baseada em confiança e relacionamento com o cliente para entregar rentabilidade. Nós investimos ao longo das últimas décadas para ajudar a transformar o transporte nacional. E, vamos continuar aportando recursos nessas próximas. Agora, assumimos uma jornada com os clientes em direção a sermos parceiros para a transição para um sistema de transporte sustentável”, afirma Roberto Barral, diretor-geral da Scania no Brasil.
Seis décadas de muitas conquistas e surge o desafio de pensar como serão os próximos 60 anos. Qual o sistema de transporte? Robôs, serviços conectados, caixa automatizada Opticruise, motor a etanol, ônibus wi-fi, indústria 4.0? A lista de coisas que não existiam em 1957 é imensa.

Para celebrar as conquistas de sua trajetória, a fabricante sueca escolheu como protagonista o futuro. “A gente aprende com o ‘ontem’ e trabalha no ‘hoje’ com olhar sobre o ‘amanhã’”, diz Barral, fazendo referência à campanha que a Scania produziu para seu aniversário.

Mas e como será o amanhã? “O futuro na Scania é sempre escrito em tempo real. Apoiado em três pilares: eficiência energética, combustíveis alternativos e eletrificação e transporte seguro e inteligente. Nós nos preparamos para enfrentar desafios globais postos pelo crescimento das populações e pela demanda por transporte de pessoas e cargas que causam impacto ambiental e econômico na sociedade”, destaca Rogério Rezende, diretor de Assuntos Institucionais e Governamentais da Scania Latin America. “Não há uma única solução.”

É partindo de uma base sólida que a Scania avança em cada um desses três campos. Apresentou na Europa seu caminhão autônomo e colocou para rodar nas vias de Estocolmo veículos movidos a eletricidade, sem falar no ônibus abastecido via wireless e outras soluções que já fazem parte do presente em muitos lugares do mundo.

Segundo Barral, no futuro bem próximo teremos uma matriz de combustíveis mista. “Aqui já temos disponíveis produtos movidos a combustíveis alternativos, como biometano, gás natural, biodiesel e etanol.” A Scania é a montadora que tem o maior portfólio de motores movidos a combustível alternativo do mercado. Algumas combinações podem chegar a até 90% em redução de emissão de CO2.

No campo da conectividade, as oportunidades de aumento de eficiência são evidentes. “Comprometida com geração de valor para o cliente, a Scania investe em transformar dados em inteligência e faz da conectividade sua aliada na oferta de soluções de transporte sustentáveis e completas”, diz o diretor-geral da Scania Brasil.

“São sempre as mudanças na vida das pessoas que impulsionam a inovação. No sistema de transporte não é diferente. Nosso negócio deriva das necessidades da sociedade, mas principalmente da capacidade de enxergar o presente e vislumbrar o futuro. Há tempos deixamos de vender apenas ônibus ou caminhões. Transformamos nossos produtos e serviços em soluções para os clientes. Agora, soluções para um transporte sustentável. Esse é o tom do novo capítulo que a Scania começa a escrever no Brasil”, afirma Rogério.

A continuidade da trajetória da Scania no Brasil já podemos adiantar até 2020, por meio do anúncio do aporte de R$ 2,6 bilhões em suas operações no mercado brasileiro. Até lá os novos recursos serão destinados ao desenvolvimento de novos produtos, atualização e modernização do parque industrial de São Bernardo do Campo, bem como à rede de concessionárias.

2017 com certeza será um ano de merecidas comemorações para a Scania, que não perdeu tempo e já realizou a primeira. Foi uma emocionante homenagem com os principais veículos de comunicação da imprensa especializada, que foram agraciados um a um com uma placa de agradecimento por fazerem parte dessa história. Fico feliz por ter participado deste momento único, ampliando o desejo de ainda mais sucesso para a fabricante e seus segmentos.

Tarcisio Dias – Mecânica Online




Deixe sua opinião sobre o assunto!