Ao custo de R$ 25, caminhoneiro pode descansar em segurança

135481700




No Brasil, existe em média um posto de combustível a cada 22 km de rodovias federais ou estaduais. Na região Sul, esta média cai para 17 km e, na Centro-Oeste, aumenta para 35 km. Com esta rede, é possível cumprir a Lei do Descanso (12.619). Quem deu essa garantia foi Paulo Miranda Soares, presidente da Federação Nacional de Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis). Ele foi um dos convidados a falar na audiência pública realizada dia 10 de abril pela comissão especial da Câmara dos Deputados criada para mudar a lei.

Sob o comando da bancada ruralista, a comissão quer reduzir o tempo de descanso do caminhoneiro de 11 horas para até 6 horas e prorrogar a aplicação da lei em até 3 anos.

O presidente da Fecombustíveis contou que existem 4,5 mil postos de rodovias no País onde os caminhoneiros podem descansar. Segundo Soares, nem todos têm estrutura adequada para receber os motoristas, mas essa é uma situação que poderia ser resolvida em um ano. “Fizemos uma pesquisa e precisaríamos de um ano, no máximo, para complementar esta adequação. Se tiver uma linha de crédito, agilizaria”, defendeu.

O empresário acredita que oferecer este espaço é uma oportunidade de negócio para os postos. Ao custo de R$ 25, o caminhoneiro teria um local apropriado para passar à noite. “É assim no Sakamoto (na Dutra, em Guarulhos). A carreta não precisa abastecer se quiser pernoitar. O motorista entra, para na cancela, aperta um botão, sai um tíquete”, conta.

No estacionamento, de acordo com ele, há guardas e câmaras de segurança. Este é o modelo que Soares defende para o resto do País, ao custo de R$ 25 a noite. “Bastaria 1% a mais no frete para custear essa despesa”, afirmou.

Durante seu pronunciamento na comissão, ele disse que, além de posto, tem uma transportadora e que atua nos segmentos de combustível e cegonheiro. “Nós apoiamos a lei. Teve um caminhão meu que tombou de madrugada porque o motorista dormiu ao volante”, disse.

O empresário aproveitou a oportunidade para criticar as empresas de cartão. O fim da carta-frete teria sido um “tiro no pé” porque os transportadores ficaram reféns de um “oligopólio”. “Duas empresas detêm 95% deste mercado”, afirmou.

Segundo ele, assim que a carta-frete foi proibida, as empresas de cartão dobraram a taxa cobrada pelo serviço. “A maioria dos postos trabalha com 10% de margem de lucro. Como vou pagar 5% para o cartão?”, questionou.

Fonte: Revista Carga Pesada




9 comentários em “Ao custo de R$ 25, caminhoneiro pode descansar em segurança

  • 26/03/2014 em 13:14
    Permalink

    Preferem viver marginalizados a ter uma lei que os protejam, os que vem condenando a lei do descanço

  • 19/04/2013 em 21:33
    Permalink

    nos caminhoneiro para descansa pagamos 25 real no sul no sentro hoste 55real isto varia de um estado por outro no notir so abastecendo e uma grujeta para ovijia do posto nos caminhoneiro presissamos de respeito pela nossa altoridade agora a br 101 que liga esprito santo ao rio janeiro bhaia em breve javai ser coprado pedajo sao 7 pedajo so es ja ganharo asolisitasao embreve avera trastorno na 101 boa viajen paranos parese piada mais nao e kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • 19/04/2013 em 19:45
    Permalink

    Vcs. colegas caminhoneiros precisam ler mais sobre essa lei para ver o quanto ela é viável o que é preciso é ajustar alguns detalhes para que ela dê certo já imaginou quantas vidas serão poupadas? as coisas se ajeitam, é só um pouco tempo. Entra no google e digita:lei 12619 assistam alguns videos sobre a lei que vcs. irão ver o quanta ela é a favor dos profissionais do volante que já enriqueceram muitas pessoas que não tem nada a ver com caminhão, tirando a oportunidade do verdadeiro profissional a adquirir seu próprio caminhão.

  • 18/04/2013 em 14:34
    Permalink

    nao da pra acredita em certas coisas que eu leio, o cara fala que o brasil ta preparado pra uma lei desta, 1 nao sei por onde que vc pesquisou , pra falar que tem posto que da condições pro motorista, vc tao burro que muitos destes posto nao limpa nem o banheiro pro motorista tomar um banho,2 vc acha justo pagar 750, por mes para dormir, soma isso no ano, pra vcs ter como exemplo de posto que respeita o motorista , vai ate a rede Decio, locatelle, posto , passarinho, sao poucos postos que respeita o motorista , coloca um um posto Decio a cada 400 km no brasil que a sim vao ta preparado, a respeito do cara que tombou seu caminhao porque tava com sono , tombou com certeza nao era a primeira vez que ele dirigia com sono, e com certeza vc deixava ele andar anoite, porque seu caminhao devia ter rastreador ou localizador, ce vc proibice ele nao tinha tombado seu caminhao, e mais vc so falou pq tombou ce tivesse trabalhando te dando lucro vc nao tava nem ai…
    nunca tombei caminhao nenhum trabalho normal da 6 ate 10 ou 11 hrs e vou dormir..

    • 12/05/2013 em 11:10
      Permalink

      concordo com tudo marco, trabalho igual a vc e nunca me acidentei nem tive q tomar droga nenhuma… esse pessoal que diz q existe esses postos aí nunca andou no mato grosso, eles tao contando junto os postinhos dentro das cidades

  • 18/04/2013 em 13:35
    Permalink

    O PIOR DE TUDO ISSO, QUE VAI SAIR DOS NOSSOS LOMBOS TER QUE PAGAR ATE PRA DESCANSAR E AINDA E CADA 4 HRS É PRA ACABA DE VEIS COM NOIS….

  • 18/04/2013 em 13:20
    Permalink

    pagar pra descansar devia incluir banho, alimentação e segurança

  • 18/04/2013 em 09:50
    Permalink

    A saude se vc não pagar um plano privado vc morre e agora até os trabalhadores tem que pagar pra garantir entre”-” a segurança .
    O governo tem que fazer o papel dele,pois o nosso ja fazemos pagar empostos

  • 18/04/2013 em 08:36
    Permalink

    O Problema é que isso é uma média de quantidade de postos por kms, mas se for ver por rodovias descriminadas, temos rodovias no país que passa de 300 kms para se achar um posto, sendo assim o caminhoneiro iria ter que parar muito mais cedo do que ele poderia parar ou ter que passar do horário para conseguir chegar no próximo posto…. eu não acho certo que esse custo fique por conta dos caminhoneiros, pois o governo tem por obrigação nos dar locais seguros para parada de descanso, isso faz parte da constituição, todos temos direito a segurança, pagamos impostos caríssimos para garantir esse direito, e tem mais se caso vier a acontecer alguma coisa ( Roubo, Furto ou qualquer outra coisa ) com os motorista nesses locais, o governo teria por obrigação indenizar o caminhoneiro.

Fechado para comentários.