Coca-Cola compra 14 caminhões Iveco a biogás




A Coca-Cola comprou 14 caminhões Iveco Stralis movidos a biogás, depois de um período de testes de 12 meses ter revelado que o biogás renovável pode ajudar a cortar as emissões de gases com efeito de estufa das frotas em mais de 60%.

Para além dos caminhões, que servirão o armazém do Norte de Londres, a multinacional norte-americana investiu ainda numa estação de reabastecimento de biogás, que será inaugurada em Junho. Os testes que avaliaram os benefícios econômicos e ambientais do biogás foram realizados pelo Centre of Excellence for Low Carbon and Fuel Cell Technologies (Cenex) e duraram um ano.

Segundo o Cenex, a decisão da Coca-Cola em instalar uma estação permanente de reabastecimento de biogás poderá levar à redução das emissões de CO2 em 60,7%, comparando com os modelos a diesel da Iveco.

LEIA MAIS  Inovação é peça-chave da Iveco no segmento de transporte

Os novos Iveco Stralis também produziram 85,6% menos óxido de nitrogênio e 97,1% menos emissões de material particulado que os Iveco a diesel. Ainda segundo o estudo, o ruído dos caminhões também decresceu 10.5 decibéis, o que faz bastante diferença, sobretudo para as viagens noturnas.

Como os caminhões a biogás são mais caros que os movidos a diesel, o preço de manutenção vai subir 15,3%. No entanto, e como o preço do biogás é 12,8% mais barato que os atuais preços do diesel na Europa, é só uma questão de tempo até que a Coca-Cola comece a poupar com esta escolha. “Estes testes sugerem que os veículos a biogás são iguais, senão melhores, em relação aos níveis de performance e fiabilidade, que as tecnologias a diesel. E reduzem drasticamente as emissões de CO2”, explicou Chris Walsh, consultor da Cenex.

LEIA MAIS  Inovação é peça-chave da Iveco no segmento de transporte

Fonte: Greensavers




Um comentário em “Coca-Cola compra 14 caminhões Iveco a biogás

  • 22/11/2013 em 02:07
    Permalink

    Considerando a redução na emissão de óxidos de nitrogênio e, principalmente, material particulado, o biogás (mesmo ao ser combinado com o óleo diesel convencional ou o biodiesel apenas para promover a centelha sem ter de recorrer a velas de ignição) seria uma alternativa até adequada ao cenário operacional brasileiro, embora a princípio o mais lógico fosse usar em caminhões de coleta de lixo e nos auto-vácuo (vulgo limpa-fossa) pelo fato do biogás poder ser extraído de aterros sanitários e estações de tratamento de esgoto. Vale lembrar que nos Estados Unidos o biogás já é muito utilizado em caminhões de coleta de lixo.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!