Iveco entrega 247 caminhões ao Governo de Minas Gerais

Iveco Minas GeraisMais uma parceria entre a Iveco e o Governo Estadual de Minas Gerais foi oficializada com a entrega simbólica de 20 caminhões Tector Attack 170E22, sendo 10 deles adaptados para coleta de lixo e outros 10 com tanque pipa para abastecimento de água. O evento aconteceu na semana passada, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, e contou com a presença do governador Antônio Anastasia, prefeitos das cidades que serão beneficiadas e autoridades.

No total, serão entregues 247 caminhões a 29 cidades mineiras. Serão 146 caminhões com implemento compactador de lixo e 101 adaptados para caminhões pipa. Parte dessa frota, 210 veículos, irá atender ao programa Pro-Município que irá beneficiar cidades nas áreas de saúde, educação e infraestrutura. O restante vai integrar o Programa BDMG Maq, lançado para aquisição de máquinas, equipamentos e veículos novos.

O Iveco Tector Attack reúne robustez, durabilidade e economia, atributos que o tornam uma excelente opção de entrada no segmento dos semipesados. O modelo está disponível nas versões 4×2 e 6×2, tem dois tipos de cabine, curta e leito, ambas com teto baixo, e duas opções de entre-eixos.

É considerado o melhor custo benefício do segmento, podendo ser usado nos setores da construção civil, carga geral, bebidas, grãos, serviços públicos, carga frigorificada e no transporte de líquidos e gases. Um caminhão fabricado no Brasil, e que incorpora a tecnologia que faz da Iveco uma das maiores montadoras de caminhões do mundo.

Fonte: Blog Iveco

Caminhões Volkswagen combatem a seca no Semiárido do Brasil

vw-caminhoes-constellation-26.280Até o fim de agosto, a MAN Latin America vai entregar 225 caminhões Volkswagen ao Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), destinados ao socorro de municípios que sofrem com os efeitos da seca no Semiárido brasileiro. Os veículos serão empregados no transporte de água potável, na construção de barreiras e na manutenção de estradas vicinais por onde escoa parte da produção agropecuária do país. O objetivo é contribuir para o desenvolvimento dessa região, amenizando os impactos de seu clima.

Todas as unidades serão do modelo VW Constellation 26.280. A diferença está no implemento: 150 estarão preparadas para operar como basculante em obras de infraestrutura e as outras 75 como caminhão-pipa. Os estados de Sergipe, Pernambuco, Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte, Bahia e Minas Gerais vão receber os veículos e se beneficiar da compra. A aquisição antecipa, a municípios que decretaram situação de emergência, o pacote já previsto dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Equipamentos.

A MAN Latin America conquistou o maior lote de veículos dessa licitação. Com tração 6×4, o VW Constellation 26.280 se destaca por sua grande versatilidade, sendo adotado em diversas aplicações e ideal para rodar em condições severas. O motor MAN D08 completa os atributos do modelo, que não requer o abastecimento com Arla 32, reduzindo custo e complexidade logística.

Para a conclusão do negócio, a capacidade de produção da MAN Latin America foi um grande diferencial. A montadora tem um sistema produtivo bastante flexível que permite o atendimento a demandas específicas do cliente. Neste caso, caracterizada pela necessidade de rapidez e agilidade na entrega.

Outro ponto a favor da empresa é sua ampla e estruturada rede de pós-vendas, com mais de 150 concessionárias por todo o país. Entre as exigências do edital, o ministério determinou a realização de revisões programadas e periódicas nos caminhões até chegarem a cem mil quilômetros rodados. E, nesse sentido, a garantia de serviço de qualidade na rede da MAN Latin America fez a diferença.

Saiba mais sobre o Semiárido brasileiro

O Semiárido brasileiro abrange 1.135 cidades da Bahia, de Sergipe, Alagoas, Pernambuco, do Rio Grande do Norte, da Paraíba, do Ceará, do Piauí e também do norte de Minas Gerais. Estende-se por uma área superior a 900 mil quilômetros quadrados e, segundo o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, abriga mais de 23 milhões de pessoas, muitas delas em situação de extrema pobreza.

Fonte: MAN Latin America

Os campeões off-road

De acordo com a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil), esse setor espera crescer 6% este ano. Número maior que o esperado para o PIB (Produto Interno Bruto). As justificativas do amadurecimento estão nos eventos esportivos e no “boom” imobiliário dos grandes centros. Com isso, é natural ocorrer um efeito cascata, positivo, no mercado de caminhões usados e novos para o segmento da construção civil.

Para mostrar que o cimento, a água e a mistura não podem faltar em qualquer canteiro de obras, a reportagem da Revista Transporte Mundial resolveu escavar para você quais são os caminhões usados do segmento mais oferecidos nas revendas. Já está pensando em abrir uma empreiteira? Pois é, a oferta é boa! A paciência e a pesquisa são fundamentais para que você realize um bom negócio.

Para o segmento dos caminhões que utilizam o basculante como implemento, os eleitos pelos revendedores em ordem de preferência são: Scania 113, Scania 124, Ford F-11000 e F-14000 e Mercedes-Benz LS 2638 e 1933. As trações mais solicitadas são as 6×4. Os compactos basculantes, como os coreanos Kia Bongo e Hyundai HR, também foram indicados durante a pesquisa, mas ambos só valem para cargas menores e usam tração 4×2. No caso desses coreanos, fique de olho no custo de manutenção. Os modelos da Scania lideraram facilmente a lista pelo fato de apresentarem uma boa oferta no mercado: “existem muitos de tudo em todos os estados de conservados, por isso é importante uma boa avaliada. Outro detalhe que se deve observar é que os basculantes já trabalham por muito tempo no campo, logo, existe a possibilidade de o comprador encontrar um refugo de modelos que já estão no final da vida”, explicou Fernando Albuquerque, revendedor independente, que atua na região do extremo oeste do estado de São Paulo.

A mesma linha de raciocínio mostrada pelo representante Albuquerque não deve ser aplicada ao modelo ‘F’ quando o assunto é a oferta. O Ford F-11000 apareceu na pesquisa por apresentar robustez e conforto, sendo excluído apenas quando o assunto é o trabalho em cidades com restrições ao comprimento do veículo, por ser de cabine bicuda. “Ele tem uma boa procura nas regiões do interior do Brasil, onde as distâncias são médias e que não dependem tanto do trânsito urbano”, coloca o vendedor. Os modelos da alemã Mercedes-Benz surgiram à lista pelo mesmo motivo dos modelos da marca sueca, a oferta pelos 2638 e 1933 é alta. Quem manda na hora de levar água para onde for necessário? Os caminhões para o transporte de líquidos são os mais acessíveis para quem está pensando em montar uma empresa para atender às demandas da construção civil. Outra vantagem é que os caminhões pipas também podem atuar em solicitações governamentais ou particulares, como, por exemplo, na recomposição da água de uma piscina ou na irrigação de uma plantação ou jardim. O líder de audiência deste segmento é o Mercedes-Benz L-1113. Um modelo fabricado em 1981 parte de R$ 35 000 e um produzido no seu último ano de fabricação, em 1989, sai por volta de R$ 50 000.

De acordo com Agnelo Marques Filho, dono de um modelo L1113, “o Mercedes-Benz apareceu nesta lista por ser um caminhão que apresenta manutenção confiável, consumo favorável e bom valor de revenda”. Um modelo eleito no segmento dos caminhões pipas que também apareceu na área dos basculantes foi o Ford F-11000, seguido pelo F-14000.

Precisa de muita força para carregar cimento já misturado – é preciso ter um olhar bem clínico para encontrar um caminhão seminovo em ordem nesta categoria, uma vez que a hora- trabalho é muito alta. Como o PBT (Peso Bruto Total) técnico da maior parte dos caminhões desta categoria é de 23 000 kg, vale lembrar que a tração 6×4 favorece a capacidade de rampa.

Os eleitos para betoneira foram: Ford Cargo 2428 e 2622. A principal configuração encontrada é a equipada com motor Cummins Interact 6 nas opções com tração 6×4. A Ford fabricou por volta de 2006 a versão Mixer para os modelos C-2622 e C-2628. Entre os diferenciais estavam a preparação e instalação de tomada de força para facilitar a implementação da betoneira.

Outros modelos que apareceram durante a nossa pesquisa foram o VW 26.260 e o Volvo VM 260. O modelo da Volkswagen que começou a ser fabricado em 2001 tem valores sugeridos a partir de R$ 120 000, metade do valor de um zero-quilômetro. A tração mais encontrada é a 6×4 e o câmbio é o Eaton RT com 10 velocidades sincronizadas. Já o Volvo VM 260 mais encontrado nas revendas conta com o MWM Acteon de 260 cv.

Os valores para o Volvo VM com tração 6×4 partem de R$ 160 000 (fabricado em 2006) e vão até R$ 225 000 (zero-quilômetro).

Fonte: Revista Transporte Mundial

Mercedes cria caminhão pipa para dispersão

Esse caminhão Mercedes-Benz deverá deixar os protestantes da Alemanha apreensivos. Trata-se do Water Cannon 10.000 – ou WaWe 10 -, um caminhão com canhão d’água para dispersão de grandes aglomerações. O veículo foi desenvolvido sobre a plataforma de um Actros 3341, com um motor V6 turbo de 413 cv de potência e tração integral.

Com 3,7 m de altura e quase 10 m de comprimento, o WaWe 10 pesa 33 toneladas e conta com reservatório para 10 mil litros de água. O líquido é esquichado por meio de três mangueiras: duas dianteiras e uma traseira. As que saem pela frente do modelo são capazes de lançar 1.200 litros por minuto, enquanto a que fica atrás dá conta de 900 litros/ minuto, ambas com a ajuda de uma centrífuga de 10 bar. Elas funcionam com ajuda de um motor a diesel que opera separadamente do propulsor principal do veículo.

O WaWe 10 tem um custo de US$ 1.45 milhão (cerca de R$ 2.7 milhões) e foi feito sob encomenta do governo alemão, que deverá comprar 78 unidades. E, para evitar protestos conta o aquecimento global, a Mercedes já faz sua parte. Os motores a diesel do modelo atendem ao padrão Euro 5 de emissões.

Fonte: AutoNews