Caminhoneiros ganham a companhia da família nas viagens de final de ano

viagem-caminhoneiros-20-12-12_flaviogodoi_1




É durante o período das férias escolares que caminhoneiros de todo o país ganham a companhia da família nas viagens que chegam a durar até 10 dias. Dividindo o banco que se transforma em cama, os viajantes fazem do aperto da boleia um local de aconchego. No posto fiscal de Vilhena (RO), muitos caminhoneiros já aparecem com suas famílias.

Há quase 20 anos rodando as estradas do país, o caminhoneiro Adriano Jesus Alvarenga passa o ano todo em viagens solitárias. Mas durante dois meses, dezembro e janeiro, a esposa, Rosimeire Cândida, e o filho Matheus Caetano, de 8 anos, fazem companhia ao motorista. A família sai de Uberlândia (MG) para percorrer o Brasil.

“Ter a família ao lado, ainda mais nesta época do ano de confraternização, é realmente especial. A viagem parece que fica mais curta e tudo é mais tranquilo, sem contar a comida caseira que não tem igual”, comenta Adriano.

viagem-caminhoneiros-20-12-12_flaviogodoi_3Em uma cozinha adaptada ao caminhão, a família Alvarenga cozinha as próprias refeições em paradas nos postos de combustível. De acordo com Rosimeire, a comida só é comprada quando está chovendo e a cozinha não pode ser montada.

Para passar o tempo de espera enquanto as notas fiscais não são liberadas nas fronteiras dos estados, a família se reúne para jogar cartas. Porém, o pequeno Matheus, que viaja com o pai há três anos, conta com outra forma de diversão, os jogos do celular. “Eu gosto de vídeo game e como o meu ficou em casa jogo no celular para passar o tempo”, conta Matheus.

Para Ana Maria, que também acompanha o marido, Leonardo Nascimento, juntamente com o filho Paulo Henrique, de 9 anos, o passatempo das viagens é uma televisão adaptada a um aparelho DVD. Tudo isso para não perder nenhum capítulo da novela.

Nas paradas dos postos fiscais, Ana Maria fica sozinha na boleia do caminhão enquanto o esposo vai conferir as notas na companhia do filho. A dona de casa afirma que não tem medo e nunca passou por nenhuma situação de perigo.

“Desde que nos casamos que viajo com ele. Meu filho fez a primeira viagem de caminhão quando tinha 15 dias de nascido. A estrada para mim é minha segunda casa. Perigo tem, mas não tenho medo de ficar sozinha quando ele precisa resolver a papelada”, afirma Ana Maria.

A dona de casa conta que já conhece todos os estados do Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste. A viagem ao Rio de Janeiro foi a mais marcante. “Foi quando eu pude conhecer o mar, a praia, foi lindo. Foi a melhor viagem que fiz com meu marido”, relembra.

Segundo estimativa da Polícia Rodoviária Federal, por dia passam pela fronteira de Rondônia com o Mato Grosso cerca de 600 caminhões.

Fonte: G1 Rondônia





Um comentário em “Caminhoneiros ganham a companhia da família nas viagens de final de ano

  • 29/03/2013 em 12:37
    Permalink

    Poucas, digo até raríssimas empresas se preocupam com os familiares e acompanhantes dos caminhoneiros. Mas em toda regra a exceções e, para provar isto temos ai a GOODYEAR. Esta criou em suas industrias um espaço com todo conforto para a família do seu colaborador ( assim entendido os caminhoneiro). Parabéns a iniciativa desta industria. Espero ver as outras seguindo o exemplo, para assim de fato o profissional se sentir valorizado. São pequenas coisas que fazem a diferença ( para melhor) no dia a dia de trabalho tão honroso e, atualmente penoso para maioria.
    Ainda sonho com o dia que poderemos levar parentes e amigos em viagem, sabendo que não impedirão a entrada nos pátios das empresas, muitas vezes ficando ao relento por horas e horas, até somar dias. Com toda certeza, viajar com acompanhante é mais estimulante, menos solitário e desestressante. Deveria ser uma prática comum as empresas incentivarem este tipo de companhia, dando reais condições de sociabilização e convivência entre o profissional, amigos e familiares.

    Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!