Marcopolo analisa voltar a ter fábrica na Rússia

marcopolo audace verdeTrês ano após fechar suas fábricas na Rússia, a Marcopolo estuda a retomada da produção no país. Hoje, a empresa tem uma joint venture com o grupo russo Kamaz e atua montando veículos com peças produzidas na China. “Ninguém faria esse esforço se não houvesse um real interesse [de instalar a fábrica]“, diz o diretor-geral da empresa, José Rubens de la Rosa.

A planta, porém, depende ainda do resultado desse novo modelo de operação na Rússia. O acordo com a Kamaz foi fechado no ano passado, mas os primeiros veículos serão entregues em 2013. O interesse em voltar a produzir no local é decorrente do tamanho do território da Rússia e de sua população.

“A necessidade de transporte coletivo lá é evidente. O mercado potencial que poderíamos explorar é de 3.000 unidades por ano.”

Em 2009, a companhia fechou duas fábricas que tinha no país devido à crise internacional. Em seus dois anos de operação, elas produziram cerca de 520 veículos. A empresa deve fechar o ano com alta de 6% na receita líquida. “Foi um ano difícil para todo o segmento automotivo. Para nós, acabou não sendo tão ruim por causa das medidas anticíclicas do governo, como a compra de ônibus para o programa Caminhos da Escola.”

A crise argentina também não favoreceu à empresa. A produção no país caiu pela metade e houve redução no volume exportado. Os mercados chileno, peruano, paraguaio e uruguaio, porém, puxaram os embarques.

Fonte: Jornal Floripa

Randon avalia joint venture com fabricante chinês de escavadeiras

A Randon, de Caxias do Sul, firmou memorando de entendimentos com a empresa China Sinomach Heavy Industry Corporation para avaliar a viabilidade de constituir joint venture no Brasil para a fabricação e venda de escavadeiras. A associação, se confirmada, ampliará o leque de atuação da Divisão Veículos da Randon, que produz caminhões fora de estrada e retroescavadeiras em Caxias do Sul, e tem parceria com a italiana Perlini para a venda e assistência técnica de caminhões especiais com capacidade para até 100 toneladas no Brasil.

A diretoria da Randon não se pronunciou além do que foi divulgado no comunicado enviado à Bolsa de Valores. A fonte autorizada, seu diretor de relações com investidores, Astor Schmitt, está em viagem ao exterior, com retorno programado para a próxima semana. A assessoria de imprensa da Randon adiantou, no entanto, que os estudos de viabilidade deverão demandar em torno de seis meses., mas, já neste período a empresa caxiense comercializará, sob a marca conjunta Randon/Sinomach, as escavadeiras fabricadas pela Sinomach. Por meio da controlada Fras-le, a Randon tem na China uma fábrica para a produção de pastilhas de freios.

O mercado, no entanto, avaliou de forma positiva o anúncio. A associação, se confirmada, é vista como oportunidade para a oferta de um novo produto no portfólio da Randon, especialmente para atender a mercados da construção civil, que vêm apresentando expansão. Além disso, é um equipamento necessário aos investimentos em infraestrutura para os próximos eventos esportivos.

As dúvidas do mercado são quanto à forte concorrência que terá de ser superada, pois este mercado é atendido por grandes players, que praticamente dominam o segmento nacional de escavadeiras. Também é motivo de dúvida a perda de competitividade em relação a preço, pois, por serem máquinas importadas, inicialmente sofrerão com as barreiras comerciais que os concorrentes locais não têm.

A Sinomach é uma indústria de grande porte, fabricante de máquinas e equipamentos pesados, com forte capacidade de pesquisa e desenvolvimento na área de engenharia veicular e maquinaria. É uma subsidiária integral da Sinomach Group, listada como uma das 500 maiores empresas do mundo.

Fonte: Jornal do Comércio

Neobus faz parceria com norte-americana Navistar

A Marcopolo anunciou nesta quarta-feira que sua coligada San Marino (Neobus) assinou termo de compromisso com a norte-americana Navistar para a formação de uma parceria para a fabricação de ônibus completos. O foco inicial da parceria será nos mercados norte-americanos e da América do Sul.

“A San Marino aumentará seu portfólio e expandirá sua atuação geográfica. Na nova configuração societária, a participação da Marcopolo na San Marino passará a ser de 33 por cento”, afirmou o fato relevante nesta quarta-feira. A participação anterior era de 45 por cento, de acordo com a assessoria de imprensa da Marcopolo.

Segundo o documento, enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Navistar tem faturamento global superior a 15 bilhões de dólares por ano e é dona da IC Bus, maior fabricante do mundo de ônibus escolares, com produção anual de 16 mil unidades.

“A empresa é um dos principais fabricantes mundiais de caminhões e motores diesel, produzindo, anualmente, cerca de 90 mil veículos e 240 mil motores diesel, além de ser um dos maiores fornecedores de equipamento de transporte para as forças armadas dos Estados Unidos”, explicou a Marcopolo.

Fonte: Veja

Marcopolo e Caio estudam joint venture

A fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo comunicou nesta terça-feira a assinatura de um memorando de entendimentos para iniciar estudos para a formação de uma joint venture com a Twice Investimentos e Participações, controladora da concorrente Caio Induscar. A nova empresa será focada na produção de peças e acessórios para o mercado interno e de carrocerias para exportação.

De acordo com a Marcopolo, que assinou o memorando por intermédio da controlada Syncroparts, as duas empresas terão 45 dias para avaliar a viabilidade de formação da joint venture, bem como o portfólio de produtos e o local de instalação da nova fábrica. A nova empresa terá controle paritário e gestão independente, informou a companhia.

Incluindo a controlada Ciferal, com sede no Rio de Janeiro, a Marcopolo, de Caxias do Sul (RS), é a maior fabricante de carrocerias de ônibus no Brasil e produziu 13,4 mil carrocerias no mercado interno em 2010, de acordo com o ranking da Fabus, associação que reúne as indústrias do setor. A Caio Induscar, com sede na capital paulista e fábrica em Botucatu (SP), aparece em segundo na lista, com 9 mil ônibus produzidos no ano passado.

Fonte: Valor Econômico

China aprova joint-venture da Daimler Trucks com Beiqi Foton

 A Daimler, maior fabricante do mundo de veículos comerciais, explorará o mercado de caminhões da China, que tem previsão de crescer 25 por cento nesta década, depois de receber a aprovação das autoridades regulatórias chinesas para uma joint-venture.

A Daimler anunciou nesta segunda-feira que o ministério do Comércio da China deu aval para a parceria com a Beiqi Foton, unidade de caminhões da Beijing Automotive (BAIC). A assinatura da carta de intenções tinha ocorrido em agosto de 2008.

“Como nossa participação de 50 por cento na Foton Daimler Automotive, fortaleceremos nossa posição de importante empresa no mercado da China”, afirmou o presidente-executivo da Daimler, Dieter Zetsche, em comunicado.

A montadora alemã prevê que o mercado chinês de caminhões com mais de seis toneladas crescerá para cerca de 1,5 milhão de veículos em 2020, contra 1,2 milhão no ano passado.

Com uma segunda fábrica de caminhões ampliando produção, a joint-venture terá uma capacidade anual para 160 mil caminhões.

Fonte: Uol Carros

Daimler Trucks e Kamaz desenvolvem um novo caminhão na Rússia

A fim de produzir novos modelos de caminhões Kamaz, a Daimler Trucks e Kamaz colaborarão estreitamente em desenvolvimentos futuros. As duas empresas assinaram um memorando de entendimento sobre a produção de caminhões na COMTRANS, feira de veículos comerciais na Rússia. A Mercedes-Benz vai começar a entregar à Kamaz, na segunda metade de 2012 os primeiros caminhões. Mais tarde, os caminhões serão montados na planta de produção da Kamaz em Chelny na República Russa da Tartária e posteriormente serão fabricados totalmente na planta. O novo caminhão Kamaz com componentes da Daimler Trucks,servirá para atender a norma Euro 5 na Rússia que entra em vigor em 2014 para limitar as emissões.

Andreas Renschler, Membro do Conselho de Gestão Daimler, responsável pela Daimler Trucks e Daimler Buses, disse: “Estamos satisfeitos em expandir nossa cooperação com a Kamaz. A Rússia continua a ser o maior mercado de caminhões da Europa, com um volume de mercado de 79.000 unidades acima de seis toneladas no ano passado e quase 190 mil unidades previstas para 2020. Em conjunto com nosso parceiro, estamos no caminho certo para oferecer caminhões para o mercado russo.”

A Daimler Trucks iniciou a participação estratégica na Kamaz em dezembro de 2008. Após o aumento de sua participação na empresa russa em junho de 2010, a Daimler AG e do Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento, em conjunto, realizaram a compra de 15% das ações da Kamaz.

Fonte: Daimler

Marcopolo e KAMAZ formalizam negócio

Foi assinado um acordo nesta terça feira, 13, para a criação entre a Marcopolo S.A – por meio de sua controlada PoloAutoRus LLC – e o Grupo OJSC KAMAZ. O contrato foi sacramentado durante a abertura da Exposição COMTRANS, maior feira do setor de ônibus, caminhões e veículos especial da Rússia, Comunidade dos Estados Independentes (CEI) e Europa Oriental.

Com este negócio, as duas empresas comercializarão ônibus da companhia brasileira utilizando os chassis da fabricante russa com a tecnologia Euro 4, exigida pelas autoridades locais (no Brasil a legislação exige Euro 3, e a partir do ano que vem, os motores a diesel devem seguir o Euro 5). Os veículos serão montados na planta da subsidiária da KAMAZ, a OJSC NEFAZ, que fica na cidade de Neftekamsk, na República do Bashkortostan.

A perspectiva é que a parceria entre as duas fabricantes renda os primeiros frutos em 2012, no ano que vem estão previstos a fabricação de 250 unidades, sendo que, em 2016, a produção poderá chegar a três mil ônibus por ano.

Durante a exposição, foi apresentado o primeiro modelo desenvolvido pela joint venture foi um micro-ônibus, com chassi Kamaz Euro 4 e design Marcopolo, com componentes de grandes marcas mundicais como Cummins, ZF, Daimler e Knorr-Bremse.

Fonte: Webtranspo

Mercado novo

Em processo de expansão internacional, a Marcopolo anunciou uma possível joint-venture com a montadora russa Kamaz. Um Memorando de Entendimentos foi assinado pelas partes, que deverão conduzir um estudo de viabilidades para a criação de uma nova empresa para atuar nos mercados da Rússia e da CEI (Comunidade dos Estados Independentes, formada por Armênia, Azerbaijão, Bielorrúsia, Cazaquistão, Quirguistão, Moldávia, Tajiquistão, Turcomenistão, Ucrânia e Uzbequistão, além da própria Rússia).

A nova empresa, quando constituída, será destinada a comercialização de ônibus cujas carrocerias Marcopolo serão montadas sobre chassis Kamaz, equipados com propulsores emissões Euro IV e superiores.

Perfil

Em dezembro de 2010, a Kamaz confirmou que seu plano de expansão prevê a entrada da marca em mercados da América Latina e da África do Sul. Sendo que o Brasil também poderá receber os veículos comerciais da marca. Segundo comunicado oficial divulgado na época, a Daimler Trucks poderá ser a parceira da marca nesses novos mercados.

A Kamaz é a maior empresa automobilística da Rússia, formada por 96 empresas, das quais 13 são subsidiárias principais. Os principais produtos da companhia são caminhões de GVW 14-40 toneladas, com motorização a diesel e a gás. Os veículos da KAMAZ são operados em mais de 80 países da CEI, Europa, Ásia, África e América Latina.

Fonte: Transpoonline