O vilão do trânsito em São Paulo é o automóvel e não o caminhão!

Em todo o ano eleitoral, a prefeitura de São Paulo aumenta o rigor das restrições à circulação dos caminhões na cidade. O objetivo é claro: passar a idéia de que está atuando sobre o problema do caos diário no trânsito e que este melhorará com a retirada dos caminhões das ruas e avenidas.

Essa política não provem dos órgãos de trânsito, nem das universidades. Ela é orientada pela equipe de imagem da campanha eleitoral, já que o caos diário do trânsito de São Paulo é insuportável para todos. Não interessa o diagnóstico técnico e sim fazer de conta que está atacando o problema, para evitar desgaste eleitoral.

O prefeito Kassab esteve presente num evento de prefeitos de grandes cidades, há uns poucos anos atrás, em que ficou patente o diagnóstico de que os automóveis são os grandes vilões dos congestionamentos diários nas metrópoles. E mais, ficou claro que a política a ser efetivada é a de restringir a circulação e estacionamento dos automóveis, nas áreas de grande volume de tráfego, combinada com uma substancial melhoria no transporte coletivo e de massas (trem e metrô).

Cidades como Londres tiveram a coragem – e o bom senso – de implantar o pedágio urbano nas áreas centrais. Com isso, houve uma redução da ordem de 30% na circulação de automóveis e todos ficaram felizes, inclusive aqueles que pagam o pedágio. Lá essa medida foi necessária, apesar do transporte coletivo e de massas ser de alta qualidade.

É proposto, há anos, que o pedágio urbano seja implantado em São Paulo. Seria uma medida de eficácia garantida no médio prazo, desde que a receita desse pedágio seja, unicamente, destinada a melhorias no transporte coletivo de ônibus e em ciclovias. Com isso, não seria necessário esperar por décadas a melhoria do transporte de massas. Acrescentaria a isso, a necessidade de política de estímulo ao uso dos táxis, elemento central para que o usuário contumaz de automóvel deixe de sê-lo.

O caminhão tem um papel fundamental na vida das cidades e, por isso, jamais pode ser tratado como vilão. Ao contrário, deve-se garantir fluidez das cargas por ele transportadas, visando reduzir tempos e custos. Os(as) cidadãos(ãs) têm que ter seus interesses atendidos, enquanto consumidores/produtores das cargas que chegam e saem das cidades.

Restringir a circulação dos caminhões, da forma como está sendo feita em São Paulo, é atentar contra os interesses dos consumidores/produtores, por mais que estas mesmas pessoas se sintam felizes como usuárias de automóveis, por não ter que compartilhar as ruas e avenidas com os caminhões. Para esses usuários, os caminhões só atrapalham o trânsito e a vida sem eles seria melhor.

Essa é a contradição “brilhantemente” explorada pelas equipes de imagem que atuam nas campanhas eleitorais.

Por incrível que pareça, ninguém verifica os custos dessa medida da prefeitura. Ninguém se importa com o inferno em que se transforma a vida dos caminhoneiros autônomos e das empresas.

Finalmente, ninguém constata que o caos diário do trânsito em São Paulo permanece o mesmo e, portanto, de nada adiantaram as exageradas restrições aos caminhões. O que é óbvio, já que o vilão, que precisa sofrer restrições, é o automóvel e não o caminhão.

Fonte: Agência T1





RECEBA NOSSOS CONTEÚDOS NO E-MAIL

Seu e-mail (obrigatório)


2 comentários em “O vilão do trânsito em São Paulo é o automóvel e não o caminhão!

  • 21/03/2012 em 21:12
    Permalink

    JA QUE UM TAL NÃO GOSTA DE CAMINHAO QUE VA MORAR NO CENTRO DA AMAZONIA PORQUE SE NAO FOSSE O TAL DE CAMINHAO SÃO PAULO JAMAIS SERIA O QUE E NA DATA DE HOJE FOI ELE QUE TROUXE A PEDRA,AREIA,CIMENTO ETC E TAL NESTA SELVA DE PEDRA, E OS PAU DE ARARA VIERAO DE CAMINHAO CONSTRUIR ESTA MINHA BELA CIDADE, QUE UM SIMPLES FULANO QUER DESTRUIR, E COMO O PADRE CICERO DIZIA A SEUS FIES SÃO PAULO VAI VIRAR NORDESTE E NORDESTE VIRAR SÃO PAULO NÃO SE PREOCUPE, LOGO LOGO ALGUEM VAI QUERER DEPORTAR TODOS OS NORDESTINOS PARA SEUS ESTADOS AI QUE VER SÃO PAULO MORRER, SE TEM MUITO CARROS VOU DAR UMA DICA, SE OS CAMINHOES PARAR 7 DIAS ESTE ESTADO ESTE ESTADO MORRE E ABRE FALENCIA, POR SORTE NOS CAMINHONEIROS E QUE TEMOS A MAIOR FORÇA E QUE NAO QUEREMOS USAR, SE QUISERMOS, BAIXAR PEDAGIOS, RESTRINÇOES, IPVA, E MUITO MAIS AI QUERO VER SE SOMOS FORÇADOS A TRABALHAR, PORQUE NA CONSTITUIÇÃO VIVEMOS EM UM PAIS LIVRE E NÃO DE ESCRAVOS DE CERTOS ALMOFADINHAS. >>>>>>>>bela dica<<<<<<<<<<
    Todos rodão livremente 24hrs, dia das 5hrs as 5hrs da Placa 1-2 nenhum veiculo Roda tanto carros/Caminhao e somente serão liberado somente veiculos de emergencia e oficiais, e assim em todos os finais de placas, ai fica como o DIABO GOSTA, toda a cidade Livre igual a um Pombo. DE VOLTA PRA MINHA TERRA BAY BAY VIDA LOKA.

    Resposta
  • 10/03/2012 em 19:52
    Permalink

    Boa noite
    Todo o mundo sabe que NÃO é o caminhão o grande VILÃO do engarrafamento. Somente as “OTORIDADES” ou devo dizer “OTORITÁRIOS” “OMES” do governo é quem diz estas ASNEIRAS
    para os ELEITORES imbecis e mal informado votarem “NELES”.Estas mesmas “OTORIDADES” dizem não
    RECONHECER o caminhão como meio de transporte,talvez até tenham razão,porque alguns “DELES”
    transformaram este tão DISCRIMINADO meio de transporte em “MAQUINA-DE-LAVAR-DINHEIRO”,dinheiro
    “EXPRÓPRIADO”(para não dizer “ROUBADO”) do TRABALHADOR BRASILEIRO em forma de PROPINA.
    O engraçado é que dinheiro para SEGURANÇA,SAUDE,EDUCAÇÂO,ESTRADAS Etc…Nunca tem,e nós
    simples mortais somos OBRIGADOS a votarem “NELES”.ISTO É UM ABSURDO.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!