Empresas cobram especialização de motoristas de caminhão na região

por Blog do Caminhoneiro

As empresas de transporte na região de São Carlos (SP) encontram dificuldades na hora de contratar motoristas de caminhão por falta de especialização. Segundo a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam), a Carteira Nacional de Habilitação não é mais suficiente para exercer a profissão adequadamente.

“Há 15 anos você entrava num caminhão, dava partida e saía. Hoje não. Hoje é necessário um check list e uma tecnologia ligada ao veículo para que o caminhoneiro possa embarcar com segurança e dar segurança aos outros usuários da rodovia”, justifica o presidente da Abcam, Claudemir Natal Pelegrine.

O problema ficou mais evidente desde a última semana, quando entrou em vigor a lei 12.619/12 que fixa jornada para os motoristas de caminhão. A nova regra estabelece um descanso de 11 horas a cada 24 horas trabalhadas. Com isso, o tempo máximo no volante será de quatro horas com intervalo de meia hora pra descanso. Para respeitar esses horários e cumprir a demanda, as empresas agora têm que contratar mais caminhoneiros. O sindicato da categoria estima um aumento de 30% nas contratações.

Mas, para trabalhar na função é necessário ter um ano de experiência em direção de carros e fazer 15 aulas práticas para conseguir a habilitação na categoria C. “Nessa categoria ele vai dirigir qualquer tipo de caminhão, independente da capacidade de carga, porém tem que ser veículo toco ou aquele chamado de truck”, explica o proprietário de uma autoescola, Ariovaldo Brocco.

Para dirigir caminhões maiores, como as carretas, é exigida habilitação do tipo E. “A primeira parte específica que olhamos quando vamos contratar alguém é a questão da categoria da carteira de habilitação. Muitas vezes, a grande maioria chega aqui sem essa qualificação”, afirma Éber Alessando de Oliveira, dono de transportadora.

Ascenção

Já para conseguir um salário melhor, a dica é se especializar ainda mais, com curso para transportar tipos diferentes de cargas. “Quem for trabalhar com transporte de combustível tem que fazer o curso pertinente a essa especialidade”, sugere Brocco.

E para os empresários, o bom motorista, além de saber lidar com a tecnologia, precisa também ser muito paciente. “Hoje, se precisar entregar uma carga em um grande varejo ou supermercado, ele chega a ficar até 6 horas ou um dia inteiro para entregar uma carga pequena. Se ele não tiver um mínimo de paciência, vai acabar indo embora sem realizar o serviço”, justificou o dono da transportadora.

Fonte: EPTV

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

6 comentários

rodolfo 21/02/2013 - 12:33

ola…um bom dia a todos…meu nome e rodolfo tenho 30 anos e consegui agora tira minha carteira (D) e queria saber com tenho que fazer pra entra no mercado de trabalho como caminhoneiro…fimo curso mopp e esto fazendo outros pra me apefeiçoar mas ainda..espero respostas…..

Reply
jose antonio de andrade 05/11/2012 - 21:06

Infelizmente as empresas transportadoras exigem muito e oferecem pouco , quase nada p/ ser mais claro.
E as seguradoras e gerenciamento de riscos juntamente com as empresas deveriam dar mais oportunidades para muitos motoristas profiscionais que muitas vezes por motivos simples entraram em inadinplenscia e hoje não conseguem se empregar e muitos são otimos profiscionais e merecem chance d trabalho .
Outra coias tambem eh a questão d salario e horario .
Nada melhor q ter seu salario fixo registrado em carteira e contribuir com seus devidos tributos e ter sua jornada d trabalho regulamentada .
Mais ao q vejo nas outras classes profiscionais fazem greves e questionam salario maior e menos horas e com a classe d caminhoneiros eh o oposto , mais trabalho e menos salario .

Reply
nardocoe (leonardo) 04/09/2012 - 21:36

Três comentários excelentes. Parabéns!

Reply
fabiano 26/08/2012 - 18:37

A ultima que trabalhei,me obrigava a fazer cinco coletas durante o dia,em torno de doze horas de carga descarga e deslocamento,quando terminava em vez de descansar,era obrigado a rodar 700 kms com 25000 toneladas liquidas em 12 horas com uma muriçoquinha 320,fiquei la um mês,quando entreguei o caminhâo ainda fui chamado de fraco e preguiçoso.
O problema era esse, tu nâo fazia ai vinha um filho da mâe sem amor proprio e rebitero que fazia,se todos tivessem um pouco de amor proprio isso ja teria acabado a muito tempo,mas vamos ver agora como esses empresarios fazedores de viùvas gananciosos como vâo se virar!

Reply
jairo vidal 07/08/2012 - 21:20

B dia!
Estas turbulências e divergências de opiniões, já me pareciam visíveis quando iniciaram os esboços da lei que regulamenta a profissão de motorista carreteiro.

E fato consumado que no Brasil existem transportadoras legitimas e empresas que por conveniência momentânea atuam no seguimento do transporte.
E isto não e fato isolado. Esta mazela assolapa todos os seguimentos da economia.

Felizmente a maioria dos profissionais já entendeu a duras penas que não adianta trabalhar para uma empresa que não tem o minimo de organização e postura de mercado.
O momento e de ajuste profissional e da profissão.

sds!

Reply
Sergio 07/08/2012 - 20:33

Aqui na cidade que moro dizem que existe esse problema também, mas será que é somente falta de profissionais qualificados?
Veja: As questões salarias, a falta de vontade das empresas de gastar com cursos de aperfeiçoamento (Elas pagam mal, querem um profissional pronto, geralmente as cargas horárias delas e o tempo fora de casa afugentam novos motoristas).
Aqui na cidade que resido e trabalho, apenas as empresas mal vistas pelos motoristas estão com veiculos parados, as outras recebem pacotes de curriculum todos os dias, mas não precisam contratar pois quem esta nelas não sai.
A empresa que trabalho a vários anos por exemplo, ela não contrata motoristas carreteiros externos, ela da chance para o motorista de muriçoca, para o manobrista.
Resumindo: tem um salario compativel, frota nova, investe na formação de novos profissionais, esta cumprindo a lei 12.619/2012 desde o dia 17/06/2012, tem uma programação decente de folgas, rotas com no maximo 4 dias fora de casa. E não pense que é uma empresa de fundo de quintal , tem mais de 1.000 veiculos proprios e atuação em todos os estados do país.
Quem quer motorista de qualidade? Valorize o profissional que ele não larga sua empresa.

Reply

Escreva um comentário