Iveco Daily Massimo com freios a ar

por Blog do Caminhoneiro

O Centro de Desenvolvimento de Produto da Iveco, em Sete Lagoas, MG, já gerou vários filhotes. O primeiro caminhão que nasceu lá foi o Daily 7T 70C16, que conquistou mercado no segmento de médios. Dobrou o mar­ket share da marca na categoria de 6,1 a 7,9 t de PBT, passando de 4,6%, em 2008, para 8,5% em 2009. Mesmo assim, o modelo “voltou para casa” e passou por um processo de “renascimento”. O Daily Massimo, traz diversas novidades técnicas e, como opcional, um sistema de rotarização via GPS, desenvolvido a partir da parceria da fabricante com a Magneti Marelli.

Para começar a contar sobre o modelo, vamos aos seus destaques. Um de seus principais ganhos está no PBT. Conquistou a possibilidade de transportar até 685 kg a mais de carga em relação aos concorrentes – o antigo Daily 7T tinha capacidade para 4 420 kg, enquanto o Massimo suporta 4.585 kg. Esse acréscimo também se deve à nova opção de entre-eixos apresentada, de 4 350 mm. Em termos de estrutura, conta ainda com rodas de 17,5 polegadas. “Os clientes precisavam de mais flexibilidade”, diz Marcello Motta, gerente de plataforma de caminhões leves e médios da Iveco.

Isso vem ao encontro das necessidades do público que utiliza esse tipo de veículo, que são grandes e pequenas empresas do transporte porta a porta, urbano e interurbano, de viagens curtas e trajetos caracterizados pelo “anda e para”. “Esse fato faz com que o caminhão consiga levar a mesma carga em oito viagens, sendo que o normal seria em dez. Ou seja, ele é mais produtivo para o transportador”, explica Motta.

O Daily Massimo traz mais robustez e força do que o modelo anterior. Ficou 50 mm mais alto, tem linhas mais modernas e arrojadas e vem com o motor FPT F1C, com 155 cv, 4 válvulas por cilindro e torque máximo de 40,8 mkgf em uma faixa de utilização de 900 rpm. O coração do caminhão já vem preparado para rodar com o combustível B-5 e é adequado às normas Euro 5. A transmissão é Eaton, de cinco marchas, com overdrive e engates mais precisos. “O Massimo traz mais agilidade nas arrancadas, força nas retomadas e suavidade em sua utilização”, enfatiza Motta.

Além disso, conta com um novo sistema de freio pneumático, com maior capacidade de frenagem e melhor desempenho. Na categoria, segundo a Iveco, é o único da marca no mundo a possuir freio com compressor a ar. E traz o mesmo conceito empregado nos caminhões médios e pesados da marca: eixo traseiro com freios a tambor e sistema tipo S-CAM, para as operações de serviço, e câmara do tipo spring brake, para estacionamento. Nas rodas dianteiras, o freio a disco hidráulico servoassistido continua marcando presença, por conta de sua eficiência.

O conforto é um dos pontos levados em conta no desenvolvimento do Massimo. A porta tem ampla abertura e os degraus são mais baixos, para facilitar a entrada do condutor e passageiro no caminhão. “O design interno ergonômico lembra o de um carro de passeio”, destaca o executivo da Iveco.

Para o bolso do frotista, o Massimo traz boas notícias, principalmente no que diz respeito à manutenção em aplicações severas. No orçamento, a conta começa com várias economias, como, por exemplo, 40% a menos na troca do óleo de motor, 60% no óleo de câmbio e 50% no fluido do eixo traseiro, pelo fato de poder rodar mais quilômetros sem prejudicar a qualidade dos produtos.

O Daily Massimo pode ser adequado a diversos tipos de implementos, como baús frigoríficos ou isotérmicos, basculantes, plataformas hidráulicas, tanques, guindastes, e usado para diferentes tipos de atividade, como bombeiro e transporte de animais, botijões ou bebidas. Uma das novidades nesse sentido são as suas plataformas de autossocorro, oferecidas com cabine dupla.

Oferecido em duas versões – Luxo e Exclusive – a preços que vão de R$ 94 000 (cabine simples) a R$ 122 000 (cabine dupla), o Daily traz um pacote de opcionais significativo. A versão Luxo sai de fábrica com preparação para som, direção hidráulica e piloto automático. Já a Exclusive traz ainda travas, vidros e retrovisores elétricos. Além disso, o cliente ainda pode optar por ar-condicionado, CD player com MP3 e airbag para o motorista.

No entanto, nenhum desses opcionais chama tanto a atenção como o roteirizador Multi Connect, que possibilita maior eficiência nas entregas. Disponibiliza mapas de mais de 1 300 cidades brasileiras, 200 municípios argentinos e 560 000 pontos de interesse, como concessionárias Iveco, postos de gasolina, hotéis, restaurantes, farmácias, hospitais, padarias etc. Mas um de seus atrativos é o fato de poder programar 30 rotas sequenciais, fornecendo informações sobre desempenho, consumo de combustível, além de detalhes da viagem, como tempo percorrido nos trechos e velocidade, entre outros. Com interface amigável e tela do tipo touch screen de 5 polegadas, o produto pode ser personalizado, com dados como PBT, número de eixos e altura dos implementos.

A expectativa da Iveco em relação às vendas do Massimo vem amparada pelos resultados do modelo anterior.

Fonte: Transporte Mundial

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-3532-4235

Artigos relacionados

3 comentários

Jakson R Silveira 13/03/2018 - 00:06

Sei que a matéria é antiga, mas será que alguém consegue uma informação sobre o consumo deste modelo 70c16 Massimo ano 2011. Não acho esta informação em lugar nenhum…

Se possível me respondam no email. jaksonfox@msn.com

Reply
Sandro 08/01/2019 - 20:00

O meu está fazendo 10 por litro

Reply
alexc12 05/06/2013 - 17:29

ja trabalhei como o modelo 2010 eesse sistema de freio eh deficitário, pq esse caminhao e muito leve e tem tendencia d perder a frente em frenagem d emergencia,nem to falando do resto do conjunto mecanico deste caminhao, mais deveriam colocar assim como a gm fazia com a d20 ea silverado sistema d abs na traseira ou total,com certeza vai melhorar muito a segurança deste caminhao.

Reply

Escreva um comentário