Nissan Frontier 2013 volta a atacar os “pôneis malditos”




A Nissan deve voltar a veicular na televisão e na internet o comercial em que compara a potência dos veículos da concorrência a pôneis inofensivos, mote publicitário que fez muito sucesso recentemente. A razão da reedição da propaganda é a chegada da linha 2013 da Frontier, que já está desembarcando nas concessionárias. O motivo é que a principal novidade da picape é o aumento de potência. A Frontier, que já era a mais potente da categoria (172 cv), ganhou 18 cavalos, e agora oferece 190 cv (nas versões com tração 4×4).

Assim como a potência, o torque também subiu, de 36,3 kgfm no modelo anterior para 45,8 kgfm no atual. Com as alterações, a dirigibilidade ficou ainda melhor. As acelerações estão ágeis, e o torque adicional possibilita menos reduções de marchas. Outra novidade na linha 2013 é que todas as versões receberam freios ABS e airbags duplos de série.

Avaliada na versão topo de linha (LE Attack 4×4 automática), a picape de 5,23 metros e 2.082 kg mostrou respostas eficientes. A aceleração sobe com rapidez, facilitando ultrapassagens e retomadas de velocidade. Como é comum em veículos a diesel, o ruído do motor se manifesta em marcha lenta e nas acelerações, mas em velocidade de cruzeiro ele tende a diminuir, porque a rotação cai bastante, comparada a um motor de ciclo Otto. A Frontier, a propósito, continua a ser oferecida apenas com motor a diesel e cabine dupla.

LEIA MAIS  Ford inicia a produção da Ranger Raptor na Tailândia

As versões 4×2 (XE e SE Attack) vêm com uma versão mais “mansa” do motor. Nelas, o 2.5 16V turbo rende 163 cv (torque de 41,1 kgfm). Nos modelos de tração 4×4, o mesmo propulsor salta para 190 cv e 45,8 kgfm de torque. A razão é que os modelos de tração simples são destinados a rotinas mais leves, e não ao trabalho pesado. Daí a opção por um motor um pouco menos potente.

A alavanca de câmbio está bem posicionada, mas não há opção de trocas manuais. O modelo também não oferece computador de bordo. Por outro lado, a versão topo de linha, como a avaliada, vem com comandos de som e do controlador de velocidade no volante. O painel tem desenho moderno, e acompanha o estilo imponente da carroceria. A picape tem dois porta-luvas, e o modelo avaliado por Autoesporte veio com bússola no retrovisor interno, o que pode ser útil em rotas desconhecidas. O espaço interno é bom, mesmo no banco traseiro.

De acordo com a Nissan, esta é a terceira geração do motor YDK 2.5. A empresa informa que a picape produzida em Curitiba, além de mais potente, ficou também mais econômica e menos poluente. A montadora afirma que este motor é 10% mais econômico que o anterior. Além de trabalhar na redução de atrito do propulsor, a Nissan diz que adotou também o filtro de partículas, para redução das emissões.

LEIA MAIS  Volkswagen apresenta Amarok V6 Highline Série Extreme

O seletor de tração (4×2, 4×4 e reduzida) fica logo abaixo do painel, e a mudança de 4×2 para 4×4 pode ser feita a até 80 km/h. Dependendo da versão, a capacidade de carga varia de 1.000 a 1.030 kg.

A Nissan fechou 2011 com 13 mil unidades vendidas da Frontier. Para este ano, a empresa estima chegar a 16 mil picapes, mesmo levando em consideração a renovação das concorrentes S10 e Ranger.

Confira os preços:

XE 4×2 – R$ 90.990
XE 4×4 – R$ 98.990
SE 4×2 Attack – R$ 98.990
SE 4×4 Attack – R$ 106.990
LE 4×4 manual – R$ 118.990
LE 4×4 automática – R$ 126.490
LE 4×4 Attack automática – R$ 128.990

Fonte: Autonews




Deixe sua opinião sobre o assunto!