Agrale comemora a produção de 100 mil veículos da marca

chassi agrale ma 100milA Agrale, fabricante brasileira de caminhões, chassis para ônibus, utilitários, tratores e motores diesel, comemora neste mês a produção de 100 mil veículos da marca. A unidade 100 mil é um chassi MA 10.0 para micro-ônibus equipado com sistema de freio ABS adquirido pelo cliente Magnus Isse, operador de transporte coletivo e proprietário das empresas Viação Nova Geração, Viação Pelicano, Viação Primavera e Expresso Assur, de Porto Alegre.

Segundo Hugo Zattera, diretor-presidente da Agrale, o volume de veículos produzidos pela marca é muito expressivo e demonstra o sucesso de mercado alcançado pela empresa, no Brasil e no exterior. “Para uma empresa como a nossa, nacional, que começou a fabricar veículos modestamente, a marca de 100 mil veículos é muito emblemática. Do TX 1100 (primeiro caminhão a ser fabricado pela Agrale, em 1982) ao chassi de número 100 mil, entregue hoje, percebe-se que o sonho do líder visionário da Agrale, Francisco Stedile, se tornou realidade. O senhor Magnus Isse e suas empresas representam, de certa forma, todos os clientes da Agrale pela relação de parceria que mantemos.”

“Foi uma grata surpresa ter sido o comprador do chassi 100 mil, e isso é motivo de orgulho para mim, que aposto na Agrale há 30 anos e adquiri o primeiro chassi de micro-ônibus da empresa. Atualmente, temos uma frota de 46 veículos Agrale, e neles percebemos duas grandes características: baixo custo de manutenção e durabilidade. Fico feliz pelo crescimento da Agrale e por fazer parte da história de 50 anos da empresa”, afirma Magnus Isse.

Trajetória marcada pela robustez e versatilidade

A Agrale iniciou suas atividades em 1962, com a fabricação de microtratores de duas rodas e nestes 50 anos, transformou-se em exemplo de sucesso nos mais competitivos segmentos do mercado automotivo, com a imagem consolidada de pioneirismo, inovação, forte atuação em nichos de mercado e sólidas parcerias.

Em 1982, lançou os primeiros caminhões da marca e, em 1996, os chassis de ônibus, seguidos pelos veículos utilitários Agrale Marruá, em 2004. Hoje, a Agrale produz modernas linhas de caminhões, chassis para ônibus, utilitários, tratores e motores diesel e conta com quatro parques industriais, três deles localizados na cidade de Caxias do Sul (RS) e um em Mercedes, Província de Buenos Aires, na Argentina.

Fonte: Agrale

Agrale mostra tecnologias inteligentes no simpósio SAE Brasil de Mobilidade Urbana

A Agrale apresentou em detalhes os projetos do ônibus híbrido, Hybridus, e do Agrale Marruá Elétrico, destaque da itaipu Binacional no Rio+20, no painel sobre Emissões/Propulsão durante o Simpósio SAE BRASIL de Mobilidade Urbana, ocorrido dia 13 de junho em Caxias do Sul.

De acordo com o engenheiro Pedro Soares, diretor técnico, a empresa investe no entendimento de tecnologias modernas, eficazes e, sobretudo, limpas e ecológicas. O executivo detalhou especificações do Hybridus e revelou a um público formado por engenheiros, técnicos de trânsito e órgãos governamentais, o Agrale Marruá elétrico.

“O mundo automotivo está constantemente estudando possibilidades para reduzir ainda mais a emissão de gases na atmosfera, seja dos automóveis ou dos ônibus e caminhões. Nós estamos acompanhado esses estudos e avançando com a produção de novas alternativas”, disse Soares, antes de discorrer sobre os sistemas de motorização substitutos ao diesel e que proporcionam mais desempenho e conforto e menos consumo e emissão de ruídos.

Na apresentação de Soares ficou claro que o Hybridus, desenvolvido pela Agrale em parceria com a Siemens e a Cummins, é inovador. Os propulsores elétricos que equipam o veículo seguem o conceito ELFA®, utilizam o princípio de híbrido de série e permitem ser padronizados. Com o ELFA, a energia de frenagem armazenada sempre é reutilizada nas acelerações e retomadas. O motor diesel somente é acionado na partida ou quando for solicitada uma maior aceleração.

Dependendo da capacidade de armazenamento do sistema, o ônibus também pode ser operado apenas com energia elétrica, ou seja, sem qualquer emissão de gases e de ruídos. No entanto, Soares acredita que a demanda desta modalidade de veículo ainda está aquém do ideal no Brasil. “Não é possível ter custo competitivo se não houver escala”, resumiu.

O utilitário Agrale Marruá movido com motorização 100% elétrica é um dos destaques da Itaipu Binacional na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Derivado de uma parceria entre a Itaipu Binacional, a Agrale S/A e a Stola do Brasil, o Marruá AM 50 possui duas baterias de sódio recarregáveis, com autonomia de aproximadamente 100 quilômetros.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Agrale desenvolveu o primeiro chassi para miniônibus 4×4 do mercado brasileiro

A Agrale desenvolveu o primeiro sistema de tração nas quatro rodas do mercado brasileiro para miniônibus. Lançado em fevereiro deste ano, o chassi com encarroçamento Volare Escolarbus 4X4, foi concebido para trafegar em locais de difícil acesso onde um veículo com tração convencional não tem condições de ser utilizado.

Segundo Pedro Soares, diretor técnico da Agrale, o projeto foi desenvolvido em parceria com a Volare para atender à demanda do programa Caminhos da Escola para o transporte de estudantes na zona rural. “Foi um trabalho no qual utilizamos a nossa experiência na fabricação de utilitários militares 4×4 para conceber esse novo projeto. O resultado foi um modelo com sistema de tração muito robusto e que pode trafegar com segurança e tranquilidade por locais sem pavimentação, de difícil acesso e até alagados”.

O chassi Agrale 4×4 possui características que facilitam a condução, mesmo em locais sob condições severas. Tem ângulos de entrada e saída maiores, distribuição de peso diferenciada para melhorar a transmissão de força, e proteções especiais para o cárter do motor e para o tanque de combustível.

O projeto recebeu eixo dianteiro tracionado e sistema de transmissão com a opção de utilização 4X2 (somente tração nas rodas traseiras), 4X4 (tração nas rodas dianteiras e traseiras) e 4X4 com reduzida, que multiplica o torque em baixas rotações nos dois eixos para facilitar a locomoção em percursos difíceis. As suspensões dianteira e traseira também foram recalibradas, para aumentar o vão livre em relação ao solo, sem comprometer o acesso dos estudantes.

É equipado com motor MWM, com potência de 110 cv e torque de 380 Nm, câmbio EATON de cinco velocidades e caixa de transferência de dupla velocidade, com PBT de 6.650 kg.

Fonte: Assessoria de Imprensa Agrale

Agrale apresenta os novos chassis micro e midi na norma Proconve P7

Agrale apresenta os novos chassis para Micro e Midibus desenvolvidos de acordo com a nova fase do Programa de Controle de Emissões Veiculares – PROCONVE P7, que entrará em vigor em janeiro de 2012. Os modelos MA 8.7 e MA 15.0 são equipados, respectivamente, com motorizações Cummins ISF 3.8 e MWM International MAXXFORCE 4.8 e utilizam o sistema SCR (Selective Catalitic Reduction) com a injeção em catalisador do ARLA 32 (Agente Redutor Líquido de NOx Automotivo).

Segundo Pedro Soares, diretor técnico da Agrale, a escolha por essa tecnologia ocorreu devido aos benefícios que proporciona na diminuição de emissões de (NOx) óxidos de nitrogênio e do consumo de combustível, além de permitir que o frotista controle e gerencie melhor o funcionamento do veículo e a sua manutenção.

“Estamos trabalhando no desenvolvimento da nossa família completa de veículos, que envolve caminhões, chassis e utilitários, há mais de dois anos. Entre outras vantagens, o sistema SCR possibilita ao fabricante configurar e programar a combustão do motor para obter a máxima eficiência, com redução do material particulado e da fumaça”, explica Pedro Soares.

“Trabalhamos bastante também na definição do melhor posicionamento dos novos componentes do sistema, na configuração do chassi e na distribuição de peso, visando o melhor aproveitamento da carroceria para a sua aplicação”, salienta Pedro Soares. Com tecnologia própria para o transporte de pessoas, as já reconhecidas características de versatilidade, segurança, conforto e eficiência da linha de chassis Agrale foram mantidas nos modelos para 2012, assim como os atributos de economia operacional e diversidade de opções de distâncias de entre-eixos, permitindo o atendimento das demandas do mercado.

Sistema SCR

O sistema SCR, que em português significa Redução Catalítica Seletiva, é uma tecnologia que reduz drasticamente as emissões de NOx e, ao mesmo tempo, ajuda a proporcionar economia de combustível e confiabilidade, sem muitas mudanças na parte mecânica do motor. A nova legislação exige a redução de 80% das emissões de material particulado (MP) e de 60% de óxidos de nitrogênio quando comparada com a fase anterior (CONAMA P4).

O SCR faz a redução dos óxidos de nitrogênio por meio da injeção de uma substância química denominada ARLA 32 (Agente Redutor Líquido de NOx Automotivo), que tem como base a água e a ureia, dentro do escapamento do veículo.

Sem redução da capacidade de transporte de passageiros

Para incluir os componentes necessários para o funcionamento do sistema SCR, a Agrale fez diversos estudos para manter a capacidade de transporte de passageiros.

“Com isso, colocaremos à disposição de nossos clientes e das fabricantes de carrocerias diferentes modelos de chassis para que não haja diminuição no número de poltronas nos veículos, diferencial muito importante no mercado”, afirma Pedro Soares.

Novas tecnologias

Destinados à utilização nos mais diversos tipos de aplicações, os chassis Agrale MA 8.7 e MA 15.0 são equipados com o sistema de diagnóstico OBD (On Board Diagnostic) e ganharam novo cluster (painel), com display digital, que se comunica com todos os módulos eletrônicos do veículo, melhorando o controle do motorista.

A grande inovação dos chassis MA 8.7 e MA 15.0 está na ampliação da eletrônica embarcada aplicada nos produtos. O sistema OBD é um módulo de gerenciamento do nível de emissão de poluentes que garante o atendimento da legislação e protege o meio ambiente. Ele também permite o diagnóstico de falhas, por meio de indicação eletrônica no painel. Assim, facilita a manutenção e proporciona rapidez no atendimento de assistência técnica.

O painel dos novos chassis Agrale possui computador de bordo completo que fornece importantes informações para o motorista, como consumo instantâneo, médio e por 100 km, além de autonomia e nível de combustível no tanque, entre outros itens. “Tudo isso se traduz em benefício para uma condução mais eficiente e redução nos níveis de consumo”, completa Soares.

Outros benefícios que foram incorporados aos novos chassis Agrale são o piloto automático, em ambas as motorizações MWM e Cummins, que permite a programação inteligente e econômica em viagens, e a opção pelo sistema de rastreamento original de fábrica, que possibilita um melhor monitoramento da frota.

Importância da correta manutenção no P7

Com a entrada em vigor, a partir de janeiro de 2012, da nova norma P7, a correta manutenção dos veículos e a atenção aos prazos e limites contidos no manual do fabricante passam a ser fundamentais para prolongar a vida útil dos veículos e garantir o seu perfeito funcionamento. O cuidado com a qualidade do combustível (diesel com o teor de enxofre S50 ou S10) e com os níveis do reservatório de ARLA 32 pode proporcionar menores índices de emissões, redução no custo operacional e maior durabilidade.

Ampla linha de chassis

Maior fabricante brasileira de chassis leves e líder no segmento há 13 anos, a Agrale S.A. possui uma gama diversificada de veículos de 6 a 15 toneladas de PBT, com diversos modelos. De conceito inédito, a família oferece as opções de motor traseiro, piso baixo, suspensão pneumática e transmissão automática.

Os chassis Agrale atendem à demanda existente no mercado por veículos mais econômicos e compactos, sobretudo nos segmentos urbano e de fretamento, e são menos dispendiosos que os tradicionais ônibus urbanos.

Chassi Agrale MA 8.7

Indicado para operações urbanas em linhas centrais e interurbanas ou intermunicipais de curta distância, o chassi MA 8.7 tem como principais diferenciais o menor custo operacional e de aquisição, melhor acessibilidade aos passageiros e a multifuncionalidade de opções de configuração. Com tamanho diferenciado e PBT de 8.700 kg, o modelo permite maior agilidade no trânsito que os ônibus convencionais.

Chassi Agrale MA 15.0

Desenvolvido para o segmento de Midibus, o chassi Agrale MA 15.0 tem características únicas que permitem transportar maior número de passageiros, com mais conforto e segurança do que o micro-ônibus e também garante maior agilidade no trânsito urbano que os ônibus convencionais. Indicado para aplicações urbanas ou intermunicipais de curtas e médias distâncias, o chassi MA 15.0 é equipado com motor MWM de 4.8 l, com potência de 190 cv a 2.200 rpm e torque de 720 Nm. O modelo tem PBT 15.000 kg, distância entre-eixos de 4.300 mm a 5.250 mm e caixa de transmissão EATON de seis velocidades.

Agrale comemora vice-liderança no mercado argentino de ônibus

A Agrale assumiu a vice-liderança no mercado argentino de chassis para ônibus. Com 25,6% de participação, a empresa comercializou 1.022 unidades no ano passado e tem destacada presença nos segmentos de Minibus, com aproximadamente 50% de market share, e no de Midibus, principalmente nos modelos urbanos com motor traseiro e piso baixo.

De acordo com Flávio Crosa, diretor de Vendas da Agrale, o desempenho alcançado na Argentina demonstra a forte presença da marca naquele país e é o reconhecimento da qualidade e durabilidade dos veículos. “Robustez, confiabilidade, economia e a versatilidade nos mais diversos tipos de aplicação são os atributos admitidos pelas empresas argentinas operadoras de transporte de passageiros. Também a nossa presença com fábrica na cidade de Mercedes é fator fundamental para esse sucesso”, explica o executivo.

A Agrale chegou a ser líder no segmento de caminhões leves antes da crise que atingiu o país em 2001. Em 2005, com a retomada da economia local, a empresa criou a Agrale Argentina, para a comercialização de seus produtos e, no final de 2009, iniciou as atividades de produção em uma nova planta, na cidade de Mercedes, onde são fabricados os chassis para micro e midibus dos modelos MA 8.5, MT 12.0 e MT 15.0, além de caminhões leves Agrale 8500.

Fonte: Agrale