Comprovação de renda dificulta acesso ao programa Procaminhoneiro




Anunciadas recentemente pela presidente Dilma Rousseff, as medidas do Plano Brasil Maior, tomadas pelo governo para aquecer a indústria e proteger o Brasil da crise econômica internacional, também abrangem o setor de transporte. A principal é a ampliação de benefícios do programa Procaminhoneiro, que reduziu juros e ampliou o financiamento para a compra de caminhões novos e usados.

O setor de cargas aprovou a adoção das ações, mas faz algumas ressalvas. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros (Abcam), José da Fonseca Lopes, essa iniciativa do governo federal é muito importante, desde que seja oferecida a infraestrutura necessária para que os caminhoneiros autônomos consigam utilizar efetivamente o programa.

“Lamentavelmente, continuamos com o mesmo problema: o fato de o profissional autônomo não ter acesso ao Procaminhoneiro se ele não tiver uma comprovação de renda, se não conseguir oferecer uma garantia. Não adianta dar prazo se o interessado não consegue comprovar rendimentos”, destaca Fonseca à Agência CNT de Notícias.

Sobre o fim da carta-frete, que poderia contribuir com a comprovação de renda desses profissionais, Fonseca afirma que a fiscalização da Agência Nacional de Terrestres (ANTT) ainda é precária. “Apesar dos esforços da ANTT, não há gente suficiente e uma infraestrutura adequada para desempenhar esse trabalho. Tudo isso dificulta uma contratação mais regularizada dos caminhoneiros”, explica.

LEIA MAIS  Como comprar o primeiro caminhão e ter trabalho certo com ele?

Segundo o dirigente da Abcam, quem consegue realmente renovar a frota e ter acesso ao Procaminhoneiro são as micro e pequenas empresas, que conseguem declarar renda. “A maioria dos caminhoneiros autônomos continua com um caminhão velho, mecânico, sem nada eletrônico. Um veículo que polui mais, gasta mais combustível e não tem manutenção preventiva”, alerta.

De acordo com o pacote anunciado pela presidente, a taxa anual de juros do programa baixou de 7% para 5,5% e o pagamento pode ser feito de duas formas: prestações fixas ou com parcelas decrescentes. Já o prazo máximo para os financiamentos aumentou de 96 meses para 120 meses.

O Procaminhoneiro está disponível para a compra de equipamentos novos como caminhões, chassis, caminhões-tratores, carretas, cavalos-mecânicos, reboques, semi-reboques, tanques e carrocerias para caminhões. Os veículos, que precisam ser registrados no órgão de trânsito competente, podem ser novos ou usados, com até 15 anos de fabricação.

Outro programa, o PSI, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), também foi prorrogado para dezembro de 2013. Para a compra de ônibus e caminhões, as taxas caíram de 10% para 7,7% ao ano. O nível máximo de participação do BNDES aumentou de 80% para 100%, para micro, pequenas e médias empresas, e de 70% para 90% para grandes empresas.

LEIA MAIS  Classificados - Mercedes 1318

Para Fonseca, seria importante que essas medidas realmente chegassem ao setor mais interessado: o dos caminhoneiros autônomos. Uma das principais vantagens, destaca, é a renovação da frota de veículos de carga no país. “Temos quase 330 mil caminhões com mais de 25, 30 anos de uso rodando pelas estradas. Eles precisam ser retirados do mercado e trocados por outros mais novos”, afirma.

Novo regime

Outra medida do Plano Brasil Maior, prevista para o período de 2013 a 2017, é o novo regime automotivo que será implantado no país. As regras valem para as empresas já instaladas no Brasil e para os chamados novos entrantes, em fase de implantação, ou aqueles que anunciarem investimentos futuros.

O decreto publicado no Diário Oficial da União, da última quinta-feira (5), regulamenta que o desconto de até 30 pontos percentuais do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) será proporcional ao uso de peças e matérias regionais utilizados na fabricação dos veículos – os países do Mercosul estão incluídos no novo regime. Não haverá mais um índice mínimo de conteúdo local a ser cumprido, como é exigido na atual política automotiva em vigor.

Fonte: Agência CNT




9 comentários em “Comprovação de renda dificulta acesso ao programa Procaminhoneiro

  • 10/08/2014 em 10:46
    Permalink

    devia chamar pró-empresário e não pró caminhoneiro, pois caminhoneiros está longe de alcançar este financiamento.

    Resposta
  • 28/01/2014 em 10:57
    Permalink

    Minha opinião sobre as burocracias de um caminhoneiro financiar um caminhão novo pelo o programa pro caminhoneiro, é que o caminhoneiro sempre esta na estrada longe do local de votação nas épocas de eleições, assim o caminhoneiro só justifica seu voto, onde isto não tem nenhum valor aos políticos e governantes, se onde o caminhoneiro estivesse nas épocas de eleições, ele pudesse votar em algum politico e o ajudasse a se eleger, com certeza seria visto com outros olhos pelos políticos. Este credito do governo tem que ser mais simplificado, e os caminhoneiros, que são responsáveis por fazer o Brasil se movimentar, precisam ser beneficiados com mais simplicidade.

    Resposta
  • 07/09/2013 em 00:35
    Permalink

    queridos colegas. consegui o financiamento procaminhoneiro e fui aprovado em 4 dias…como foi meu recurso? tenho um caminhao truck a 2 anos e meio . 1 passo..nestes anos movimentei o maximo que pude minha conta bancaria, sempre que podia visitava a agencia visitava o gerente , pedindo favores fazendo presença e amizade…o que ajuda muito ja que nao somos a classe AA , porque o importante tambem é o gerente de sua conta te conhecer e conhecer sua movimentaçao. nao fiz nenhum emprestimo em banco algum neste periodo, nao usava meu limite de conta com frequencia, pagava meus cartoes de credito sempre a vista sem parcelar isto tambem ajuda bastante. levei escritura da casa como comprovante de residencia ,carro e um terreno urbano…isto para o banco… na volvo onde vou retirar o caminhao levei todos os comprovantes de fretes que fiz nestes anos , o que é muito importante pra quem é autonomo e uma planilha de margem de lucro, despesas ,ganho liquido , ganho bruto dos ultimos 12 meses. vou dar uma entrada de 80.000.00 mil e financiar 120.000.00 . este foi o jeito que consegui o financiamento. espero ter ajudado. ha sem esquecer que muita fé em DEUS porque sem a direçao de DEUS nao conseguimos nada…

    Resposta
  • 21/03/2013 em 00:05
    Permalink

    sou camioneiro a muitos anos e hoje tento comprar um iveco 3/4 novo pois tenho serviço oferecido e vou tentar um procamioneiro.sei que pelos comentarios dos amigos vai ser dificil, mais vou tentar.muito o brigado pelos comentarios marco antonio

    Resposta
  • 24/05/2012 em 19:59
    Permalink

    Em verdade este plano não atinge o caminhoneiro do caminhão velho.Mesmo que você comprove uma renda fixa por agregamento em uma empresa, não tendo as demais garantias exigidas, muitas e muitas, os bancos dificultam até a desistência. Ai retornamos ao circulo vicioso do trocar o velho, por um velho de menos anos de uso. renovação de frota é ainda distante do dono de 1 veículo tipo o 111-S de ano digamos 81. Mesmo vendendo lá pelos 40 mil reais( vai ter que pegar bicicleta, fusca, televisor e o restante em dinheiro 15 mil), e tentado dar de entrada no financiamento pró-caminhoneiro, sem outras garantias não leva. Falo em pegar tralhas como parte do pagamento do 111- S, não desmerecendo os proprietários, mas sim por que a vista, no dinheiro esta cada vez mais difícil de se desfazer dos antigos caminhões. Por conta das exigências de veículos cada vez mais novos para carregamento; até a zona portuária já esta refugando no transporte de containers para pátios próximos.
    É um salve-se quem puder, a corda arrebenta sempre do lado mais puído, roto, o autônomo que trabalhou para fazer crescer as grandes empresas hoje existentes. E sempre levando a menor parte, pois nunca houve um plano de proteção aos valores pagos pelo fretamento, nem mesmo as antigas tabelas eram de fato suficiente para garantir uma retirada descente e, que permitisse a troca por um zero. Retirem a totalidade dos impostos embutidos no valor do caminhão e, vendam nesta modalidade aos autônomos, ai sim a renovação e o pró-caminhoneiro decolam, com vendas acima de 100 mil caminhões. Isto tudo tendo o governo a audácia de interferir nas exigências acima do que pode ser dado como garantia pelo autônomo.. Ai teremos uma nova santa milagreira….. SANTA DILMA.

    Resposta
    • 25/05/2012 em 12:20
      Permalink

      Bom dia!

      Obrigado pelos comentários Leonardo. Pode expor suas idéias sempre aqui no Blog do Caminhoneiro.

      Um abraço

      Resposta
  • 12/05/2012 em 20:46
    Permalink

    boa noite trabalho motorista de onibus interestadual Paracatu a Belo Horizonte meu sonho e de trabalhar autonimo etenho experiencia mais 10 anos se eu consigo realizar o sonho com financiamento o que e preciso para isto torna realidade para compra um caminhao

    Resposta
    • 12/05/2012 em 20:49
      Permalink

      Boa noite!

      Em geral o Pró-caminhoneiro pode ser uma saída para seu financiamento. Procure uma agência bancaria ou concessionaria e explique sua situação, pegue todas as dicas e tente o financiamento.

      Abraço

      Resposta
  • 16/04/2012 em 17:43
    Permalink

    Boa tarde eu estou tentando financiar um caminhao novo mas a burocracia para o primeiro caminhao e demais sou caminhoneiro a quase 30 anos e nao tenho o capital exigido pelos bancos finame isso e so papo se eu sou profissilnal em alto nivel onesto trabalhador porque nao teriam um plano para nos caminhoneiros que sempre trabalhamos onestamente em empresas grande como vou ser autonomo se o governo nao me da condiçoes me diga se eu compro por cdc com 10% de entrada me diga se financia 100% sem entrada me diga se a alta esperiencia no ramo resolve alguma coisa fretes nos temos de montes na marginal tiete estao pegando caminhao a laço para dar fretes minha linha e de sao paulo a rondonia e acre se voces souberem de um lugar que tem facilidade para o primeiro caminhao e so me avisar que to dentro. o mais dificil e o banco aprovar porque nao tenho comprovante de renda adecuada e baixo para os bancos se eu conceguise financiar seria um axor 2544 e semi-reboque bau 14.60mts para cargas gerais tem que ser novo pois e linha longa obrigado meus colegas de profissao o sonho nao acabou, acelera meu povo que o cliente ta esperando a carga. vai com DEUS AMIGAO.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!

error: Cópia de conteúdo desabilitada !!