Propagandas antigas do Estadão




Uma interessante galeria com imagens de recortes de jornal publicadas pelo Estadão de São Paulo, desde os primórdios do transporte no Brasil, até a década de 70. Ótimo para quem gosta de nostalgia. Bons e velhos tempos.

“Chegaram os furgões Goliath, alta expressão da indústria automobilística alemã. O mais econômico e eficiente veículo de transporte”. 13 de junho de 1951.
“Craham Brothers. Verifique a resistência do material empregado na construção destes gigantes de aço”. 23 de julho de 1928.
O Chevrolet 1957 ganhou o apelido de Marta Rocha, homenagem à miss Brasil eleita em 1954. Foi o primeiro caminhão fabricado pela General Motors do Brasil. 3 de julho de 1957.
“Antigamente a estrada Rio-São Paulo era um privilégio dos ricos. Agora…a Pássaro marrom resolveu o problema com carros confortáveis, seguros, fabricados nas oficinas Grassi, líderes industriais no País, e Chassis Volvo, afamada marca sueca. Diariamente, a flotilha Pássaro marrom estabelece a ligação rodoviária entre a Cidade Maravilhosa e a Terra de Piratininga”. 11 de junho de 1939.
“Vantagens de ter caminhões novos”. No anúncio da concessionária Ford Sonnervig, novo era o que saia de dentro da lata. 20 de novembro de 1960
“Caminhão Internacional nos pinheirais do Paraná. Contribuindo para o crescente desenvolvimento da indústria de madeira no Brasil, os caminhões Internacional transportam pesadas toras das florestas aos centros beneficiadores”. 11 de fevereiro de 1947 Hoje seria incorreto mostrar um caminhão transportando legítimas Araucárias da Mata Atlântica para as serrarias.
“O vencedor dos obstáculos. O peso da carga facilita o avanço do carro. Zerrenner, Büllow & Cia”. 7 de julho de 1929. Hoje o reclame seria incorreto, por incentivar o desmatamento.
“A caminho do Rio e de São Paulo, modernos caminhões para a limpeza urbana. Caminhando passo a passo com o progresso, Prefeituras do Rio e de São Paulo vêm modernizando o equipamento dos veículos de limpeza urbana. Maior conforto e higiene, aliados à rapidez e à perfeição da coleta mecânica proporcionada por estas novas carrocerias constituem mais uma vitória da administração pública no sentido de melhor servir à população. Caminhões Internacional”. 25 de junho de 1948.
“Jeepsa. Anunciamos a nossa nomeação como distribuidores exclusivos em São Paulo, dos famosos veículos da Willys Overland: Jeep Universal, Caminhonete (Station Wagon) Jeep e Caminhão Leve Jeep. O Jeep universal é um veículo fabulosamente prático para a agricultura e a indústria. Tração nas quatro rodas. Use-o para rebocar, transportar pequenas cargas e também como trator leve e unidade móvel de força. Willys-Overland…Fabricante dos veíuculos mais úteis de nosso tempo”. Publicado dia 1 de maio de 1948.
“Uma a cinco toneladas de capacidade. As grandes casas dependem dos Caminhões Federal. A perfeita e sólida construção, a qualidade superior do material empregado nos mesmos, e a habilidade em vencer todas as dificuldades do transporte fizeram com que esses caminhões sejam preferidos pelas casas, nas quais a pronta e segura enrega de mercadorias, seja essencial”. 20 de novembro de 1918.
“Estrada São Paulo – Rio. A mais importante estrada do Brasil está se tornando a peior de todas. Dezenas de milhares de contos para algumas centenas de quilômetros de buracos e atoleiros”. As fotos são do trecho Bananal – Porto Seco, próximo à fronteira Rio-SP. 17 de janeiro de 1929.
O caminhão Kenworth aparece no anúncio carregando imensas toras tendo ao fundo uma floresta de Araucárias. 23 de novembro de 1947. Hoje a imagem seria totalmente incorreta.
“Vespacar economiza combustível colaborando no plano de economia no serviço de transporte. A economia para o País é de 300 dólares de gasolina por ano. O veículo mais econômico e funcional até hoje fabricado para o transporte de carga nas grandes cidades. 360 kg de carga útil, 60 km por hora”. 23 de março de 1961
Ford F-100. 9 de março de 1965.
“O transporte em ônibus na capital paulista. Provável aumento de 10 centavos no preço das passagens para a melhoria dos salários dos empregados – Encomenda de 50 novos ônibus, com capacidade para 70 passageiros, pelos quais a Prefeitura pagará 21 milhões de cruzeiros”. Os ônibus seriam importados dos Estados Unidos. 17 de abril de 1946
“Do Japão para o Brasil, Venha conhecer o eficiente e econômico Nissan. Mário Barros do Amaral S/A, importação, engenharia e comércio”. 11 de agosto de 1952.
“Via Anchieta, marco do dinamismo bandeirante! A General Motors do Brasil S/A congratula-se com o povo e autoridades, com engenheiros, técnicos e trabalhadores bandeirantes, herdeiros de uma tradição algumas vezes centenária na abertura de rotas para o progresso, pela jubilosa e promissora inauguração, nesta data, da Via Anchieta – a mais moderna rodovia da América Latina! Pulsando ao ritmo vibrante da movimentação de riquezas – para o bem público – esta modelar artéria há-de ser mais um inestimável elo do ideal de paz, trabalho e bem-estar! Acompanhando o progresso rodoviário e para festejar uma grande data serão apresentados ao público os ônibus GM Coach interurbanos, modelo Parlour-Coach, que compõem o primeiro lote dos gigantescos veículos, vanguarda promissora de novas remessas que constituirão a frota do Expresso Brasileiro Viação Ltda, organização posta a serviço do público para transporte de passageiros entre São Paulo e Santos”. Publicado dia 22 de abril de 1947.
“A partir de 11 de novembro (1961), os modernos ônibus da Viação cometa, dotados de perfeito serviço de rádio-comunicação, estarão trafegando pela moderna BR-2″. A rodovia que liga São Paulo a Curitiba foi inaugurada com a denominação BR-2 em 1961 pelo então presidente Juceslino Kubitschek. O nome atual, Régis Bittencourt, é uma homenagem ao engenheiro civil do DNER (Departamento Nacional de Estradas de Rodagem) que se empenhou na sua construção nos anos 50. O anúncio acima é do dia 27 de outubro de 1961.
O anúncio do Caminhão Internacional garante: com ele até o trabalho mais pesado numa pedreira torna-se um prazer. Não é exagero. O anúncio foi publicado dia 13 de julho de 1929 e a comparação feita é com os veículos de tração animal: “Imagine as dificuldades – o tempo necessário, os esforços terríveis e o curto de uma escavação com veículos de tração animal. Os construtores sabem que tais serviços, como trabalhos semelhantes, são feitos rápida e economicamente com auto-caminhões, e quando os trabalhos são dos mais difíceis e penosos, são os Internacional que dão o melhor resultado”.
“Um milhão de quilômetros rodados sem abrir o motor. Cummins-Diesel. 7 de setembro de 1957.
“Os novos caminhões General Motors, Custeio de manutenção por tonelada-quilômetro mais baixo do que nunca”. 17 de fevereiro de 1929.
“Primeiro ônibus produzido em série no Brasil. Sua excelência o ministro da Viação e Obras Públicas, Almirante Lúcio Meira, presidente do GEIA (Grupo Executivo da Indústria Automobilística), marca, com sua honrosa presença, a importância desse momento para a indústria automobilística nacional. Em São Bernardo do Campo, onde há menos de dois anos a Mercedes Benz inaugurou sua fábrica brasileira, já está em funcionamento a linha de fabricação em série do primeiro ônibus integral produzido no País”. Publicado dia 11 de setembro de 1958.
“Novo Chevrolet ‘Expresso de aço’. Custa menos… é o melhor”. 8 de julho de 1958.
Auto-bonde Grassi & Cia, ou Jardineira. Ideal para transporte urbano. Construído para lotações de 16 e 20 passageiros para chassis de 1 e 1,2 toneladas e até 40 passageiros para chassis maiores. “Conforto, segurança, economia e solidez”. 2 de fevereiro de 1930.
O grupo Mannesmann AG, sediado na Alemanha, na cidade de DÜSSELDORF, é um dos maiores conglomerados industriais do mundo, fundado em 1890. Foi a primeira grande empresa a investir significativamente no Brasil, após a 2ª Guerra Mundial. Com a nascente indústria petrolífera nacional, a Mannesmann, fundou em fevereiro de 1952 a Companhia Siderúrgica Mannesmann. Hoje atua em reflorestamento, mineração, siderurgia e comércio. O anúncio acima, oferecendo caminhões marca Mulag da Mannesmann Automóveis de Carga, foi publicado dia 13 de outubro de 1912.
Ônibus Mercedes Benz em anúncio da Viação Cometa dos anos 50. A Cometa ganhou este nome em 1948, quando a Auto Viação Jabaquara, criada pelo empresário italiano Tito Mascioli, adquiriu a Auto Viação São Paulo-Santos, companhia que utilizava um desenho de um cometa nos seus ônibus, para sugerir rapidez. A imagem acima é parte de um anúncio publicado em 1 de julho de 1959.
Preocupadas em mostrar que se preocupam com o ambiente, as montadoras de veículos jamais usariam hoje uma imagem como esta em que o caminhão aparece carregando imensas toras de madeira. O anúncio é do caminhão Ford 1948 das séries F-7 e F-8, equipado com motor V-8 de 145 H.P. Publicado em 6 de fevereiro de 1949. Os modelos ainda eram importados. O primeiro caminhão Ford produzido no País foi lançado em 1957, o F-600.
“O veículo ideal para o Brasil: projetado no Brasil, construído no Brasil, para as condições do Brasil! O alto índice de nacionalização é a melhor garantia de completa assistência técnica. Willys Overland do Brasil”. 19 de janeiro de 1961.
“Nas matas virgens do Norte do Paraná reinam as madeiras de lei e os padrões de terra boa. Em torno da florescente cidade de Maringá abunda o melhor cedro vermelho, livre de brocas e defeitos. Peroba rosa de múltiplas aplicações, cabreuva para esquadrias e construções rodoviárias, pau marfim para móveis e parques, caviunas, paus d’alho e figueiras brancas se multiplicam, belos e robustos”. O anúncio informa que a Cia. de Terras Norte do Paraná está abrindo estradas de rodagem onde florescem 31 cidades e povoações e conclui: “Vá conhecer Maringá… e venha buscar a família”. Publicado dia 1 de janeiro de 1949.

 

“Este é o ônibus Ford que tem tido maior aceitação não só na Capital de São Paulo como em todo o interior do Brasil. Lotação para 20 pessoas e com grandes porta malas”. 14 de outubro de 1923.
“Última palavra em conforto, segurança, durabilidade e potência. Cabine com 2 camas em estilo beliche, com colchão de molas, para maior comodidade do chofer e seu ajudante”. A capacidade de carga rebocável era de 18 toneladas. Um caminhão moderno, como o que a Mercedes Benz vai agora produzir no Brasil, pode levar 74 toneladas. O anúncio é de 25 de junho de 1952.
Caminhonetes fechadas para encomendas lançadas no pós Guerra pela Fiat no mercado brasileiro. Anúncio de 11 de junho de 1947.
Não é de hoje que os passageiros de transporte coletivo viajam como sardinha enlatada no Brasil. O anúncio acima, da Auto Viação São Paulo – Santos, é de 31 de outubro de 1946.
Essa é do tempo em que carro importado vinha de navio a vapor. O anúncio do automóvel inglês foi publicado pelo Estadão em 20 de junho de 1915.

Fonte: Reclames do Estadão




Deixe sua opinião sobre o assunto!