Movimentação do armazém de exportação da TCP cresce 60% em um ano




O armazém de exportação da TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, registrou recorde no mês de junho com 3.090 TEUs movimentados (medida equivalente a um contêiner de 20 pés). O número é 64% maior que o registrado no mesmo período de 2016, quando o Terminal havia movimentado 1.996 TEUs.

O recorde é resultado da consolidação do armazém que acaba de completar um ano de operação e é voltado para estufagem de produtos como os de sacaria (fubá, feijão, açúcar, entre outros), madeira e celulose, e também, é consequência da atração de novos exportadores para Paranaguá. Entre os exemplos desse crescimento, Juarez Moraes e Silva, diretor Superintende Comercial da TCP destaca, aumento de mais de 200% entre junho de 2016 e junho de 2017 na movimentação do grupo de alimentos, e de 174% em madeira. “Há outros produtos, como cerâmica e celulose, que contribuíram para o novo recorde”.

Para Moraes e Silva, a possibilidade de realizarem o processo de estufagem dos produtos na área primária do Porto foi um diferencial para que o exportador escolhesse Paranaguá para escoar suas cargas. “Com o armazém de Exportação, apresentamos aos clientes o serviço de cross stuffing, onde o produto acessa o Terminal, é estufado, vistoriado pelos órgãos intervenientes e fica disponível para embarque no navio, em um único espaço. É um serviço inédito em nossa área de influência”, explica.

Ele lembra que a redução dos steps logísticos torna a operação mais barata para o exportador e contribui para que os produtos sejam mais competitivos lá fora, já que se trata de produtos de baixo valor agregado. “Além disso, o exportador se sente muito confortável em utilizar a TCP pela confiabilidade que oferecemos de que os contêineres serão embarcados dentro do prazo contratado”, diz o executivo, acrescentando que o Terminal tem uma célula destinada ao acompanhamento da carga desde a porta do cliente até o Porto de Paranaguá, antecipando necessidades e solucionando possíveis problemas existentes no processo de traslado dos produtos.

Os produtos movimentados pelo armazém são provenientes, principalmente, dos estados do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, e têm como destino países da Ásia, Europa e o Golfo do México. “Com a agilidade em que a TCP opera e a sinergia com os órgãos intervenientes, o exportador ganha agilidade e qualidade. São pelo menos dois dias a menos para o embarque das cargas e economia de até 15% nos gastos dedicados ao processo logístico”, finaliza.

Inscreva-se




Deixe sua opinião sobre o assunto!