COLUNA MECÂNICA ONLINE – Condução autônoma, mobilidade com emissão zero e a interconexão digital: desafios para o futuro próximo




Será que existe momento melhor para previsões que o início de um novo ano? Todo mundo aproveita a mudança de ano para fazer um balanço do ano que passou, mas principalmente para criar metas e perspectivas para o ano que começa. Não é diferente no universo automotivo com suas inovações e desenvolvimentos para uma nova mobilidade: autônoma, emissão zero e conectada.

O ano inicia com a edição 2018 do CES (Consumer Electronics Show), maior feira de tecnologia eletroeletrônica do mundo, em Las Vegas (EUA). Evento que apresenta muitas das tecnologias que tão logo estarão em nossas casas, em nossas ruas, melhorando e mudando o nosso modo de viver.

Encontrar o elo entre a condução autônoma, mobilidade com emissão zero e a interconexão digital é fácil: inteligência artificial (IA). Aqui está o segredo que vai revolucionar a indústria do automóvel.

Na apresentação reservada para a imprensa, o CEO da Volkswagen, Dr. Herbert Diess, e o fundador e CEO da NVIDIA, Jensen Huang, explicaram como a Inteligência Artificial está transformando a indústria do automóvel.

“A inteligência artificial está revolucionando o automóvel”, afirmou Diess. “A condução autônoma, a mobilidade com emissão zero e a interconexão digital em rede são virtualmente impossíveis sem avanços na IA e no Aprendizado Profundo.”

“Dentro de poucos anos, todos os novos veículos deverão ter assistentes de IA para reconhecimento de voz, gestos e facial, assim como para realidade aumentada”, disse Huang. “Estamos criando uma nova geração de carros que são mais seguros, mais agradáveis de utilizar do que qualquer outra coisa já feita e acessíveis para todos.”

Copilotagem inteligente – Um empolgante resultado potencial da introdução da IA são as capacitações para a “Copilotagem Inteligente”, que incluirão sistemas de conveniência e assistência baseados no processamento de dados colhidos por sensores posicionados tanto dentro como do lado de fora do carro.

Os sistemas poderão ser incrementados ao longo da vida do veículo através de atualizações de software e ganhar novas capacitações à medida que novos desenvolvimentos ocorram na condução autônoma. Graças ao Aprendizado Profundo, o carro do futuro irá aprender a abordar situações de tráfego detalhadamente e analisar o comportamento de outros na estrada, permitindo tomar decisões corretas.

Para você observar como esses novos recursos vão mudar sua vida, a tecnologia derivada da inteligência artificial vai permitir o reconhecimento facial para abrir o veículo por fora, alertas ao motorista sobre bicicletas, uso de reconhecimento de gestos para controles, compreensão de linguagem natural para um controle por voz e acompanhamento do olhar para alertar o motorista sobre distração.

Algo que sempre destaco é que a tecnologia deve ser aplicada para salvar vidas, evitar acidentes. A ZF aproveitou o evento e revelou um novo conceito de interação que pode ajudar a diminuir o estresse do motorista e evitar acidentes, com possibilidade de aplicação muito próxima.

Não há dúvidas que os motoristas têm dificuldade em ativar, configurar e monitorar a grande variedade de funções de assistência dos veículos atuais. O novo “Conceito 2020” da ZF encara esse desafio exibindo o status de todos os sistemas de assistência com uma perspectiva geral. Além disso, com esse conceito, os mais recentes sistemas de segurança integrados podem solicitar a intervenção do motorista quando for necessário, aumentando assim a confiança dos motoristas em sistemas automatizados.

Pessoas que alugam veículos com frequência normalmente enfrentam um problema comum: a enorme quantidade de funções e configurações relacionadas com os sistemas de assistência dos automóveis modernos que, geralmente, não foram concebidos para serem compreendidos intuitivamente.

As funções de conforto e segurança tendem a funcionar de maneira independente e os elementos de controle e seus indicadores estão instalados em locais diferentes, como, por exemplo, comando de direção dos espelhos retrovisores externos, alavancas de comandos e os ícones no painel de instrumentos ou na tela de LED do console central.

O “Conceito 2020” traz um painel com controles simplificados para os veículos apresentando uma perspectiva geral de todas as funções de assistência e controle por meio de telas e informações sobre os modos de operação.

O motorista terá uma visão panorâmica do veículo no “Conjunto de Instrumentos do Head Up Display” (HUDIC), um monitor que será instalado centralmente no interior do automóvel. Uma visão de 360 graus informará o motorista sobre o porquê e com qual intensidade está ocorrendo uma intervenção do sistema de assistência.

Uwe Class, gerente de projeto para o “Conceito 2020” da ZF, comenta: “Há quase 100 anos, pilotos de aeronaves utilizam telas com imagens, como o horizonte artificial. Tais equipamentos ainda são usados e fornecem uma grande quantidade de informações de forma eficiente.  Essa tecnologia também será usada para auxiliar os motoristas no futuro. O volante, por exemplo, foi projetado sem um aro superior e inferior, para que mais se pareça com um manche de avião”.

A principal característica da tela é a sua capacidade de visualizar funções relacionadas com a segurança para todos os sistemas de assistência. Ela mostra um formato oval com até três linhas cinzas ao redor do veículo – a ZF chama esse recurso de “Aura Veicular Ativa” (AVA).

A quantidade de linhas representa o nível de sensibilidade do sistema de controle, e pode ser configurado a partir do volante de direção. Três linhas significam que o sistema irá intervir rapidamente e com uma reação mais suave. Uma linha significa que a intervenção ocorrerá mais tarde e será mais intensa.

Por exemplo: se o motorista iniciar uma manobra para uma faixa adjacente enquanto outro veículo estiver diagonalmente atrás, no ponto cego, as linhas da AVA mudarão de cor e formato.

O sistema de assistência pode reagir instantaneamente, acionando o controle de freio individual da roda e evitando que a manobra ocorra.

Várias aplicações podem ser detectadas e controladas de forma centralizada, tais como: Assistente de Ponto Cego, Controle Adaptativo de Velocidade de Cruzeiro e Assistente de Manutenção de Faixa.

O “Conceito 2020” coloca no presente o que para muitos ainda poderia ser futuro. O sistema foi projetado para a condução semiautomatizada de Nível 2 – ou seja, as mãos do motorista sempre deverão estar no volante. Esse sistema também foi projetado para aplicações futuras, uma vez que também poderá ser usado para níveis mais elevados de condução autônoma.

A conclusão foi que o “Conceito 2020” pode contribuir para tornar a condução mais simples e segura. Ele também ajuda a aumentar a confiança nos sistemas automatizados, o que é um fator essencial para se chegar à condução autônoma.


Tarcisio Dias é profissional e técnico em Mecânica, além de Engenheiro Mecânico com habilitação em Mecatrônica e Radialista, desenvolve o site Mecânica Online® (www.mecanicaonline.com.br) que apresenta o único centro de treinamento online sobre mecânica na internet (www.cursosmecanicaonline.com.br), uma oportunidade para entender como as novas tecnologias são úteis para os automóveis cada vez mais eficientes.




Deixe sua opinião sobre o assunto!