Caminhoneiros cobram radar contra roubos de carga na região de Ribeirão Preto




Diante do aumento de roubos de carga na região de Ribeirão Preto (SP), caminhoneiros cobram a volta dos radares inteligentes, que identificam veículos furtados ou roubados em circulação: um equipamento instalado na Rodovia Cândido Portinari (SP-334), em Franca (SP), e outro na Rodovia Anhanguera (SP-330), em Orlândia (SP), foram desativados há dois anos.

Responsável pelos radares, apelidados de “dedo duro”, o governo de São Paulo abriu uma licitação no ano passado para retomar o monitoramento das estradas. Até agora, no entanto, o certame não foi ncluído. Outros 40 equipamentos também continuam desativos em todo o Estado.

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que a nova licitação deve ampliar para 220 o número de radares inteligentes fixos nas rodovias estaduais, mas não dá prazo para fechar o contrato e colocar o sistema em funcionamento.

A Polícia Militar Rodoviária garante que, apesar da importância estratégica dos radares fixos, dispõe de equipamentos móveis para detectar veículos suspeitos.

Entretanto, dados da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo apontam alta de 250% nos roubos de carga entre janeiro e abril, em comparação com o mesmo período do ano passado, apenas em Ribeirão. Ao todo, foram 21 ocorrências.

“A ladroagem está muito grande e tendo esse radar fixo dificulta mais um pouco rodar pela estrada”, afirma o motorista Pedro Troiani Filho, que já teve dois caminhões roubados.

Radares inteligentes

Os radares inteligentes foram desligados em abril de 2015 com o encerramento do contrato com a empresa responsável. Na região de Ribeirão , eles funcionavam no quilômetro 371 da Anhanguera, em Orlândia, e no quilômetro 392 da Cândido Portinari, em Franca.

Além de detectar se o veículo é roubado, os equipamentos apontam se a documentação está em dia. Sem essa tecnologia, motoristas como José Carlos Bertoldo dizem que ficou mais fácil para os ladrões trafegarem com cargas roubadas.

“Se com aquilo já tinha roubo, imagine o ladrão sabendo que não tem mais isso. A tendência é crescer cada vez mais”, afirma.

Fiscalização continua

Em nota, o DER informou que as rodovias paulistas continuam a ser monitoradas, independente dos radares inteligentes, que estão em fase de licitação – o certame atrasou devido a questionamentos feitos pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE).

“O certame foi retomado em setembro de 2016. O novo contrato contempla mais pontos de fiscalização, que passam de 42 para 220”, comunicou o DER.

Atualmente, as estradas do Estado contam com 803 equipamentos, sendo 436 localizados nas áreas do DER, 267 nas rodovias sob concessão e 100 equipamentos portáteis nas viaturas da Polícia Militar Rodoviária, além de 1.112 câmeras.

Fonte: EPTV

Inscreva-se




4 comentários em “Caminhoneiros cobram radar contra roubos de carga na região de Ribeirão Preto

  • 19/06/2017 em 10:42
    Permalink

    Infelizmente na hora de proteger o cidadão tem sempre atrasos, mais na hora de arrecadar são campeões, o Estado de São Paulo já passou da hora de colocar um fim em roubo de cargas, aparelhar e integrar as policias, ter leis mais rígidas, aconteceu comigo, o cidadão roubou meu caminhão, deixou esfriar e depois foi buscar, eu tinha rastreador e chamei a policia, o cara foi buscar o caminhão e a policia o pegou, ele disse que havia sido contratado para dirigir e saiu de boa da delegacia sem maiores problemas, e me disseram na própria delegacia que não era a primeira vez que ele estava ali pelo mesmo motivo, agora me faça um favor né, todos sabem das jogadinhas destes ladrões, e eu fiquei com um imenso prejuizo.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!