Empresas cobram especialização de motoristas de caminhão na região

As empresas de transporte na região de São Carlos (SP) encontram dificuldades na hora de contratar motoristas de caminhão por falta de especialização. Segundo a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), a Carteira Nacional de Habilitação não é mais suficiente para exercer a profissão adequadamente.

“Há 15 anos você entrava num caminhão, dava partida e saía. Hoje não. Hoje é necessário um check list e uma tecnologia ligada ao veículo para que o caminhoneiro possa embarcar com segurança e dar segurança aos outros usuários da rodovia”, justifica o presidente da Abcam, Claudemir Natal Pelegrine.

O problema ficou mais evidente desde a última semana, quando entrou em vigor a lei 12.619/12 que fixa jornada para os motoristas de caminhão. A nova regra estabelece um descanso de 11 horas a cada 24 horas trabalhadas. Com isso, o tempo máximo no volante será de quatro horas com intervalo de meia hora pra descanso. Para respeitar esses horários e cumprir a demanda, as empresas agora têm que contratar mais caminhoneiros. O sindicato da categoria estima um aumento de 30% nas contratações.

Mas, para trabalhar na função é necessário ter um ano de experiência em direção de carros e fazer 15 aulas práticas para conseguir a habilitação na categoria C. “Nessa categoria ele vai dirigir qualquer tipo de caminhão, independente da capacidade de carga, porém tem que ser veículo toco ou aquele chamado de truck”, explica o proprietário de uma autoescola, Ariovaldo Brocco.

Para dirigir caminhões maiores, como as carretas, é exigida habilitação do tipo E. “A primeira parte específica que olhamos quando vamos contratar alguém é a questão da categoria da carteira de habilitação. Muitas vezes, a grande maioria chega aqui sem essa qualificação”, afirma Éber Alessando de Oliveira, dono de transportadora.

Ascenção

Já para conseguir um salário melhor, a dica é se especializar ainda mais, com curso para transportar tipos diferentes de cargas. “Quem for trabalhar com transporte de combustível tem que fazer o curso pertinente a essa especialidade”, sugere Brocco.

E para os empresários, o bom motorista, além de saber lidar com a tecnologia, precisa também ser muito paciente. “Hoje, se precisar entregar uma carga em um grande varejo ou supermercado, ele chega a ficar até 6 horas ou um dia inteiro para entregar uma carga pequena. Se ele não tiver um mínimo de paciência, vai acabar indo embora sem realizar o serviço”, justificou o dono da transportadora.

Fonte: EPTV