MOBILIDADE EM FOCO – CATERPILLAR CAT 797F (X) VOLVO FH16 750: QUEM É AFINAL O REI DO PEDAÇO




O caminhão basculante fora de estrada CAT 797F é o maior do mundo na sua área de atuação. É fabricado pela empresa norte-americana Caterpillar Incorporation, na fábrica situada na cidade de Decatur, no Estado do Illinois. O CAT 797 é o líder em vendas na sua categoria e foi projetado para dar continuidade a tradição da Caterpillar neste segmento, com aprimoramentos em segurança, produtividade, facilidade de manutenção e conforto. O 797F é a terceira versão de fábrica desse caminhão basculante. Em 1999 foi lançado o 797, em 2002 o 797B e em 2008 o 797F. Por sua vez o Volvo FH16 750 é o dono do título de caminhão de produção seriada mais potente do mundo desde 2012. Apesar de cada um ser o rei do pedaço na sua área de atuação, compará-los é quase que uma covardia pelos números gritantes em desfavor do Volvo FH16 750. Apesar disso, números são números, e peço a interpretação dos leitores unicamente pelo critério técnico, sem paixonites agudas, pois o único intuito é o confronto da engenharia automotiva, da eficiência térmica, da relação peso/cv e outros números que serão apresentados. Dito isso vamos aos números.

– Capacidade nominal de carga: Caterpillar 797F = 400 toneladas. Volvo FH16 750 = 250 toneladas. A capacidade técnica de carga do CAT 797F é 60% maior;
– Peso em ordem de marcha: Caterpillar 797F = 623.700 quilos. Volvo FH16 750 = 260.023 quilos. O CAT 797F pesa 363.677 quilos a mais, se ambos com PBTC;
– Modelo do motor: CAT 797F = CAT C175-20 ACERT, 20 cilindros em forma de V (V20), 10 de cada lado do bloco do motor. Volvo FH16 750 = DC16G, 16.123 cilindradas, seis cilindros em linha, turboalimentado e intercoolado. Cabe observar neste item que por causa do comprimento do bloco do motor de cilindros em linha, seis cilindros em linha tem sido o máximo tolerável para altas potências. Um motor de sete ou oito cilindros em linha para caminhão fica inviável tecnicamente porque um virabrequim muito longo sofreria excesso de forças desiguais ao longo do seu enorme comprimento, podendo gerar fadiga de material prematura e outros problemas ao longo de sua extensão. E este é ou será um problema para o motor D16G do FH16 750. Como extrair mais potência em um bloco de motor que pode estar muito próximo da eficiência térmica máxima? A Scania, a Caterpillar no caso do seu super caminhão CAT 797F e outros fabricantes tem optado pela configuração em V. Veja o motor do CAT 797F, são 20 cilindros em V (V20), 10 de cada lado do bloco do motor.

Também pudera, 20 cilindros em linha seria uma aberração. O V20 do CAT 797F reduziu seu comprimento e permite uma vida útil muito superior ao de um motor em linha. Motores de grandes potências, de cilindros em linha, somente para aplicações marítimas de grande porte, já que o virabrequim pode receber reforços sem a preocupação com o peso do bloco do motor, enquanto motores para os segmentos rodoviário e fora de estrada a preocupação com o PBT (peso bruto total) do caminhão é item de preocupação constante. Já para aplicações marítimas existem motores como o MAN, 10 cilindros em linha e 58.600 cv; Rolls-Royce Marine, nove cilindros em linha e com potências de 2.180 a 69.000 cv. Temos ainda motores de grande potência, de cilindros em linha, para aplicações marítimas, estacionárias, de trens, de vários outros fabricantes.

Vamos a mais dados deste comparativo, foco da matéria.

CAT C715-20 ACERT

– Potência do motor CAT C715-20 ACERT do 797F = 3.793 HP (Norma SAE) (2.828 Kw). Potência do motor D16G do Volvo FH16 750 = 750 cv (Norma DIN). O CAT 797F posssui 3.043 cv a mais de potência;
– Velocidade máxima (carregado) do CAT 797F = 42 milhas por hora (68 km/h). E é uma velocidade alta para um caminhão de peso bruto total de 623.700 quilos e quase oito metros de hora. Já o FH16 750 tem caixa de câmbio automática I-Shift, 12 marchas a frente e 4 a ré. Com a opção de relação 3,08:1, que aliado aos pneus de série 315/70 R 22,5 permite ao FH16 750 trafegar a 89 km/h com o motor girando em 1.200 rpm;

– Altura total (vazio do CAT 797F = 7,44 metros. Obs.: o maior ônibus fabricado no Brasil, os de carroceria Double Decker (DD), dois andares, tem 4,20 metros de altura. O CAT 797F possui 3,24 metros de altura a mais. Dá para empilhar em cima do DD um Busscar El Buss 320 para chegar a mesma altura do CAT 797F. Altura total da cabine do Volvo FH16 750: 4,00 metros;
– Altura total do CAT 797F com a caçamba levantada = 15,70 metros. Comprimento total: 15,09 metros;
– Capacidade do tanque de combustível: 3.785 litros. Obs.: o Cat 797f é tão grande que não pode rodar em nenhuma rodovia do Brasil ou de qualquer outro país. Ele segue da fábrica, nos EUA, desmontado (CKD). É montado no próprio local onde vai trabalhar (grandes jazidas de minerais e obras de terraplanagem, como construção de usinas). Cada pneu custa 40 mil dólares, um pouco mais de 120 mil reais. E o custo de aquisição do gigantesco caminhão é de 5,6 milhões de dólares, cerca de 17 milhões de reais. Resumindo, dá para comprar 34 automóveis da marca Mercedes-Benz S-500, a maior, mais cara e sofisticada das Mercedes. Ou, com esse valor, é possível comprar 17 ônibus DD (dois andares), com chassi 8 x 2, quatro eixos;

– Potência em cv/litro: CAT 797F = 189,65. Volvo FH16 750 = 21,49 cv/litro. A eficiência térmica do motor do Caminhão Caterpillar é superior, 782,5% a mais. O rendimento térmico do motor do CAT 797F é de 20%, enquanto o do FH16 750 chega a 34,90%. No entanto, devido, talvez, a sua enorme massa o motor do gigante da Caterpillar perde em rendimento para o motor do Volvo. Mas, cabe observar, nenhum destes motores chega sequer próximo do rendimento de um motor elétrico (o motor perfeito), cujo rendimento chega a 98% ou 99%, perdas muito próximas do zero;
– PBTC (Peso Bruto Total Combinado): Caterpillar CAT 797F = 623.700 quilos = 164,43 kg/cv (cálculo com o motor em potência máxima, já que inexistem dados da potência nominal. Volvo FH16 750 = 346,66 kg/cv, com carga máxima mais tara (PBT).

Texto/matéria: Carlos Alberto Ribeiro




Deixe sua opinião sobre o assunto!