Iveco aposta na produção de ônibus

por Blog do Caminhoneiro

Na tentativa de estabelecer uma pauta de produtos diversificada, a Iveco, subsidiária do grupo Fiat, aposta suas fichas no segmento de passageiros. Focada inicialmente na linha de carga, a montadora deve iniciar no mês que vem a fabricação de sua planta militar em Sete Lagoas, na Região Central de Minas, mesmo período em que anuncia dois novos produtos voltados para a categoria de transporte comercial de passageiros: um inédito micro-ônibus maior que o City Class, e o chassi de ônibus com motor dianteiro 17E25. Na semana passada, a companhia apresentou em São Paulo o primeiro integrante do segmento: a versão do Daily Minibus para o transporte de pessoas, disponível nas versões turismo e fretamento.

Detalhes dos dois novos veículos são mantidos em sigilo. A empresa vai apresentá-los ao público na Expo-Ônibus, que integra a nona edição da FetransRio, feira de mobilidade que acontece na capital fluminense de 3 a 5 de outubro. O micro-ônibus vai aproveitar a plataforma do minibus City Class (modelo fabricado em parceria com a Neobus que atende, entre outros, o programa Caminhos da Escola, do governo federal). A fabricação já começou e as vendas terão início em outubro, depois da feira.

No caso do chassi, trata-se de um ônibus convencional, com dois eixos, para atender o transporte público de passageiros – por enquanto não serão fabricados veículos articulados para aproveitar a implantação do Transporte Rápido por Ônibus (BRT, sigla em inglês) nas cidades-sedes da Copa’2014. Há alguns anos, a Iveco cedeu o protótipo para concessionárias fazerem o teste em estados do Sul e do Nordeste. O produto deve ser fabricado a partir do ano que vem, atendendo a legislação internacional de emissão de poluentes Euro 5.

O objetivo da marca italiana é abocanhar uma fatia de mercado do principal segmento de chassis urbano e rodoviário do Brasil, aqueles com capacidade de transportar até 17 toneladas. Nisso, a empresa também acirra a concorrência: a Agrale lançou o MA 17.0 e a Volvo sua versão de suspensão a ar do B270F. “Hoje, na Europa, a Iveco é full line, com presença em todos os segmentos. No Brasil, concluímos com bastante sucesso a renovação da linha de caminhões e agora partimos para os demais segmentos. Inicialmente com a divisão de militares e passageiros”, afirma o coordenador de Marketing de Produto da Linha de Ônibus da Iveco, Leonardo Coutinho.

O lançamento do Daily Minibus integra a estratégia da montadora de renovar sua linha e expandir os negócios para o transporte comercial de passageiros. Dados da companhia apontam que o mercado de vans é dividido entre turismo/executivo (42%); transporte escolar (40%) e outras aplicações (18%). Criado em cinco configurações, o produto é classificado como premium e pode ser encontrado tanto na versão turismo/executivo quanto no fretamento. A expectativa da montadora é produzir 500 unidades por ano a partir de 2013, ocupando fatia de 12% do mercado de vans premium. “É um novo produto na gama ofertada, que vai de encontro com a estratégia de entrar no segmento”, afirma Coutinho.

A versão turismo oferece acabamento luxuoso e itens diferenciados, como TV LCD de 15 polegadas com DVD player acoplado e geladeira de 20 litros.

A montadora trabalha em segredo em um de seus projetos mais ousados: um modelo urbano movido a gás natural veicular (GNV). O projeto, que já recebeu adaptações na fábrica da Neobus, visaria concorrer com o Volvo Hybribus (primeiro veículo pesado híbrido brasileiro). A montadora sueca já vendeu cerca de 300 unidades do chassi para Curitiba.

Para carga, guerra e passageiros

Instalada em Sete Lagoas há pouco mais de uma década, a Iveco inicialmente manteve foco na linha de carga. Recentemente, no entanto, a montadora investiu na criação da divisão militar para fornecer veículos de guerra para o Exército brasileiro e agora parte para o segmento de passageiros, que, até então, se restringia a vans fabricadas para programas governamentais. Com a diversificação, a expectativa da montadora é atingir 15% da fatia do mercado de veículos pesados

Apenas neste ano, a montadora anunciou o lançamento de cinco produtos na tentativa de renovar a linha de pesados. Antes do Minibus, a montadora já havia redesenhado as gerações do Stralis, Ecoline do Daily, Trakker e Tector. Aproveitando o fato de ser obrigatório atender as exigências da normativa Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores P7 (na Europa, o programa é conhecido como Euro 5), do Conselho Nacional de Meio Ambiente, legislação que obriga a redução da emissão de gases poluentes, a montadora decidiu modernizar sua linha de produtos e expandir a fábrica mineira.

Mas, nesse sentido, a principal ação da estratégia de diversificação foi a implantação de uma unidade militar na planta de Sete Lagoas. O primeiro contrato para fornecimento de 86 unidades do VBTP-MR Guarani para o Exército foi assinado antes mesmo de a planta ser inaugurada. Ao todo, o governo federal deve pagar R$ 240 milhões, com as entregas sendo feitas até julho de 2014. Mas a parceria terá duração de 20 anos, segundo acordo estabelecido em 2009. O fornecimento, no entanto, não será exclusivo para o Brasil. A fábrica, prevista para iniciar as operações no mês que vem, tem capacidade para produzir até 115 unidades por anos e a Iveco conversa com outros países sul-americanos.

Fonte: Estado de Minas

COMENTAR

QUER ENTRAR EM CONTATO COM O BLOG DO CAMINHONEIRO? ENVIE UMA MENSAGEM CLICANDO NO NÚMERO ABAIXO

042-98800-6519

Artigos relacionados

Escreva um comentário