Petrobras lança diesel menos poluente em todo o País

diesel_na_bombaA Petrobras anunciou nesta terça-feira que o diesel S-10, que possui menor teor de enxofre, está disponível todo o Brasil, substituindo totalmente a versão anterior, S-50. Os benefícios ambientais do diesel com baixo teor de enxofre são mais efetivos nos veículos produzidos a partir de 2012. Esses veículos utilizam motores com tecnologia para redução de emissões veiculares atendendo a fase P7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve).

Além do teor de enxofre ainda menor, o novo diesel S10 tem número de cetano (medida de qualidade de ignição) 48 contra 46 do diesel S-50 com benefícios de melhor partida a frio, redução de fumaça branca, redução na formação de depósitos e aumento da vida útil do óleo lubrificante que podem ser facilmente percebidos pelos motoristas. Esses benefícios também podem ser observados inclusive nos motores de tecnologia anteriores a 2012.

O diesel S-10 está disponível em 15 polos de venda e terá a oferta ampliada para 17 polos durante o primeiro trimestre de 2013, propiciando o abastecimento de 78 bases de distribuição espalhadas pelo país. A lista completa de postos Petrobras que comercializam o diesel S-10, que inclui também os pontos de venda do Flua Petrobras (marca própria do Arla 32), está disponível no site www.br.com.br.

Fonte: Economia IG

Petrobras fecha parceria com a MAN

A Petrobras fechou uma parceria com a MAN – Latin America para promover a Rota Volksbus 2012. O objetivo dessa participação é potencializar a campanha do Diesel S-50 e apoiar o lançamento do S-10 (janeiro de 2013), com reconhecimento da tecnologia utilizada, estreitando a relação com a marca. As Rotas, divididas em norte e sul, serão compostas, cada uma, por 5 ônibus, sendo 4 de test-drive e um de exposição, que terá interações com os frotistas e irá percorrer regiões de norte a sul do país.

O abastecimento da nova frota de ônibus da Volkswagen será nos postos Petrobras com o Diesel S-50. Seis meses após o início da ampliação de sua oferta em todo o Brasil, para atender aos novos modelos de caminhões e ônibus produzidos a partir de 1º de janeiro, a companhia contabiliza mais de 1.600 postos de serviços com sua bandeira habilitados a trabalhar com o S-50. A maioria deles também comercializa o Flua Petrobras, marca própria do Arla 32, necessário para o perfeito funcionamento dos motores Euro 5/Proconve 7, e a “Solução Completa Petrobras” conta ainda com o Lubrax Advento, lubrificante desenvolvido especialmente para a nova tecnologia.

O crescimento do consumo do Diesel S-50, que desde 2009 já era comercializado em algumas regiões metropolitanas, vem ocorrendo de forma progressiva, acompanhando a renovação da frota nacional. Hoje o produto responde por 9,4% do volume total de diesel movimentado pela BR, incluindo o fornecimento a 705 garagens para grandes clientes (frotas cativas de ônibus, transportadoras, etc.).

Entre os desafios iniciais para disponibilizar o novo diesel, destacam-se a logística complexa, a abrangência nacional e a necessidade de adequação de grande número de postos de serviço. Para tanto, a Petrobras Distribuidora investiu cerca de R$ 500 milhões.

Fonte: Webtranspo

ANP obriga postos a venderem novo diesel

Contrariando os postos de combustíveis que negociavam uma adesão gradual ao S50 (novo diesel para motores Euro V), a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) baixou uma resolução obrigando boa parte desses estabelecimentos a ofertarem o produto já no dia 1º de janeiro.

Serão forçados a comercializar o S50 nesta data todos os postos que têm um número de bicos abastecedores de diesel maior que o do Ciclo Otto (gasolina e etanol), desde que os bicos de diesel estejam ligados a mais de um tanque de armazenamento.

Os postos que têm os tanques de diesel interligados a um único sistema de filtragem ganham 30 dias para realizarem a segregação desse sistema. Mas, como a resolução 62/11 foi publicada dia 2 de dezembro, a reforma terá de ser feita no mesmo prazo, ou seja, até 1º de janeiro.

A resolução ainda diz que a adequação às novas regras será de responsabilidade das distribuidoras no caso em que as bombas e tanques de armazenamentos pertençam a elas (distribuidoras). Nas demais situações, a responsabilidade fica a cargo dos próprios estabelecimentos.

Segundo a Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), 55% dos postos brasileiros são bandeirados (BR, Shell, Ipiranga e Ale). E 80% deles utilizam bombas e tanques cedidos pelas distribuidoras.

Procurada pela Carga Pesada, a assessoria da ANP não soube informar as penalidades que cabem a quem infringir a resolução.

Fecombustíveis não descarta ação judicial

Segundo o secretário executivo da Fecombustíveis, José Antonio Rocha, a resolução contraria “tudo” que a entidade negociou com a agência. “A ideia era que os postos voluntariamente se cadastrassem para vender o novo diesel”, afirma.

Na opinião dele, a demanda pelo S50 será “baixíssima” nos primeiros meses de 2012. “Os caminhões (Euro V) começam a ser fabricados no início do ano. E os pátios das montadoras estão cheios de veículos com os motores velhos, que elas podem vender até março”, ressalta. Rocha salienta que o novo combustível, muito mais puro, não pode ficar mais que 30 dias estocado, o que desestimula os postos a comprarem o produto em grande quantidade.

“Os distribuidores já tinham apresentado à ANP uma lista de 1.500 postos que estariam dispostos a vender o S50 já no início do ano. Seria mais que suficiente”, acredita. A estimativa da Fecombustíveis é que, nas condições da resolução, cerca de 7 mil postos serão obrigados a ter o produto dia 1º de janeiro. De acordo com Rocha, as distribuidoras vão começar a faturar o produto a partir da última semana de dezembro.

A Fecombutíveis, junto com outras entidades do setor, está procurando o Ministério Público e o governo federal para tentar convencer a ANP a mudar a resolução. Mas não descarta ir à Justiça contra as regras impostas pela agência. “O nosso departamento jurídico ainda está estudando essa possibilidade. Entendemos que a resolução, ao obrigar a comercialização do novo diesel, vai contra os princípios constitucionais do livre mercado”, explica.

R$0,06 mais caro

A Petrobras anunciou que vai disponibilizar para todos os estados do país, a partir de 1º de janeiro, óleo diesel com menor teor de enxofre, conhecido como S-50, por conter teor de enxofre de 50 miligramas por quilo de combustível (mg/kg) . Atualmente, o produto já é vendido em nove capitais e municípios das respectivas regiões metropolitanas para abastecer, principalmente, as frotas de ônibus do transporte público.

O S-50 provoca menos emissões de poluentes, como material particulado e óxidos nitrosos. Mas esta é uma vantagem ambiental que só valerá para os veículos mais novos, equipados com motores de padrão Euro 5, e apenas se for usado em associação com o produto Agente Redutor Líquido Automotivo, mais conhecido pela sigla Arla 32.

“Vamos ter uma melhoria substancial na qualidade do ar porque, com os motores novos Euro 5, que já estão sendo produzidos no país, mais o diesel 50 ppm [partes por milhão] e o Arla, teremos redução de 80% de materiais particulados e de 98% de óxidos nitrosos”, disse o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

Segundo ele, os motores a diesel mais antigos também vão emitir menos poluentes com o novo combustivel, porém, essa redução não será tão significativa. “Os motores antigos da nossa frota vão poder utilizar o diesel 50, mas a redução das emissões ficará em torno de 10% a 15%. A troca da frota vai se dar ao longo de muitos anos. A Anfavea [Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores] pretende vender, em 2012, de 160 mil a 170 mil veículos com motores novos [a diesel padrão Euro 5]. Mas nós temos uma frota de 2,3 milhões de veículos pesados”, comparou Costa. Atualmente, o S-50 corresponde a 6% das vendas totais de diesel da Petrobras.

Segundo o presidente da Petrobras Distribuidora, José de Lima Neto, no mínimo, 900 postos da bandeira BR Distribuidora vão oferecer o S-50 a partir de janeiro. A ideia é que os motoristas não precisem percorrer mais de 400 quilômetros para encontrar postos de combustíveis que ofereçam o novo produto, pois os motores a diesel da nova geração não podem rodar com o combustível antigo, mais pesado e poluente.

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) estimou que, em um primeiro momento, cerca de 3 mil postos deverão ter bombas para oferecer o novo produto. “A principal certeza é que, quem comprar um caminhão novo, não vai ficar parado na estrada. É o desafio principal, neste primeiro momento”, frisou Lima Neto.

O preço do litro de óleo diesel S-50 deve ser seis centavos mais caro que o do diesel S-500 (com teor de enxofre máximo de 500 mg/kg). Mas o motorista também vai ter que desembolsar de R$ 2 a R$ 3 por litro de Arla 32, na proporção de 1 litro do agente para cada 20 de diesel. O uso do Arla 32 será obrigatório porque, sem o produto, o motor poderá apresentar problemas e parar de funcionar.

“O motor [novo] tem um sistema de diagnóstico. Se começar a emitir acima da legislação, vai perder potência e o motorista poderá ter de parar o caminhão em determinado momento. É um produto mandatório de uso. Para evitar as emissões, você tem o custo do produto, como é na Europa”, explicou Lima Neto.

Atualmente, nos países membros da União Europeia, o diesel usado em veículos é o S-10 (10 mg de enxofre por kg). Nos Estados Unidos, o padrão é S-15 (teor de enxofre de 15 mg/kg) e S-500. No Brasil, atualmente, a Petrobras vende 66% de diesel S-1.800 (o mais sujo, com teor de enxofre de 18 gramas por quilo), 28% de S-500 e 6% de S-50. Para 2020, a empresa projeta vender 60% de S-10 e 40% de S-500.

Fonte: Revista Carga Pesada

Petrobras faz parceria com a montadora MAN para desenvolver combustíveis mais limpos

A Petrobras assinou um contrato nesta quarta-feira (14) com a montadora MAN, para desenvolver projetos de combustíveis e combustão para motores de veículos pesados. A parceria alia a experiência da companhia brasileira na pesquisa de combustíveis aos motores a combustão da maior fabricante de caminhões da América do Sul.

Um dos objetivos é desenvolver combustíveis e motores mais eficientes, que consequentemente poluem menos e são mais sustentáveis. “Com a obrigatoriedade da redução do teor de enxofre para 50 ppm (parte por milhão) em 2012 e 10 ppm em 2013, a parceria com a MAN será fundamental para os estudos desse novo cenário no Brasil”, afirma a Petrobras em comunicado.

Fonte: InfoMoney

Postos serão obrigados a fornecer novo tipo de combustível até 2012

Os fabricantes de ônibus e caminhões desenvolverão veículos adaptados para o óleo diesel S10, um novo tipo de combustível que reduz a emissão de poluentes. O S10 terá obrigatoriedade a partir de 2013. Os postos terão que se adaptar antecipadamente e, para isso, cada revendedor arcará com investimentos de cerca de R$ 100 mil (por posto), pois o novo produto deverá ser armazenado em tanques especiais e transportado em um tipo de caminhão próprio. A revenda terá que remanejar tanques e até mesmo instalar tanques adicionais.

O secretário-executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis de Mato Grosso, Bruno Borges, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) já realizou uma pesquisa com os donos de postos de diversos estados do País para saber quem está interessado em comercializar o produto. O resultado da pesquisa está em fase de finalização.

Para Borges, os donos de postos precisam se sentir motivados a realizar as adaptações. “Os revendedores dificilmente terão recursos para tal investimento. Trocar tanques para uma demanda ainda desconhecida custará caro, com certeza”, avalia.

Os empresários ainda não sabem se o Governo Federal disponibilizará algum incentivo para aderir à proposta. “Além disso, é um combustível altamente corrosivo e, por isso, toda a mecânica dos veículos a diesel devem ser alteradas e, nos postos, as bombas têm que ser apropriadas”, explica Borges.

O representante do Sindipetróleo ressalta também que, assim como os revendedores de combustíveis, os motoristas precisam tomar conhecimento sobre o novo produto para compreender melhor quais as mudanças a serem aplicadas a partir de 2012. Pela pouca demanda que deve haver no início, o litro do combustível deve chegar aos postos um pouco mais caro do que o do diesel comum. Também se estima aumento no preço dos veículos movidos pelo S10.

Em Mato Grosso existem mil postos de combustíveis. Estabelecimentos localizados em rodovia deverão ser os primeiros a aderirem à proposta, já que o atendimento é voltado principalmente para o abastecimento de caminhões.

Entenda a mudança

A fabricação de veículos que lancem menos poluentes no ar está previsto no Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores (PROCONVE), do Governo Federal e parceiros. Essa proposta abrange veículos rodoviários automotores de carga, de passageiros ou de uso misto, com capacidade para transportar massa total superior a 2,8 toneladas ou mais de 12 passageiros.

Óleos diesel com baixo teor de enxofre (S50 e S10) abastecerão a nova frota de caminhões e ônibus fabricados de 2012 em diante. O S50 será obrigatório a partir de janeiro de 2012. O óleo diesel S10 terá obrigatoriedade a partir de 2013.

Fonte: O Documento