Preço do milho sobe 2,21% após greve de caminhoneiros




O bloqueio das estradas por caminhoneiros dificultou o recebimento de milho da região Centro-Oeste, principalmente no Mato Grosso, e favoreceu a comercialização do cereal paulista e paranaense nos últimos dias.

De acordo com pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), o aumento dos fretes associado à retração de produtores de São Paulo, que seguem negociando poucos volumes em cooperativas e cerealistas, levaram compradores a aumentar o valor de suas ofertas, impulsionando as cotações do cereal.

Em Campinas (SP), o indicador Esalq/BM&FBovespa subiu 2,21% entre 4 e 11 de agosto, fechando a R$ 26,33 a saca de 60 kg na sexta, dia 11.

Fonte: Canal Rural

Inscreva-se




2 comentários em “Preço do milho sobe 2,21% após greve de caminhoneiros

  • 15/08/2017 em 14:00
    Permalink

    Lamentável a falta de união por parte de caminhoneiros de outros estados, da população, era o momento de parar o país !!! Pagamos os impostos mais caros do mundo para que somente os políticos usufruam, nós, que os sustentamos, não temos segurança, educação, saúde, infraestruturas,… Precisamos dar um basta nessa corja de políticos !!!

    Resposta
    • 17/08/2017 em 15:30
      Permalink

      Aqui no Ceará não parou sequer um caminhão povo tudo medroso esses caminhoneiros do Ceará aceitam tudo deste governo corrupto pq acham bom o que eles fazem.

      Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!