Quem dirige caminhão tem audição ameaçada

caminhoneirosPAINPSE. Sigla estranha, não é? Bom, se você trabalha como motorista de caminhão ou de ônibus, é melhor ficar atento a ela. Sua audição vai agradecer.

O vocábulo refere-se à patologia Perda Auditiva Induzida por Níveis de Pressão Sonora Elevados. Trata-se de um problema que atinge pessoas expostas a sons que ultrapassam os 80 decibéis – coisa comum para condutores de veículos grandes.

Segundo a fonoaudióloga Edleine Martinez Maza, da Telex Soluções Auditivas, a medida acima, independente do tempo de exposição ao barulho, não causa danos. Agora, se passar disso, os sinais de desgaste começam a aparecer.

“O primeiro sintoma é um zumbido, um barulho que sempre piora na hora de dormir, por causa do ambiente mais silencioso. A segunda queixa é que a pessoa escuta, mas não entende o que é falado. Então, pede para os outros falarem mais alto”, explica.

E o pior – atenção, motorista: “Dificilmente, o condutor terá perda total do sentido. Mas há diminuição progressiva e até severa. E sempre que for por causa de pressão sonora, é irreversível”.

Edleine ressalta que, na maioria dos casos, o ouvido direito é mais afetado. A razão é o fato de os motores dos ônibus, geralmente, ficarem daquele lado de quem dirige.

Atualmente, muitos sofrem de PAINPSE. Um levantamento do Ministério Público do Distrito Federal apontou que 45% dos cerca de 15 mil motoristas e cobradores do transporte público de Brasília apresentavam perda auditiva. De acordo com a fonoaudióloga, não há pesquisas desta natureza na Baixada Santista.

Prevenção

Edleine coloca que existem duas formas de prevenção. A melhor é não se expor a sons acima de 80 decibéis. A outra é usar EPI (equipamento de proteção individual) – o que não é fácil, principalmente para aqueles que guiam ônibus.

Fonte: Jornal A Tribuna