Sindicato rejeita proposta formal da Busscar




O Sindicato dos Mecânicos de Joinville, SC, rejeitou proposta de acordo feita pela Busscar Ônibus para pagamento de salários e benefícios atrasados dos trabalhadores. A decisão foi manifestada no segundo encontro da Justiça do Trabalho com representantes da entidade e da encarroçadora, que precisa apresentar até o fim deste mês um plano de recuperação judicial para aprovação pelos credores.

A proposta feita pela empresa, por meio de seu advogado, é que os 2,1 mil trabalhadores que entraram com ações individuais para cobrança dos atrasados recebam R$ 9 milhões parcelados em doze meses, pagos com o fluxo de capital que entrar durante a recuperação judicial. O presidente do sindicato, João Bruggmann, sustentou que o valor cobre pouco mais de 20% do que é devido aos trabalhadores, estimado em R$ 40 milhões.

O sindicalista reivindica que antes deste acordo haja a apresentação de proposta para liquidação da ação coletiva, que estava em andamento e seria acertada com leilão de bens da companhia – suspenso quando a recuperação começou. “O trabalhador não pode perder nada do que está esperando para receber.” Para Bruggmann, a proposta não é objetiva nem clara, pois “expressa a intenção da Busscar em se utilizar novamente dos trabalhadores para apoiar suas intenções com outros credores”.

Bruggmann recebeu garantia de que a equipe responsável pela recuperação judicial apresentará o valor exato da dívida trabalhista, que o sindicato estima ser de R$ 120 milhões, dos quais R$ 65 milhões em salários atrasados desde abril do ano passado e décimo-terceiro, e R$ 55 milhões em débitos com o Fundo de Garantia. Já a empresa, segundo apurou o presidente durante a reunião, espera receber novas encomendas de ônibus nos próximos dias. A meta é produzir 3,5 mil unidades anualmente a partir do terceiro ano de recuperação.

Fonte: Autodata




Deixe sua opinião sobre o assunto!