AO VOLANTE DA MÁQUINA QUENTE – Scania LKS 141 6×2




Neste mundo do transporte rodoviário
a entrega da carga é sempre urgente.
Comigo ela sempre chega no horário.
Estou ao volante da máquina quente.

Scania cento e quarenta e um.
Cabine frontal da primeira geração.
Como esse bruto não existe nenhum.
Pensa em um baita de um caminhão.

Cuido bem desse estradeiro.
Afinal ele é meu ganha-pão.
Rodo todo esse chão brasileiro.
Estou montado em pura tradição.

Meu cavalo mecânico é arredio
pois tem um motor de respeito.
Rodo por esse imenso Brasil.
Sou carreteiro honesto e direito.

O antigo motor estava cansado
e não conseguia fazer sua parte.
Por um mais poderoso foi trocado.
O Scania parece foguete indo á Marte.

Força do primeiro ao oitavo cilindro.
Esse Scania é uma usina de energia.
Na estrada, a outros carreteiros melindro.
Na subida demonstra toda sua valentia.

Quem vê esse estradeiro veterano
julgam-no pela aparência e pelo esboço.
O Scania mostra ser na estrada soberano.
Coloca os outros caminhões no bolso.

Sobe os aclives com desenvoltura.
No acelerador ao estradeiro açoito.
O Scania responde à altura.
Mostrando a força do motor V oito.

Outros caminhões mais jovens
acham que andam mais que o Scania.
Tentar até que eles podem.
Mas desprezar meu estradeiro é infâmia.

Lá no segundo andar onde me encontro,
tenho uma visão privilegiada da pista.
Qualquer dificuldade, com ele afronto,
pois vejo longe a perder de vista.

Semirreboque graneleiro eu puxo.
Tanque, baú ou basculante.
Na cabine usufruo de conforto e luxo.
Tranquila condução faço ao volante.

A chuva bate no parabrisa
açoitando a cabine frontal.
Pela pista meu cavalo desliza.
Tenho dele o controle total.

Com o Scania cara chata
não me sinto perdido.
A força é qualidade inata.
Com ele o lucro é garantido.

Não pensem que sou arrogante,
quando digo que lucro é garantido.
Com o Scania sigo firme avante.
Como o Rei da Estrada é conhecido.

Acompanhando a colheitadeira,
saio carregado de trigo ou soja.
Puxei até gaiola boiadeira.
Pelas estradas meu Scania se arroja.

Levo a vida feliz no trabalho
e ganho meu pão com honestidade.
Sou bom no que faço, não me atrapalho.
A estrada só me traz felicidade.

Às vezes levo comigo a patroa.
Entrego a carga e com ela passeio.
Levamos uma vida simples na boa.
Bem estar da família é o que anseio.

Essa é a minha história.
Sou um carreteiro realizado.
A dificuldade valoriza a vitória.
Vivo feliz com meu cavalo trucado.

Roberto Dias Álvares




Deixe sua opinião sobre o assunto!