Ônibus Brasileiro a Hidrogênio




O projeto do Ônibus Brasileiro a Hidrogênio caminha a passos lentos, mas caminha. A mais nova boa noticia sobre o veículo de emissão zero é o anúncio da aquisição de mais três veículos, a um custo unitário de cerca de US$ 1 milhão, que deverão circular já em 2013. O investimento vem do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Consórcio que desenvolve o Projeto, coordenado pela EMTU/SP. Assim como o protótipo que vinha sendo testado desde 2009, os novos ônibus não emitirão qualquer poluição, liberando no meio ambiente apenas vapor de água.

O novo contrato prevê que o prazo de entrega das novas unidades é de 15 meses, o que significa que os ônibus estarão em testes na Região Metropolitana de São Paulo durante o segundo semestre de 2013. Os novos ônibus a hidrogênio terão um índice de nacionalização superior ao protótipo já testado. O destaque é o motor elétrico de tração, que passará a ser fabricado no Brasil. Continuam importados as células a hidrogênio, as baterias auxiliares de tração e os tanques de armazenamento de hidrogênio a bordo.

O Consórcio, especificamente para a fabricação dos ônibus, é formado por empresas de diversos países. Coube a EMTU/SP a decisão sobre as especificações técnicas dos equipamentos e, futuramente, a empresa irá monitorar todos os testes que serão realizados nos veículos. O protótipo em funcionamento serviu para aperfeiçoamento destas especificações técnicas. A previsão é de que em 2014, ano da Copa do Mundo no Brasil, eles já sejam integrados à operação da frota intermunicipal gerenciada pelo Governo do Estado.

Os veículos serão fabricados com portas dos dois lados, podendo operar tanto pela porta direita como pela esquerda, no caso de corredores onde as operações de embarque e desembarque são realizadas nas plataformas centrais.

Fonte: Transpoonline




Deixe sua opinião sobre o assunto!