Homenagem: Clovis Casimiro de Souza

Esta postagem é uma homenagem póstuma para o Sr. Clóvis. E é um texto de André Zur.
 


Clovis Casimiro de Souza, morador de São José dos Campos-SP, mais conhecido por Andante ou Passarinho e que pela vontade de Deus nos deixou no último dia 29/12/11.

Homem de garra,coragem e determinação, um amigo incomparável, profissional de ponta, verdadeiro lutador já que os carreteiros vivem exatamente uma luta constante e assim ele veio fazendo nos últimos 3 meses, lutando para viver, nos demostrando total confiança de que tudo iria acabar, assim como pelejou a vida toda, nos provou que não iria se entregar fácil… Parecia querer que nós o vissemos bem mesmo em condições contrárias.

Mesmo em condições quase que impossíveis, um estado físico debilitado mas lutou até quando chegou a sua hora de partir. Nosso eterno carreteiro, sofria de um câncer de estomago e quem em dois meses ele veio a perder a vida, mesmo quando parecia não ter mais forças, ali estava ele sorrindo para aqueles que ali lhe fazia uma visita, não se entregou a doença, lutou, sofreu e nos provou mesmo neste momento difícil da sua vida que,o Passarinho era mesmo um homem de garra.

Das várias empresas em que trabalhou sempre deixou sua historia, transportou de tudo nesta vida inclusive eu, um amigo que parecia ser mais um filho, mas me fez várias vezes feliz ao rodar o trecho para vários lugares, e eu meio moleque, ficava sentado na beira da guia em frente de casa o esperando para me convidar a ir junto.

Viajou pelos 4 cantos do nosso Brasil, estendeu a mão para mim e para tantos outros que um dia precisou, fez com tantos assim como comigo, se apaixonarmos pelas estradas, ensinou a pilotar mesmo quando para mim parecia impossível.

Uma pessoa determinada,alegre, profissional e acima de tudo de um coração que não era dele até que seu dia chegou, 29 de Dezembro de 2011 quando partiu para outra vida, DESCANSOU!

Mesmo parecendo impossível,mesmo as condições serem todas contrárias as minhas vontades, eu estava pedindo, clamando, chorando para que ele se reerguesse e saísse daquela situação de luta pela vida. Como eu pedia para que cada gota daquele soro reformulasse a vida dele, para cada gota revigorar as células, sangue, corpo e as vezes parecia querer tirar tudo aquilo com as próprias mãos, não conseguia aceitar, não consigo aceitar! Mas vê-lo naquela situação também nos machucava mais que a própria vontade de que ele saísse daquela situação, mas quando lá estávamos visitando-o nada de pranto e pena na presença dele, na verdade seja em mensagens de celular ou palavras pessoais sempre injetei ânimo ,esperança e força.

As vezes brincava que ele podia dar um jeito de sair daquela cama porque eu queria conhecer o resto do Brasil. E que ele seria o motorista, mesmo sem força,sorria levemente mas com traços de vontade de vencer.

Assim foram longos dias que para ele devem terem sido uma eternidade e para família aquela angustia de ver uma pessoa queria em situações de extremo sofrimento, assim como ele, os familiares fizeram o que podiam, mas como revertermos as vontades de Deus? As vezes questionamos mas impedir de acontecer,jamais! E percebendo isto, só nos restava pedir a Deus que fizesse conforme a vontade dele.

Nos nossos corações e lembranças sempre existirá o carreteiro amigo, o pai, o brincalhão, o homem guerreiro que nunca deixou a peteca cair, sempre com a garra e alegria estampada, visível, contagiante para aqueles que fazia parte do seu mundo social. E na trajetória da sua vida voou baixo pelas estradas da vida por uns 40 anos, fazendo amigos por todos os cantos. Até que DEUS deu asas ao Passarinho e ele resolveu voar o mais alto que podia, para nunca mais voltar!

Hoje está apenas em nossas lembranças e dentro do coração daqueles que o amava.

Meu querido amigo , descanse em paz, seu descanso é mais que merecido VOCÊ É DIGNO DE RECEBE-LO, obrigado por tudo!

Aos familiares, esposa, filhos, netos, genros e noras, que Deus os confortem e os console neste momento de uma perca incomparável.

André Zur