Polícia registra 30 roubos de cargas de caminhões por dia em SP no primeiro trimestre




Polícia Civil registrou 30 roubos de carga por dia no primeiro trimestre deste ano no estado de São Paulo, informou nesta quinta-feira (18). O principal alvo dos ladrões são alimentos, eletroeletrônicos, cigarros e pneus.

Segundo dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP), foram, ao todo, 2.762 roubos:

Roubos de carga no estado de SP:

  • Janeiro – 844 roubos
  • Fevereiro – 865 roubos
  • Março – 1.053 roubos

As marginais Pinheiros e Tietê e a região central (especialmente a Rua 25 de março) são as regiões com mais casos de roubo de carga na capital. As transportadoras estão investindo em tecnologia para combater esse tipo de crime.

Uma empresa que fica em Guarulhos, na Grande São Paulo, monitora a frota 24 horas por dia numa central. Na tela do computador aparece a localização exata dos caminhões.

Dá para saber se o motorista fez ou não uma parada programada. Os produtos também têm rastreadores e, mesmo se a carga for levada, dá pra recuperar. A empresa não transporta mais cigarros, celulares e pneus, produtos que mais atraem os bandidos.

“Os marginais estão sempre evoluindo no conhecimento e nós temos que evoluir junto com eles ou até um pouco na frente, para poder ter um pouco de saúde financeira da nossa empresa”, disse o gerente de riscos da transportadora, Antonio Marim.

Outras transportadoras também usam serviços de rastreamento para diminuir os prejuízos. Nesta quinta, por exemplo, às 7h, três bandidos bloquearam um caminhão e roubaram 130 caixas frios que seriam entregues no comércio. O motorista e o ajudante procuraram a polícia.

O rastreador registrou que os ladrões estacionaram o caminhão para descarregar a carga no Jardim Mirna, na Zona Sul da capital. Três horas depois, os investigadores recuperaram todos os alimentos.

Na capital o aumento foi considerável. Se no primeiro trimestre do ano passado foram registrados 1.329 crimes do tipo, no mesmo período ocorreram 1.613 roubos de carga, o que representa aumento de 21,3%.

O motorista José Carlos da Silva viveu essa situação na pele. Os ladrões cercaram o caminhão que ele dirigia. “Eles vieram, ultrapassam e frearam na minha frente. Mandaram a gente descer, então desceram mais uns três [bandidos] do carro. Já foram lá para trás do baú”, contou. “Eles, com as armas na mão, aquela pressão, o medo bate na gente e a gente faz o que eles pedem.”

Genivaldo Luiz da Silva, também motorista, usou a tecnologia para não ser assaltado. Acionou o botão de pânico quando viu a dupla fortemente armada indo para cima dele. A empresa chamou a polícia. “Houve uma troca de tiro intensa, Polícia Rodoviária Federal e bandido vindo a alvejar alguns policiais, e, nesse momento, eu só orava a Deus e dentro do caminhão”, disse. “Foi um momento terrível, terrível, que o ser humano pode passar.”

O Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo e Região informou que uma das soluções para o problema dos roubos é o combate ao receptador.

A SSP informou que, no primeiro trimestre, já prendeu 179 suspeitos em flagrante por roubo, furto e apropriação indébita de cargas. Segundo a pasta, houve outras 111 prisões em flagrante por receptação.

Fonte: G1




Deixe sua opinião sobre o assunto!