Disputa judicial pode atrasar a definição do título da Fórmula Truck 2011




No domingo, os 24 caminhões da Fórmula Truck estarão alinhados no Autódromo Internacional de Brasília para a última etapa da temporada. Idealizada em 1987 pelo santista Aurélio Batista Félix, apaixonado pelos grandes automóveis e morto em 2008, a categoria chega ao 16° ano com uma estrutura que não cabe nos veículos do grid e uma briga pelo título proporcional ao público esperado no evento.

Apenas sete pontos separam o líder, o paulista Felipe Giaffone, do segundo colocado, o brasiliense Geraldo Piquet. A disputa entre os dois deixou as pistas e foi parar no tapetão. Na última etapa, realizada em Curitiba, no início do mês, o filho mais velho de Nelson Piquet bateu no caminhão de Giaffone e o tirou da prova. O acidente rendeu ao piloto candango 30 dias de suspensão, o que o impedia de correr em casa. Mas uma liminar o liberou para correr em Brasília, com uma condição: os pontos conquistados não serão computados até Geraldo Piquet ser julgado pela colisão que provocou.

O entrevero entre os dois pilotos está longe de se resolver. Felipe Giaffone, da Volkswagen, e Geraldo Piquet, da Mercedes-Benz, ainda não se encontraram após o acidente e, quando trocaram mensagens por meio de uma rede social na internet, discutiram asperamente. Até o dia da prova (domingo, às 13h), eles também não pretendem conversar.

LEIA MAIS  PRF salva caminhoneiro de 62 anos que dirigia em ziguezague na BR 020

“Meu foco é a corrida. Não temos o que dizer um ao outro, mas se ele quiser… Eu vou fazer o meu trabalho na pista”, diz Geraldo Piquet, que não vê vantagem por correr em casa. “Estatisticamente, eu ando bem aqui, mas é mais uma questão psicológica. Só vou ter estratégia definida depois de sábado, quando souber minha posição. Quero largar em primeiro e ir embora. Mas, independentemente da classificação no grid, o negócio é correr”, brinca.

LEIA MAIS  Projeto de lei gera multa para prática de "pegar rabeira"

O líder Giaffone não acredita no potencial do adversário e caprichou nas provocações. Para ele, o brasiliense nem está na briga pelo título. “Eu só estou disputando o título com o Valmir (terceiro colocado) e com o Cirino (quarto)”, afirma. “Ele (Piquet) vai correr, mas estará sub judice. Não sei o que vai fazer na pista. Toda essa confusão fez a gente perder o entusiasmo no campeonato. A decisão não terá mais a mesma atratividade”, comenta.

Além da disputa no campeonato de pilotos, Giaffone e Piquet protagonizam a briga pelo título de construtores, que tem Volkswagen e Mercedes-Benz empatadas na liderança, com 223 pontos.

Fonte: Super Esportes




Deixe sua opinião sobre o assunto!

error: Cópia de conteúdo desabilitada !!