Mercado de máquinas de construção deve voltar a crescer em MS




A Tork, concessionária da Case Construction Equipment, fabricante de máquinas de construção, espera um aquecimento nas vendas a partir do ano que vem.

A empresa reúne no próximo dia 7, em sua sede na capital do estado, 150 empresários dos ramos de construção, mineração, prestadores de serviço e agronegócio, para o lançamento das novas máquinas CASE: as pás-carregadeiras W20F e a 621E.

“Este foi o terceiro ano de crise no mercado de construção, que corresponde a mais de 50% do negócio de máquinas no estado. Para 2018, temos a expectativa de um ano melhor, puxado pelo agronegócio, licitações públicas e obras de concessões”, avalia Renato Nucci, diretor da Tork. A concessionária também representa a CASE no Mato Grosso, Acre, Rondônia, Roraima e Amazonas.

Mais duráveis e com custo menor

Os principais diferenciais dos dois novos modelos de pás-carregadeiras CASE são a durabilidade, menor custo de propriedade e consumo de combustível, informa o gerente de Marketing para a América Latina, Maurício Moraes.

No caso da W20F, o destaque é o motor mecânico e sem componentes eletrônicos. “Ainda existe no Brasil uma forte demanda por um produto simples, sem eletrônica embarcada e de baixo custo operacional e de manutenção”, garante Moraes.

A W20F tem motor mecânico N67 da FPT Industrial, que atende à legislação MAR-I/Tier 3 e desenvolve 152 hp de potência bruta. É a mais robusta da categoria e traz vantagens em relação à versão anterior, como manutenção mais barata e facilidade de acesso ao motor, menor nível de ruído externo e produtividade 13% maior com a curva de torque do novo motor, que permite obter o torque máximo mais rápido e mantê-lo por mais tempo se comparado com a W20E. “Com isso, a máquina também enche a caçamba mais rapidamente, aumentando o rendimento do trabalho”, explica Moraes.

Na versão F, a W20 oferece uma manutenção até quatro vezes mais fácil que a E devido às novas portas de acesso ao compartimento do motor e ao reposicionamento das caixas de baterias. Também é equipada com sistema Cooling Box standard e similar ao dos modelos nacionais da Série E (621, 721 e 821) para melhor refrigeração e aumento da vida útil dos componentes. Como opcional, há o ventilador reversível acionado de dentro da cabine, que permite a limpeza de todos os trocadores de calor, mesmo com a máquina trabalhando, o que evita paradas indesejadas.

Para instalação do sistema de refrigeração, a versão F traz chassi traseiro 300 mm maior, mas mantendo o mesmo raio de giro do modelo E; além de um novo contra-peso devido ao aumento do chassi traseiro.

Outro fator que facilita a manutenção são as peças em comum com outros modelos. O motor da W20F é mecânico, mas da mesma família dos utilizados em outros modelos de pás-carregadeiras da marca (621E, 721E e 821E). “O cliente que tem um dos modelos da série E pode usar as peças em comum para fazer manutenção na W20, reduzindo seu estoque. Como exemplo, o filtro de combustível agora é igual para os quatro modelos”, compara Moraes.

O operador também ganhou mais conforto. Foi eliminado o ruído da marcha lenta e reduzido o nível de ruído externo para 107 dBA, que está em linha com os melhores do mercado.

A W20F passou por testes de campo em empresas que avaliaram o desempenho do modelo. “Uma grande siderúrgica mineira destacou o baixo nível de ruído externo e o desempenho maior em força de desagregação e estabilidade, mantendo o mesmo consumo de combustível em comparação com a W20E”, comenta Maurício Moraes.




Deixe sua opinião sobre o assunto!