Scania comemora 60 anos de Brasil com exposição histórica




No último dia 02 de Julho, a Scania comemorou 60 anos de Brasil. São 60 anos de histórias e de uma infindável quantidade de evoluções técnicas nos modelos produzidos. Dos pequenos L-75 de 165 cavalos de potência com cabine simples e praticamente sem conforto, para os poderosos R620 Streamline, com motores V8 de 16 litros e 620 cavalos, e com conforto e ergonomia melhores que de muitos carros de luxo, a Scania evoluiu junto com o Brasil, trazendo progresso e se tornando sinônimo de caminhão no nosso país.

Para comemorar a data, a empresa organizou uma exposição dentro da fábrica, para convidados e imprensa, apresentando dez modelos icônicos, sendo nove caminhões e um ônibus, com as mais variadas histórias. O primeiro modelo é um Scania L-71, importado da Suécia, que pertence ao colecionador Oswaldo Strada. O L 71 era impulsionado por um motor D642, de 9,35 litros e seis cilindros, com injeção direta e 150 cv. A capacidade máxima de tração chegava a respeitáveis 35 toneladas.

O segundo caminhão exposto é um L-75, pertencente à Laurindo Cordiolli, da Cordiolli Transportes, fabricado em 1959 pela Vemag, que fazia a montagem final dos modelos, importados em CKD da Suécia. Outro modelo exposto é outro Scania L-75, porém já fabricado pela Scania-Vabis, e que hoje pertence a Atílio Contatto, Transportadora Contatto. O modelo marca a transição para a maior nacionalização do caminhão. O próximo caminhão exposto foi lançado no final de 1963, e que hoje pertence à Maicon Galiotto, trata-se do Scania L-76, com muitas mudanças frente ao L-75, como o motor mais potente, e novas versões, como a LT, com tração 6×4 e LS, para tracionar carretas. O motor passava a contar com 195 cv, potência alta para a época.

O próximo veículo da exposição marca a chegada do motor V8 ao país. Pertencente ao colecionador Antônio Sérgio Hurtado, foi apresentado em 1974 o Scania LK-140, modelo que passou a ser reconhecido como Rei da Estrada. O motor DS14, de 14 litros e 350 cavalos era o mais potente da América Latina. Em setembro de 1975 a Scania apresentou outro modelo que se tornou uma lenda nas estradas brasileiras: O Scania 111, primeiro veículo fabricado na nova linha de montagem da Scania em São Bernardo do Campo. O caminhão tinha 203 cv de potência, e ganhou fama por sua resistência. Também tinha cabine leito e direção hidráulica. O modelo ficou conhecido como jacaré, e a cor alaranjada da cabine é inconfundível. O modelo exposto é o primeiro caminhão Scania comprado por Ivan Camargo, dono da I.C.Transportes.

Já na década de 1980, a Scania apresentou o modelo 112, com cabine projetada por Giorgetto Giugiaro, e com um cuidado muito grande com a aerodinâmica. O modelo teve uma vida longa e fez muito sucesso nas rodovias brasileiras, tendo a produção encerrada em 1991. Em 1983 o modelo passava a contar com intercooler, equipamento para motores turbo-alimentados que operam com resfriamento de ar de admissão. Os caminhões da linha T 112 ganharam mais potência e torque, o que resultou em mais economia de combustível durante a operação. Foi nessa época que foi apresentado o modelo 142H, com motor de 410 cavalos e versões cara-chata e bicuda. O modelo exposto ainda trabalha, e pertence a Cristian Lando, da Andreló Transportes.

Em 1991 era apresentado o modelo 113H. O modelo exposto pertence à Cortesia Concreto e fez parte do vídeo de lançamento da série especial em homenagem à série 3. A série 3 se destacou por ser a linha de caminhões Scania mais vendidos no Brasil, passando das 25 mil unidades até 1998, quando a produção foi encerrada. Com potências variando de 320 a 450 cavalos, os modelos se destacavam pela evolução tecnológica e também pela facilidade de manutenção. O conforto para o motorista passou por grandes melhorias.

O último caminhão da exposição é um Scania T124, que pertence a própria Scania, e foi protótipo para o início da produção da série 4 no Brasil. O modelo fez parte do lançamento da série 4, considerado um dos maiores lançamentos da história da Scania. Foram mais de 8 mil convidados. Esse modelo em especial é utilizado pela Scania, dentro da fábrica, para transporte de longarinas.

O único ônibus da exposição é um modelo que pertence ao acervo da Viação Cometa. O modelo foi restaurado e fez 65 viagens comemorativas para o aniversário de 65 anos da empresa. O modelo era produzido pela CMA, da própria Cometa, sobre um chassi Scania K113CL, com 360 cavalos. O ônibus se tornou um ícone das estradas pelo conforto e velocidade que rodava.

Alguns dos modelos presentes nessa exposição estarão expostos pela Scania na Fenatran.

Inscreva-se




4 comentários em “Scania comemora 60 anos de Brasil com exposição histórica

  • 12/07/2017 em 17:26
    Permalink

    São verdadeiros ícones das nossas estradas.quando foi lançado o 111S era um sonho de consumo de muitos e que hoje mostra quanto evoluiu esses caminhões!

    Resposta
  • 10/07/2017 em 20:30
    Permalink

    Nao troco SCANIA por outros jamais!!!

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!