MUBC pede redução do tempo de descanso para 8 horas

greve dos caminhoneiros 4




O Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC) participa no próximo dia 19, em Brasília, de uma reunião visando mudanças na Lei 12.619, a Lei do Descanso. A reunião será com a bancada do transporte rodoviário de carga, grupo que, segundo o presidente do MUBC, Nélio Botelho, reúne quase 70 deputados federais, sob a coordenação de Nelson Marquezelli (PTB-SP).

A ideia é que a Câmara aprove um projeto de lei reduzindo de 11 horas para 8 horas o tempo de descanso entre dois dias de trabalho previsto na Lei 12.619. Junto com representantes da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), Botelho levou o pedido à ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, dia 25 de janeiro. “A ministra disse que apoia nosso pleito, mas que esta é uma questão a ser resolvida no Congresso”, afirma.

O MUBC é a única entidade de caminhoneiros que vêm se manifestando contrária a lei. “Não é que somos contra, é que ela é impossível de ser cumprida. Como está, vai provocar um aumento de frete bastante elevado, vai exigir o dobro de frota de caminhões, o triplo de motoristas e já estamos com falta de profissionais”, ressalta. Para ele, a lei vai “complicar totalmente a economia e parar o País”, no momento em que será colhida uma safra recorde.

Questionado se o aumento nos fretes não beneficia o próprio transporte de carga, ele diz que não. “É um aumento de frete para cobrir os custos adicionais da lei e não vai para o bolso nem dos donos de transportadoras, nem dos caminhoneiros”, afirma.

De acordo com ele, com 8 horas de descanso, o impacto será menor. “Quando houver pontos de parada para os caminhoneiros descansarem, até podemos pensar em 11 horas”, declara. Botelho afirma que a alteração deve servir tanto para autônomos como para motoristas empregados. “A lei não deveria diferenciar as duas categorias. Somos todos trabalhadores”, ressalta.

Mas os deputados ligados ao agronegócio e ao MUBC querem uma mudança mais rápida: através de Medida Provisória editada pelo governo. “A tramitação de um novo projeto seria muito demorada e burocrática, precisamos de uma medida mais ágil e de efeito imediato”, diz o deputado federal Valdir Colatto (PMDB/SC), em nota enviada à imprensa.

Segundo ele, a lei prejudica “especialmente a agricultura, que se encontra em plena colheita de grãos”. “Isso será sentido no bolso do consumidor, que pagará ainda mais caro pelos alimentos, uma vez que o frete sofrerá um aumento cerca de 50%, inviabilizando o transporte brasileiro”, declara.

A Lei 12.619, sancionada no ano passado, é fruto de debates promovidos pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e conta com o apoio da NTC&Logística, associação nacional que representa as maiores empresas de transporte de cargas do País. E também com o apoio de várias entidades que representam os caminhoneiros empregados e autônomos, como a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres (CNTTT), da União Nacional dos Caminhoneiros do Brasil (Unicam) e da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), que congrega os Sindicam´s.

Fonte: Carga Pesada





31 comentários em “MUBC pede redução do tempo de descanso para 8 horas

  • 09/05/2013 em 22:06
    Permalink

    a lei so fala de descanso e jornada de trabalho e proibiçao de incentivo ao trabalhador a tal da comissão mais em um piso salarial digno do profissional da estrada ninguem fala tem que ter um bom salario e uma diaria boa tambem para nos alimentarmos cade o valor do piso salarial e o valor da diaria na lei cade

    Resposta
  • 06/04/2013 em 10:36
    Permalink

    Marco A. Goulart

    Realmente vc tem razão em tudo que diz, mas meia duzia a gritar não faz diferença. O problema é a covardia da maioria. Veja que muitos alegam q parar atrasa as contas, não pensam que com a paralisação total dos autônomos o valor do frete sobe e compensa atraso. Mesmo pq se for um movimento forte, pode-se exigir por parte do governo a isenção dos juros e multas decorrentes do atraso durante paralisação. Afinal empresários não vivem a ganhar regalias iguais. Em minha opinião paravam todos, empregados e autônomos. Dirão; mas vai haver demissões, sim vai. Porem todas reversíveis, inclui-se na pauta de reivindicações a anulação das mesmas. Creio que o governo irá para cima do sindicato, ameaçando com multas ,etc. Isto pode ser evitado, mas ai seria preciso coragem e muita, por parte dos regidos pela CLT. Estes deveriam pedir demissão em massa nas empresas ( tb pode ser revertida estas demissões em acordo), evitando assim a coação por parte do governo. Ai sim, poderiam exigir salários justos, condições de trabalho e aos interessados o poder comprar seu próprio caminhão facilitado pelo pro-caminhoneiro. Já os autônomos, teriam uma tabela justa de fretamento e igual condições de troca pelo através zerado do plano referido. ..Dizem os empresários: ENQUANTO HOUVER CAPIM, SEMPRE VAI EXISTIR BURROS NA ESTRADA.

    Resposta
  • 25/03/2013 em 09:44
    Permalink

    Estou acompanhando as noticias antes de sair pra trocar de caminhão!todos estão vendo as filas na beira da pista para descarregar nos portos,”os companheiros ficam parados por dias”,quando descarrega o caminhão tem que acelerar para “fazer dinheiro”para compensar os dias parados.O povo pensa que caminhão”bota uma carga no chão,e carrega outra sem parar”,mais não é assim não!as vezes quando esta descarregando a gente vai pro telefone para arrumar outra carga,quando consegue beleza,e quando não tem!”como no inverno”ficam-se dias nos pátios dos postos gastando dinheiro e sem carga e como companheiros temos,nóias,kengas,chapas e agenciadores de carga!Eu pergunto aos amigos!que profissão do caralho é essa que todo mundo manda menos nós! Já passou da hora de mandar todo mundo tomar no cu,Jornalistas,políticos,Policia,donos de transportadoras,donos de postos,agenciadoras de risco,operadoras de cartão,bancos,administradoras de rodovias e o zé porvinho que abraça as idéias dessa corja toda…AH voltando para o assunto!como é que eu vou trocar de caminhão se não posso trabalhar?me digam?como é que vou pagar 4.000,00 todo mês e manter esse bando de ladrões todos o caminhão e minha família?sera que terei que abandonar meus 30 anos de profissão!…

    Resposta
  • 14/03/2013 em 10:59
    Permalink

    Claudio.
    Gostei de seu comentário, é exatamente isto que faltou;contato com quem realmente vive do caminhão, para o caminhão;os motoristas. Por que este pesoal que elaborou tal lei só anda de avião e, sindicalistas no brasil( assim mesmo minusculo) só lutam por uma causa: O BOLSO.

    Resposta
  • 14/03/2013 em 10:54
    Permalink

    Voltando a falar no tempo de parada .
    Bem, diz a lei o seguinte:
    .Neste caso existe uma discrepância em relação a interpretação do MPT, e o empresáriado. Vejam o seguinte neste artigo temos ; § 2o Será considerado como trabalho efetivo o tempo que o motorista estiver à disposição do empregador, excluídos os intervalos para refeição, repouso, {espera} e descanso….Isto é uma aberração, pois que no momento que o empregado adentra ao patio da empresa, está já a disposição do empregador e, excluir o tempo de espera é absurdo.Pois que neste tempo o empregado não deixa de ser empregado, esta a disposição da empresa e sempre as voltas com o serviço. Ficando muitas vzs das 8 da manha até as 5 da tarde( exemplo) em espera por notas, manifestos,verificação veículo,manobras,etc. Então lá pelas 5 da tarde é entregue ao motoristas os documentos, e mandam seguir viagem. Passando ai a computar como horas trabalhadas, excluiram as 09 horas passadas na empresa a disposição, forçando então ao motorista seguir viagem, cumprindo a lei das 4 x 4 x 2..e 11 paradas.esta situação rotineira para a maioria, se passaram em horas trabalhadas 19 horas a disposição do empregador. Horas estas ao volante e no estrese da espera sempre as voltas com o caminhão no patio da empresa.

    Resposta
  • 11/03/2013 em 12:44
    Permalink

    SRS. VARIAS INTERPRETAÇÕES SOBRE A LEI , BENEFICIO E PREJUIZO….
    NÃO SOU PROPRIETARIO DE CAMINHAO , MAS TRABALHO NO RAMO A MUUITO TEMPO. ACREDITO QUE BASEADO NA FALTA DE ESTRUTURA NAS ESTRADAS, INDEPENDENTE DE CATEGOI, AUTONOMO, EMPRESA OU EMPREGADO, DEVE PENSAR BEM A RESPEITO. SÓ QUE COM A LEI , E SE FOR NOS BASEAR POR SALARIO DE SINDICATO, OS MOTORISTAS VAO GANHAR MENOS E MORRER DE STRESS, FAZENDO HORA NA BEIRA DAS ESTRADAS. NOS POSTOS COM BANHEIROS SUJOS E ASSIM POR DIANTE. EU PARTICULARMENTE ACREDITO QUE DESE SER FEITO UMA REAVALIAÇÃO COM PESSOAS QUE TENHAM CONHECIMENTO DE CAUSA , OU SEJA , CONHEÇAM CAMINHAO E NAO AVIÃO , CONHEÇAM ESTRADAS E NÃO AEROPORTO E ASSIM POR DIANTE. MAS PRA RESOLVER ISSO AI , COM SINDICALISTAS NO MEIO DISSO TUDO , ACREDITO QUE IMPOSSIVEL. INFELIZMENTE IREMOS MORRER A MINGUA.. PENSEM NISSO…………

    Resposta
  • 08/03/2013 em 17:27
    Permalink

    Não sou contrario a lei, mas sim a parte do descanso de 11 horas e as 36, isto na categoria dos autônomos acho demais. Já os regidos pela CLT(REGISTRADOS, mesmo parados recebem salário).Esta certo que o salário destes é na verdade uma merréca em vista do tempo a disposição de empresas e o trabalho no geral. Porem isto é com o sindicato deles que, deveria lutar por melhores ganhos e não o faz.

    Resposta
  • 05/03/2013 em 23:20
    Permalink

    Sou autônomo e sou a favor dessa nova lei,vai sobrar mais cargas,os fretes vão melhorar,vamos trabalhar mais descancados e o mais importante?vamos ter mais segurança,menas mortes nas estradas,menos assaltos e seguros mais baratos.ribiteiros e a turminha do pó que si dane,acorda pessoal!!!

    Resposta
  • 05/03/2013 em 20:17
    Permalink

    Absurdo essa lei, vai ser as festas dos guardas , posto sem lugar para parar , diesel que nao para de subir, aí meu deus quem tem caminhão vendam logo e manda os digníssimos deputados comprarem pra ver oq da de gasto …. Brasil o pais dos fretes ridículos e das leis absurdas…..

    Resposta
  • 05/03/2013 em 14:49
    Permalink

    Descanso é estar guardado na gabine, sem conforto algum!!! Cade os direitos que os outros brasileiros tem no horário de descanso??? E é luxo cozinhar ao relento, pó, chuva!! Mas que lei é essa que expõem o cidadão dessa maneira??? Olha neste país, almofadinha ganha, dinheiro do povo(nosso), pra nos ferrar!!! ACORDA BRASIL!!! Chega de dormir em BERÇO ESPLENDIDO!! As famílias agradecem se nossos motoristas tiverem mais valor!! Enquanto estiver na estrada, está trabalhando…Cade a remuneração???? É bom repensarem, no que temos aí!!! Parece que é fácil, mas não se fala no todo… Direitos Humanos pra todos!!! Descanso?? É em casa!!!!

    Resposta
  • 04/03/2013 em 13:23
    Permalink

    até quando nos ficarmos brigando entre nos, não vamos conseguir nada da profissão.

    Resposta
  • 03/03/2013 em 01:51
    Permalink

    Essa lei é absurda, somos obrigados a parar, como faremos isso se nem temos locais para isso, acredito que é muito importante um tempo de parada obrigatória, mas 11 horas é muita coisa, 5 ou 6 horas seria suficiente para descansarmos, as autoridades tem que levar em consideração que as paradas seriam apenas para descanso, o que ficaremos fazendo durante 11 horas pois não ficaremos dormindo todo este tempo, vamos acabar ficando 3, 4, 5 horas acordados dentro da cabine do caminhão apenas esperando o horário de voltarmos à rodar, vamos acabar mais estressados e essa jornada vai piorar nossa qualidade de vida, pois vamos demorar muito mais tempo para voltar para casa, ficando ainda mais longe de nossos filhos.

    Resposta
  • 01/03/2013 em 20:19
    Permalink

    Osmar..Um exemplo apenas.. o sujeito registra uma transportadora de portinha de fundo de borracharia, em menos de um ano já será dono de mais de 2 caminhões. Isto só explorando o autônomo. Já quanto ao motorista empregado, creio ser pior ainda;salário mixuruca, despesas elevadas, obrigações até nas folgas(tipo fazer um apanhozinho, levar um caminhão na mecânica, etc) e, a quase impossibilidade de vir a se tornar um dia autônomo.Pois para isto só se trocar anos de serviço 10/20 anos ( indenizações) por caminhão velho, no bagaço, maquiado de semi-novo. UMA VERGONHEIRA!

    Resposta
  • 28/02/2013 em 23:14
    Permalink

    estamos cansados de enriquece os donos de empresas,só eles ganham dinheiro nós que carregamos o BRASIL e não somos bem pagos,já basta de tanta exploração ,merecemos bons sálarios e tempo para repouso,pará com esse negocio de torma drogas para fazer horário paara as empresas,vamos dar um basta nisso.

    Resposta
  • 26/02/2013 em 12:47
    Permalink

    Bom dia colegas
    realmente estao com razao nosso governo so se preocupa em bolsa familia. luz , leite familia ,etc
    dar tudo na mao e esquece quem realmente trabalha e passa horas longe da familia enfrentando filas rediculas nas reformas mal feitas de asfaltos ,postos fiscais que enrolam pra liberar os motoristas ,nao ha estacionamentos adequados para as ditas paradas obrigatorias Dilma por favor veja isso nao pense so em campanha politica . tem asfaltos ai que tem que ser ninja pra poder trafegar quem arca com as consequencias

    Resposta
  • 24/02/2013 em 14:05
    Permalink

    Locival. Motorista de caminhão é motorista 24 hs por dia, até mesmo dormindo esta a trabalho. É na carga e descarga, fica a volta do veículo tempo inteiro. De toda maneira seu tempo é viver caminhão, mesmo nas horas de descanso vive o stresse de ter que tomar cuidado. Para descarregar é um sufoco, pois usam o caminhão como deposito( kd a lei das 4 hs e após o 1 real hora parado/tonelada lotação= 1 real nem vale meia a pena ). Para carregar é um abuso também, muitas vzs chamam o caminhão e leva 12/14/18 hs, para carregar..não duvidem, só pra exemplificar: tem uma grande empresa ai que se utiliza muito de frigorificos;chamam para carregar e o motorista passa dia a volta as vzs mais de 20 hs esperando completar carregamento. Pois que chamam sem ter já mercadorias separada e notas prontas.. uma baderna de empresa.

    Resposta
  • 24/02/2013 em 12:41
    Permalink

    sou caminhoneiro a 23 anos e tenho vergonha de dizer isso,pois tem muito cacique que manda e não entende nada,ou quase nada,não adianta criar uma lei,se o pais ou as estradas não tem estruturas adequada exigida. tome como exemplo a serra do cafezal que liga São Paulo a Curitiba, esta um caus, além de engarrafamentos, está acontecendo assaltos de cargas e bem como aos motoristas, e ai? Cade a polícia Rodoviária federal, que abandonou o posto que lá tem!! Será que é por que está se tornando perigoso o local pra eles também?? Este é um ponto a ser visto também!! Este é apenas um dos muitos problemas que precisam ser averiguados antes da criação desta lei deveria ter um projeto de avaliação percorrendo estradas e locais pra ver a infraestrutura das mesmas!!! E eu sou apenas um dos muitos caminhoneiros que não recebo salário, só ganho comissão, então deveria ser feito em primeiro lugar uma fiscalização nas empresas para que seja resolvido a questão de salário!! e no meu horário de descanso sou responsável pelo caminhão e pela carga, e cade minhas horas extras então? Desculpe se escrevi algo erado, tenho pouco estudo, mas um pouco entendo pois são anos de estrada já, e um político que deveria zelar pelo país, muitas vezes entende menos que eu!!

    Resposta
  • 24/02/2013 em 12:34
    Permalink

    É jose carlos, ta feia a coisa. Mas tudo que foi feito na verdade é beneficio para sindicalistas, pois esta paralisação foi orquestrada por uns poucos, em pról de muitas vantagens pessoais. Vc acredita que o fim da “greve” foi por conta de acerto para beneficiar o caminhoneiro. Ao meu entender não foi, pois a lei se baseia em fatos errados. Somente dará certo e realmente beneficiará o empregado e o autônomo, se for estabelecido um real valor para fretes+custos+ lucro( dando fim ao frete retorno) e, salário equivalente a no mínimo 5 salários ao empregado, livre de despesas de viagem=café da manhã, almoço e janta. Pois quem quer ser caminhoneiro com um ganho mixuruca destes e ainda descontar toda sorte de despesa, para ficar fora de casa as vzs por mais de 45 dias. É uma vergonha viver enlatado, longe da familia e, não poder dar uma vida realmente digna a sí próprio e familia.

    Resposta
  • 23/02/2013 em 15:16
    Permalink

    Meu salário de certa forma foi reduzido, e as horas que gente passa com o caminhão, não são mais computadas como trabalho, sendo que somos responsáveis também nesta hora pelo caminhão, isto não teria que ser hora extra. Então você fala com os patrões, eles jogam a culpa na nova lei. A nova lei deveria ser aplicada, mas após a regulamentação de um salário justo, horário justo, frete justo. Mas não tem que ser cumprida a lei que os almofadinhas criaram, sem ter noção prática do que acontece com o motorista. Aí vem um advogado, e diz que a classe
    está contra o que demorou anos para acontecer, aí quando acontece é essa merda, e isso envolve empregados e os que possuem um só veiculo. Empresários grandes acham uma forma de se adequar a isso, mas o pequeno? Já percebo um certo desespero de alguns colegas, que estão colocando seus caminhões a venda, pois já não estava bom, agora piorou.

    Resposta
  • 23/02/2013 em 13:58
    Permalink

    meus amigos caminhoneiros vamos acordar, ja tivemos resultado na ultima parada que fizemos nao podemos permitir que comandem a nossa luta diaria em busca do pao de cada dia, ja esta apertado para sobrevivermos assim, suportar ficarmos parados em patios de postos por horas e horas cheios de contas vencendo ou vencidas nao da para acreditar nisso…vamos si uni galera e parar novamente o transporte, vamos lutar pelo nosso direito de ir e vir livremente como quaquer cidadao.

    Resposta
  • 23/02/2013 em 12:03
    Permalink

    é galera da estrada,ta na hora de vocês acordarem e se unirem,porque vocês tem muita importância no país.se vocês pararem que seja por 2 dias,o brasil para,mas tem que unirem e parar quase que todos em todos os lugares deste país,aí o povo vai ver e sentir na pele o valor do caminhoneiro,daí ta na hora de exigirem o salário merecido…acorda gente?vamos se unir e lutar todos juntos pra melhorar…sou mulher de caminhoneiro e visto essa camisa

    Resposta
  • 18/02/2013 em 16:57
    Permalink

    Realmente tenho que concordar com alguns colegas, sobre o salario ninguem fala nada, e acho que temos que parar e tentar uma união sobre a questão salario e não para querer rodar mais e continuar morrendo nossos companheiros nas estradas por exesso de trabalho, SALARIO é a palavra chave neste momento, pensem nisto.

    Resposta
  • 17/02/2013 em 21:13
    Permalink

    É pessoal! Os Excrementissimos srs. deputados estão mais interessados em seus ganhos..aquele cx 2 de campanha, patrocinado por grupos empresariais que defendem…O jabazinho de milhões por fora. Da mesma forma este pessoal dos sindicatos, se fizerem levantamento de suas vidas, a bunda não vê um caminhão e horas de estrada a seculos.Mas todos mantem altos ganhos, mesmo q usando laranjas em empresas… Esta é minha opinião dentro da legalidade..não confio nesta gente que diz lutar pela classe, estando eles distantes anos luz da realidade e dia a dia do estradeiro. E os políticos; bah! quem não é ladrão é conivente com a corrupção, sendo assim cumplices de todos crimes de colarinho branco no governo.Incluindo ai esta votação favoravel ao empresariado.. pois vejam o frete já subiu cerca de 30 a 50 %, mas nada mudou para o autônomo. Ganhos melhores nem sombra de ver, já aumentos de custos….foi só fechar os olhos e pimba sobem o diesel …

    Resposta
  • 17/02/2013 em 14:22
    Permalink

    Realmente de salario ninguem fala nada, só se fala de carga horaria e prejuizo para o patrao e para o consumidor, e o motorista como é que fica com o seu salario, alguem sabem responder?

    Resposta
    • 08/05/2013 em 20:58
      Permalink

      DA uma verificada na lei..ali consta tudo sobre o salario…as horas extras…as de espera e sobre a convenção de cada estado.

      Resposta
  • 16/02/2013 em 23:18
    Permalink

    Essa medida é absolutamente ridícula, tomada, com certeza, por alguém que não sabe o que é um caminhão e nem o que é carregar e descarregar, o tempo que leva, o valor da prestação do caminhão, do diesel que está cada vez mais caro e o frete que não acompanha o aumento sucessivo do diesel. Isso sem falar na sujeira dos banheiros nas estradas (e ainda temos que pagar). Se essa medida passar, eu gostaria de saber se o governo vai tomar providência para abaixar o preço dos pneus, do diesel, da prestação do caminhão, vai diminuir os feriados no país, já que o banco não para de cobrar enquanto o Brasil para de trabalhar.

    Resposta
  • 15/02/2013 em 14:37
    Permalink

    Com toda certeza esta redução é necessária, pois que onze horas parado é um desperdício de tempo e dinheiro. Passa do ser descanso para o tédio, irritabilidade,estresse. Esta lei deveria ser revista imediatamente, pois legisla sobre o trabalhador regido pela CLT e, o trabalho do autônomo. O autônomo como a palavra define é seu próprio patrão, fazendo assim seu horário de trabalho, escolhendo o tipo e modal de equipamento e carga. Os excrementissimos deputados fazem leis sempre em beneficio de grupos empresariais, onde visam somente lucros para seus aliados e financiadores de campanha ( minha opinião pessoal e dentro da legalidade).
    Outra questão a ser mudada é a parada obrigatória de 36 horas absurdas para o caminhoneiro autônomo. Vejam abaixo …
    Jornada de trabalho máxima de 8 horas diárias e 44 horas semanais;
    • Máximo de 2 horas extras diárias;
    • Intervalo mínimo de 1 hora para refeições;
    • Intervalo mínimo de 11 horas para repouso diário a cada 24 horas;
    • Descanso semanal mínimo de 35 horas para viagens menores que uma semana;
    • Descanso semanal mínimo de 36 horas para viagens maiores que uma semana, podendo ser gozado no retorno da mesma e fracionado em 30 mais 6 horas;
    • Tempo de espera (horário além da jornada normal aguardando a carga, descarga e/ou fiscalização) com remuneração indenizatória da hora normal com 30% de acréscimo;
    • Intervalo mínimo de 30 minutos a cada quatro horas de direção;
    • Para viagens com dupla de motoristas, o que não estiver dirigindo será remunerado em 30% do valor da hora normal;
    • Em viagens com dupla de motoristas, parada obrigatória mínima de 6 horas com veículo estacionado.

    Esta lei é uma imposição de como gerir sua própria empresa. Isto é o mesmo que impor horário de trabalho ao pequeno comercio, por exemplo o quitandeiro da esquina de sua casa (micro empresa normalmente familiar ).. CHEGA DE CULPAR O CAMINHONEIRO POR TODO PROBLEMA RODOVIÁRIO..

    O que de fato deveria ser revisto e criada um lei é para a sustentação da profissão;com frete justo autônomos = tabela mínima por km rodado ( neste ponto falarão sobre tonelagem, ao meu entender é bobagem, pois cada veículo tem sua tara, foi projetado para transportar e, ainda fica o critério do proprietário, aceitar ou não o volume/peso a contratar), finalizando o famigerado frete retorno, valorização do trabalhador com aumento real de salários(aos CLT). ISTO COM CERTEZA OS EXCREMENTISSIMOS SRS. DEPUTADOS NEM COGITAM. obs: com a conivência dos ditos sindicatos.

    Resposta
    • 27/02/2013 em 00:08
      Permalink

      Venha sentir na pele amigo a nossa vida, no minimo vc deve ser algum patrao???

      Resposta
      • 08/05/2013 em 20:57
        Permalink

        Sabe…vivo na pele cada dia..e se voçê prefere ficar 11 hora parado em um posto qualquer do que poder viajar e ficar com sua familia em casa, ai é complicado mesmo, não deve ter familia ..ou não se importa com ela. Prefiro poder andar um pouco mais e descansar em casa..o que acha meu amigo? isso é só para patrão ou pra quem gosta dos seus….

    • 03/07/2013 em 00:37
      Permalink

      Além de conhecer de perto a profissão,trabalho em contato com os profissionais há cerca de 08 anos e o que mais ouvi é o motorista falar que o destinatário quer que a carga seja entregue para ontem.Penso que o momento é de deixar a lei acontecer e depois sim fazer os reajustes que forem necessários. Os políticos que estão envolvidos nessa história vcs precisam conhecer o histórico, são os produtores-embarcadores.Não estão preocupados com o motorista seja ele autônomo ou empregado. A lei quer dar melhor condição de saúde pois temos muitos problemas relacionado ao longo período que o motorista permanece na direção, temos problemas com o uso de drogas e o pessoal quer tirar este fato que hoje é grande responsável por tragédias.Temos de distância entre um posto e outro cerca de 40 km e os mesmos dizem que precisam de apenas um ano para adequar a lei.É óbvio que o valor da saúde do profissional que vai entregar a mercadoria deve ser paga por quem produziu -vendeu o produto. Agora claro que alguns motoristas preferem se matar de trabalhar e depois que ficar com alguma sequela o que ganhou não será suficiente para as despesas.Além disso nem toda família entende o esforço sobrehumano .Na verdade nós (mulheres,namoradas,mães,filhos) esperamos e queremos apenas que vocês cheguem bem e VIVOS.

      Resposta

Deixe sua opinião sobre o assunto!