Roubo de carga cresce 42% na região do ABC Paulista

por Blog do Caminhoneiro

O Grande ABC registrou aumento de 42% no número de roubos de cargas no primeiro semestre de 2012 em comparação com o mesmo período do ano anterior. Até junho deste ano, foram contabilizados 271 casos nos sete municípios da região, ante 191 nos seis primeiros meses de 2011. A porcentagem de alta é maior do que a observada no Estado, de 17% – de 3.345 para 3.913 ocorrências. As estatísticas são da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública).

Os municípios que impulsionaram a alta foram Mauá e Diadema, com crescimento de 131,2% e 105,3%, respectivamente. A única cidade que registrou queda foi São Caetano, com 37,5% casos a menos. Em Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, os números não mudaram em relação ao primeiro semestre do ano passado.

A maior incidência de ataques contra transportadores de carga vem do primeiro trimestre, quando foram registrados 36,5% mais episódios do que em relação aos três primeiros meses de 2011, passando de 104 para 142 eventos. De maio a junho deste ano, o crescimento foi de 48,3% em relação ao segundo trimestre do ano passado, subindo de 67 para 129 crimes.

Na opinião do presidente do Setrans (Sindicato das Empresas de Transporte de Carga do ABC), Sallum Kalin Neto, o aumento é impulsionado pelo alto volume de tráfego de caminhões no Trecho Sul do Rodoanel, por onde passam diariamente cerca de 35 mil veículos pesados. Outro fator apontado pelo especialista é a restrição à circulação de cargas em avenidas da Capital.

“Por conta dessas proibições, muitos desviam por Diadema. Além disso, a restrição provoca maior concentração de caminhões em um mesmo local, o que facilita a ação dos criminosos”, avalia Kalil Neto. Segundo o presidente, é comum os caminhoneiros aguardarem parados pelo horário permitido para o transporte em São Paulo. Uma das avenidas apontadas por ele como mais perigosas é a Fábio Eduardo Ramos Esquível, em Diadema. A via compõe o chamado Corredor ABD, que liga o município a São Bernardo e Santo André e dá acesso à Rodovia dos Imigrantes.

Na opinião do comandante interino do 24º Batalhão da Polícia Militar, major Afonso Rocha, o aumento se deve a falhas na contabilização das ocorrências. “Se você estiver levando uma televisão no carro e for roubado, é registrado como roubo de carga. O mesmo vale para funcionários dos Correios.” O batalhão comandado por ele é responsável pelo policiamento em Diadema. O major alerta também para os cuidados primários. “É preciso ter um trabalho de conscientização para que o cidadão fique menos vulnerável a ações dos bandidos. A ocasião faz o ladrão”, garante.

Fonte: Diário do Grande ABC

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

1 comentário

carlos giotti 23/07/2013 - 12:45

carlos giotti ,fui roubado em plena luz do dia em frente a fabrica da honda em sumare sao paulo .eram meio dia quando fui almoça num restaurante na frente da honda quando voltei 20 minutos depois o caminhao sumiu estava com rastreador e alarme desativaram.fui ate a delegacia registrar queixa tinha mais um motorista la registrando um roubo a uma hora atras do meu ,um policial falou que o meu caminhao poderia estar em paulinia que o delegado de paulinia esta envolvido com uma quadrilha de roubo de caminhao e carga e o meu caminhao estava carregado de radiador de carro ,ta dificil trabalhar nesse brasil nao sei se confiamos no ladrao ou na policia.

Reply

Escreva um comentário